Educação


… e acabou como se fosse artigo de opinião.

Paulo Guinote sobre o OE 2015. Devastador corte no ensino não superior

Aqui, as outras 11 opiniões.

Nuno Crato começa a ficar menos MRL e mais Isabel Alçada.

Conversava-se ontem pela Torre do Tombo, fora do debate oficial, acerca da relação entre capacidade de resistência e nível de audiências dos blogues sobre Educação e em particular blogues de professores (algo inédito entre qualquer classe profissional mais ou menos qualificada com destaque para o blogue do Arlindo) e a sua incapacidade para conseguir resultados palpáveis dessa aparente força colectiva.

A minha explicação é simples: o “sucesso” destes blogues está na inversa proporção da capacidade de soft ou hard power dos professores para influenciarem de um modo efectivo as decisões políticas no seu sector. Os advogados ou médicos, por exemplo, não precisam de blogues para nada, pois têm outras formas de exercer um poder de influência real sobre os decisores políticos. Assim como a blogosfera docente cumpre, em alguns casos, um papel de informação e análise que os actores institucionais distorceram até ao limite em nome da propaganda.

Aos professores resta esta forma de solidariedade virtual e de catarse de grupo.

Infelizmente.

Recolha do Livresco.

A marmota educativa

 

OE2015PropMun

(…)

OE2015PropMun1

Embora muito mais docemente… quase sem se dar por isso… nos contratos com os privados…

OE2015Prop1

Página seguinte »

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 945 outros seguidores