Educação


Portekiz eski başbakanı Jose Socrates yolsuzluktan gözaltına alındı

A área da Educação é aquela em que o desgoverno PSD/CDS – à excepção de um cheque-ensino às claras, embora ele vá avançar de modo indirecto – mais parece determinado em levar o seu anti-PREC ao máximo das suas possibilidades, por forma a tornar muito complicado desmontar toda a asneira feita.

Foram aproveitadas todas as portas abertas por Sócrates e foram escancaradas de par em par, ao mesmo tempo que se foram e vão abrindo outras, por onde todo o folclore fandango irá entrar de armas e bagagens.

O objectivo é tornar o sistema educativo de tal modo desregulado nas matérias que mais interessam a certos grupos de interesses que será muito difícil fazer regressar alguma sanidade a um sector que está a saque há coisa de uma década.

Dito assim, parece que o senhor presidente está triste por não ter esse poder… e acredito que esteja.

Mais um exemplo de como o PS de Assis e Vitorino está próximo do PSD nas soluções e nas pulsões…

“Não há possibilidade de mandar professores embora” – Gil Nadais sobre a municipalização da educação

Quando as autarquias delegam em empresas privadas as funções que o poder central lhes atribuiu, o que poderemos esperar da brilhante ideia da municipalização?

A Câmara do Porto lançou este ano um concurso público para entregar a privados um serviço que, por lei, segundo o Tribunal de Contas, teria de ser gerido pelo próprio município. Em causa estão as actividades de enriquecimento curricular (AEC) dos alunos do primeiro ciclo e das crianças que frequentam os jardins de infância, que o executivo pretendia adjudicar, após concurso, à empresa Know-How, por mais de três milhões de euros, num contrato de três anos.

Quanto à empresa em causa, já é bem conhecida de outros contratos com outras autarquias da zona do vale do Tejo, de preferência alaranjadas.

E ainda me lembro de ver a empresa a trabalhar para a autarquia de Lisboa, nos tempos de Santana, de quem era assessora.

(já agora, esta peça é muito elucidativa das conexões…)

 

!

 

… é permitir que presidentes de câmara e vereadores, em especial os que já foram professores ou directores, consigam vir a mandar num conjunto de escolas nas quais, em condições normais, nunca teriam voto na matéria.

O António Nabais relembra Matosinhos e Oliveira de Azeméis, mas eu acrescentaria Oeiras…

E tenho quase a certeza que há contas por ajustar em muitos desses lugares.

Debunking Homework Myths

Página seguinte »

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 959 outros seguidores