Coerências


PG Pub15MAi14

Público, 15 de Maio de 2014

Não sei quanto tempo, caso a legislação eu ameaçam publicar para amordaçar as vozes críticas de “dentro” venha mesmo a ser colocada em prática, poderei continuar a dizer publicamente aquilo que penso e em que acredito.

Pelo que vou aproveitando.

Se não tenho uma visão conspirativa global da maioria das pessoas que trabalham na comunicação social (pelo menos, das que conheço), tenho uma visão muito negativa dos herdeiros do Relvas que continuam a desgovernar-nos às claras ou nas sombras.

São muito liberais e adoram a liberdade, desde que ela não se vire contra eles. E isso é tão mais verdade quão maior é a incompetência e a falta de carácter.

A claustrofobia democrática está de boa saúde, mas não se recomenda.

 

… em Fevereiro de 1992, quando Cavaco cedeu e, com o fugaz Diamantino Durão no MEC, a PGA foi anulada e o Independente tratou o tema sob a batuta de Paulo Portas.

Calhou achar hoje este exemplar e notar que muitos dos nomes dos “jovens” já no poder ou a querer ascender eram… Miguel Macedo, Marques Mendes (os já empoleirados), Passos Coelho, Miguel Relvas e Carlos Coelho (em rota mais ou menos rápida de ascensão).

São especialmente interessantes as opiniões de Pulido Valente sobre o assunto (naquela altura até falava na razão dos 100.000 alunos nas ruas contra a prova de acesso à Universidade) e a peça sobre todos os jogos de poder da JSD de então, polvilhada de carreiristas da primeira apanha e como Passos Coelho ziguezagueava entre a contestação e a necessidade de fazer pela vida.

E isto também nos ajuda muito a compreender a arqueologia do discurso do rigor… e dos revolteios dos seus protagonistas actuais, no poder ou na opinião publicada que há quem diga da maior lucidez… (tem dias…)

Naquela altura uma prova de ingresso na Universidade era uma hipocrisia e uma irresponsabilidade… :-)

SONY DSCSONY DSC

SONY DSC

SONY DSCSONY DSC

Independente, 28 de Fevereiro de 1992

 

 

… sentadinho de camarote, mesmo ao lado do Papa em declínio.

Para quem tentou erguer uma carreira à custa de umas bofetadas mal apanhadas em Felgueiras há sempre tempo para um novo low.

(o problema não é a febre clubista… nesse casos vai-se de cachecol para o meio da bancada…)

… e em todos os casos em que o Ocidente apoiou a “auto-determinação” dos povos e todos aqueles slogans que parecem funcionar só num sentido.

Podemos pensar o que quisermos acerca das tácticas do Putin, mas… isto é tão ou mais democrático do que muitas outras coisas que foram aceites como boas pela “comunidade internacional”. Com ou sem intimidações sobre as minorias.

E agora?

95% votam a favor da integração da Crimeia na Rússia

 

Quando Carlos Macedo, militante nº 6, foi expulso do PSD por criticar a ministra Leonor Beleza? Seria interessante recuperar o que então disseram alguns actuais notáveis.

PSD expulsa António Capucho, um militante que fundou o partido com Sá Carneiro

Ex-secretário-geral dos sociais-democratas diz que decisão confirma o estado a que chegou o PSD.

Macedo foi depois readmitido por unanimidade em 1990, mas recusou.

No caso presente, em que o PSD está dominado por ex-jotinhas que fizeram carreira na base de uma rebeldia habilmente coreografada nesses mesmos anos 90, a intolerância é a regra e a purga de matriz estalinista um recurso fácil – porque estatutário :-) – e cómodo para apagar as vozes dissonantes.

Seria interessante ver o que muitos dos actuais coelhistas fizeram quando Manuela Ferreira Leite era líder do PSD.

A liberdade (política, de expressão) individual, a essência de qualquer verdadeiro liberalismo, é estranha a esta malta, gentinha criada na base do esquema, do truque e da canelada e que – já era antes claro, mas agora fica às escancaras – não consegue elevar-se acima da mediocridade ética.

rolha

Dinamarca: Ministros demitem-se após entrada da Goldman Sachs em eléctrica estatal

Imaginem se fossem empresas chinesas meio manhosas.

O MEC decidiu que os directores podem acumular esse cargo com o de – por exemplo – vereador, apesar da legislação o não permitir de modo muito claro. Seja o cargo remunerado ou não. É o que está no santo decreto. Parece que é “inconstitucional” e que fere os cristais dos cidadãos directores.

Já a porcaria dos cidadãozecos dos professores podem ver tudo e mais alguma coisa acontecer-lhes, de congelamentos na progressão a reduções salariais acumuladas, de aumento de horas lectivas a avaliações completamente ficcionadas, que nada é “inconstitucional”.

Realmente, há alturas em que só apetece…

polish-a-turd

Contra a existência da PACC – A Pacóvia – é preciso ter cuidado com os argumentos: a utilização das classificações numa ADD muito contestada nos seus métodos e rigor é um deles.

Uma coisa é dizer que se foi avaliado pelos critérios do MEC com boa classificação, outra é usar o argumento assim sem especiais reservas e como se fosse um certificado de enorme qualidade.

Realmente… depois de se criticar a forma como alguns Xalentes foram conseguidos e agora acenar com um Munta Bom no mesmo modelo está longe de ser coerente.

… mesmo aqueles em que enxovalham lá fora a Pátria que desprezam cá dentro.

O que até faz sentido…

Passos e a ‘nova bandeira’ nacional inventada pelo México

Numa das primeiras cerimónias oficiais no México, o primeiro-ministro, Passos Coelho, discursou sob o pano de fundo de uma bandeira portuguesa diferente e, claramente, não oficial. A Rádio Renascença conversou com Segismundo Pinto, do Instituto Português de Heráldica, que admite que a “tosca bandeira” tenha sido “fabricada no México para desenrascar.”
.
Por onde andam os patriotas e nacionalistas deste Governo que tanto batiam no peito ainda há tão pouco tempo?

Meira Soares demite-se “escandalizado” com ataques “despudorados” do Estado aos que menos recebem

 Presidente da Comissão Nacional de Acesso ao Ensino Superior diz que perdeu a confiança no Governo. “A recente notícia daquilo que já se chama a TSU das viúvas é uma medida abjecta.”

Até que enfim que há quem, em cargo com visibilidade, passa das palavrtas aos actos.

… dos princípios neo-conservadores e pretensamente libertários ou liberais do Tea Party e das suas tácticas de bloqueio legislativo com base numa fidelidade absoluta a uma Constituição com mais de 200 anos e a País Fundadores esclavagistas e misóginos se mostrem tão abespinhados com uma Constituição de 1976 já tão revista desde então.

Não deixa de ser patético ver os putos tóxicos que deliram com as palermices de um Marco Rubio, de uma Michele Bachmann, de um Ted Cruz, com as teses mais heterodoxas de um Rand Paul e com as tácticas republicanas de sistemático filibustering no Congresso americano queixarem-se de um excessivo rigor constitucional por cá.

Sei que não passa por ele a decisão, mas acho que o Pedro Lomba, por tudo o que escreveu de forma consistente e coerente no passado sobre estes truques durante os governos do PS, tem uma certa obrigação moral de não pactuar com tais inconsistências.

O Governo está a averiguar a ligação entre um documento com propostas de contratos swap do Citigroup ao Governo de José Sócrates em 2005, onde consta o nome de Joaquim Pais Jorge (actual Secretário de Estado do Tesouro), e as reuniões em S. Bento onde este confirmou à SIC ter estado presente quando era quadro daquela instituição financeira.

Em conferência de imprensa, em Lisboa, o Secretário de Estado Adjunto do Ministro-adjunto e do Desenvolvimento Regional, Pedro Lomba, garantiu que foram “detectadas inconsistências” quanto à ligação entre a apresentação que veio a público e a presença de Joaquim Pais Jorge. Mas recusou-se a dizer quais, remetendo a resposta para esclarecimentos a prestar “pelo Governo” até final do dia.

Embora se perceba bem que não há muito que investigar… o tipo (JPJ) é mentiroso e o recrutamento para a área das Finanças do Governo é uma lástima… ou não… tudo depende do que se pretende com as contratações

Secretário de Estado confirma reuniões com Governo de Sócrates sobre swaps

Pais Jorge negou há dias estar envolvido na tentativa de vender ao Estado produtos financeiros em 2005.

… quem assegurou o funcionamento dos exames no dia 17 em algumas escolas a apelar à greve geral para dia 27. Deve ser solidariedade para fora em vez de unidade para dentro.

E afinal o Ramiro é que tinha razão… isto era um conflito entre sindicatos e o MEC, enquanto eu estava convencido de ser uma luta dos professores contra as políticas do governo, de que os sindicatos e o MEC eram apenas os que se sentam à mesa em nome de…

E afinal a prainha está salva, agora que o tempo está quente demais para lutas.

Agora com textos completos do DN de hoje:

IMG_1170

… de o Presidente da República assumir que durante os seus dois mandatos foi presidente dos portugueses que bem entendeu, mas certamente NUNCA o foi daqueles que são professores, em especial na rede pública de ensino, tendo apoiado de forma incondicional todos os atropelos dos governos de Sócrates e do actual de Passos Coelho, assinando de cruz todo o tipo de documentos que levaram à degradação material e simbólica do papel do professor na sociedade, no que será o traço mais marcante e de maior coerência da sua acção política, de Maria de Lurdes Rodrigues a Nuno Crato ou eventual sucessor.

Afinal a lógica igualitária que funciona para a mobilidade e as 40 horas aqui não funciona?

Governo muda lei da greve para professores

Passos Coelho anunciou que vão mudar a lei. Governo quer serviços mínimos para professores em época de exames.

 

 

 

Quinque.

Os que afirmam greves não são os mesmos que fizeram longas filas de entregas de OI’s, após colocação plenária de assinatura de que nem pouco mais ou menos?

… menos o do patriotismo. Apesar do André Almeida.

austeridade

(c) Luís Rosa

José Sócrates+Passos Coelho+Economia+Responsabilização

(c) Luís Rosa

Página seguinte »

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 892 outros seguidores