… em Fevereiro de 1992, quando Cavaco cedeu e, com o fugaz Diamantino Durão no MEC, a PGA foi anulada e o Independente tratou o tema sob a batuta de Paulo Portas.

Calhou achar hoje este exemplar e notar que muitos dos nomes dos “jovens” já no poder ou a querer ascender eram… Miguel Macedo, Marques Mendes (os já empoleirados), Passos Coelho, Miguel Relvas e Carlos Coelho (em rota mais ou menos rápida de ascensão).

São especialmente interessantes as opiniões de Pulido Valente sobre o assunto (naquela altura até falava na razão dos 100.000 alunos nas ruas contra a prova de acesso à Universidade) e a peça sobre todos os jogos de poder da JSD de então, polvilhada de carreiristas da primeira apanha e como Passos Coelho ziguezagueava entre a contestação e a necessidade de fazer pela vida.

E isto também nos ajuda muito a compreender a arqueologia do discurso do rigor… e dos revolteios dos seus protagonistas actuais, no poder ou na opinião publicada que há quem diga da maior lucidez… (tem dias…)

Naquela altura uma prova de ingresso na Universidade era uma hipocrisia e uma irresponsabilidade… 🙂

SONY DSCSONY DSC

SONY DSC

SONY DSCSONY DSC

Independente, 28 de Fevereiro de 1992