Que Maldade…


O Monteiro do Expresso acha que isto já é demais…

(…)

Pois realmente parece uma chatice, esta de condenar uma antiga ministra socialista, da facção mais correcta, em pena de prisão efectiva. Os crimes que terá praticado são graves? Pois, mas mesmo assim é demais. Prisão efectiva? Isso é para os pés descalços, que agora são os pequenos traficantes de droga e coisas assim. Traficar com dinheiros públicos, com favores a amigos, isso nem parece crime.  Será?! Lá fora é, claro que é . E as penas são a doer. Mas aqui? Nesta terra de brandos costumes, condenar em prisão efectiva esta gente que ainda há pouco tempo convidávamos para almoçar nos pabes ou noutros sítios para nos darem notícias? Isto faz-se? Não se faz, é um exagero, claro que é.

Não maldigo o rigor da iníqua sorte,

Por mais atroz que seja e sem piedade,

Arrancando-me o trono e a majestade

Quando a dois passos só estou da morte!

 

 

Do pego das paixões minha alma forte

Conhece a fundo a triste realidade,

Pois se agora nos dá felicidade

Amanhã tira o bem, que nos conforte.

 

 

Mas a dor que excrucia, a que maltrata,

A dor cruel que o ânimo deplora

Que fere o coração e quase o mata,

 

 

É ver da mão fugir à extrema hora

A mesma boca lisonjeira e ingrata

Que tantos beijos nela pôs outrora!

 

[Pedro de Alcântara]

Se tivesse de escolher um artigo favorito do novo Estatuto do Aluno e Ética Escolar, o artigo 21º estaria certamente no top 3.

Não apenas pela extensão e muito deficiente formulação, mas muito em especial pelo delicioso efeito de cascata que se encontra nos seus quatro primeiros e antológicos parágrafos/números…

O nº 1 dá-se ao requinte de remeter para o número anterior, um hipotético mas inexistente nº 0. Pode pensar-se que remete para o último nº (o 11) do artigo 20º, mas nada nos garante que assim seja, até porque esse eventual número anterior remete, por sua vez, para os nºs 3 e 9 dess’outro artigo, o 20º.

Já o nº 2 remete para o nº 1 (o tal que remete para um indeterminado anterior), enquanto o nº 3 remete para o nº 2 e o nº 4 remete, primeiro, para os nºs 1 e 2 e, logo a seguir, para o nº 3.

Claro que tudo isto poderia ter sido escrito de forma clara, enunciando de forma explícita do que se trata, mas depois como é que os DT, os coordenadores de DT, os Conselhos Pedagógicos e, quiçá, as Direcções, ocupariam parte do seu tempo em leituras e debates, antes de pedirem à respectiva DRE (ou a alguém especializado em Artes Divinatórias e Obscuras Do Juridiquês Educativo na estrutura do MEC) o esclarecimento com a interpretação verdadeira e legítima do linguajado exposto?

 

A Fenprof ocupa as Laranjeiras e solicita à população pizzas para resistir…

… que era um dos destinatários deste espécime do que foi considerado o melhor moscatel do mundo e é produzido aqui mesmo ao lado.

E uma calçada em Setúbal é que o bebeu…

Sacraste, diria o outro.

… por sermos assim. Podes sempre ir para uma ESE formar professores e ensinar-lhes a serem bem educados, asseados e respeitadores da Autoridade, quando a cor é certa. Se mais como tu o tivessem feito nos últimos 25 anos, quanto teria ganho a Educação Nacional. Pena que tenhas feito outra coisa.

.

Portanto: só posso criticar pessoal nascido depois de 25 de Março de 1965. E vou ter de ir buscar os meus pais ao caixão para os reprovar pela educação que (não) me deram. E, de caminho, criticar a formação que a FCSH da Nova e a FPCE da UL me deram.

Só falta argumentar que não se deve criticar quem ganha mais. Em tempos ganhei um pouco mais de 1500 euros limpos, agora é menos.

Mas como o governo não é do PS, nem de Esquerda, devo calar-me.

A luta dos professores, também para o Ramiro, foi apenas um meio útil para atingir um fim. Alcançado, tropa para os quartéis.

Em que parte da Ética de Aristóteles é que surgem estes ensinamentos?

E qual po capítulo em que se ensina a não ter a coragem de ser frontal nas críticas e funcionar com chuveirinho, enlameando todos, ao não especificar de quem se fala?

O argumento ad hominem é muito mais justo do que atirar para cima de todos os opóbrios, reservando apenas para si mesmo a virtude. O Ramiro já assumiu a paternidade da maioria desta ADD, depois recuou, agora avança de novo. Em que ponto estará daqui a 3 nanossegundos?

… não dá para disfarçar a alegria.

Pronto, Buli, a tua é a mais… Enquanto o Jacques pensa que…

 

UGT acusa Frente Comum de fechar a porta a manifestação comum

Os sindicatos da administração pública afectos à UGT, estão a acusar a Frente Comum, da CGTP, de fechar a porta a uma manifestação comum da Função Pública, no dia 6 de Novembro.

Numa nota enviada às redacções, o SINTAP e a FESAP, dois sindicatos da esfera da UGT, para a Função Pública, dizem que a Frente Comum desmarcou a reunião prevista para esta tarde, que visava acertar detalhes para a organização e participação conjunta na manifestação.

já vai, estou aqui no ramiro a ver de dicas

Ou, só para abrilhantar as reservas que já temos quanto à qualidade das nossas estatísticas educacionais, a nossa querida ex-DREN foi acomodada, por via da mobilidade, no GEPE.

Eu bem vos digo, dar aulas faz calos e causa a cegueira. Embora no caso dela esperasse coisa mais vistosa… mas esta pode ser útil, tira-se um zero daqui, corta-se um rácio dali, acrescenta-se uma tabela acolá e, helás, temos números para a OCDE e um planeamento estratégico que deixará as escolas do 1º ciclo abaixo das 5000 no Natal, nem que seja à força de caterpillar.

Shiu. Tá Calada, Senão Ainda Dão Por Ti

Parabéns ao visitante nº 999. O nosso gerador numérico-digital seleccionou-0 (M/F) como um possível distraído, completely bananas.

Clique aqui.

Desumbiguação: – Sai mais uma!

O dilema, Reb, é… apagar ou não apagar a vela?