Amnésia Selectiva


Li algures,  na sequência de mais um debate sobre a prisão preventiva de José Sócrates nas redes sociais (mas num bom perfil, de pessoa estimável e frequentado por gente “bem”, que a esquerda (leia-se, o PS de Costa) não poderia – por vingança – vir a governar como a direita está a fazer, com tropelias diversas, em matérias económicas, políticas e jurídicas.

Não se preocupem, amiguinh@s,porque a esquerda (leia-se, o PS de Sócrates) já governou como a direita está a governar em praticamente todas as matérias, sendo que em alguns casos (condicionamento da comunicação social e da Justiça) me parece ter ido até bem mais longe.

E se é verdade que estes foram além da troika nos apertos, eu ainda me lembro do regabofe que foi até 2011, com excepção do ano eleitoral de 2009, quando a zurzirem o pau de marmeleiro no mexilhão.

Que não se lembrem ou façam por não se lembrar, é uma coisa, agora que queiram que todos se tenham tornado amnésicos selectivos, é outra coisa.

fenosburros002

Tinham todos posições e títulos altissonantes mas, a a creditar nos próprios, não passavam de um bando de idiotas.

Chairman da Rioforte invoca desconhecimento da situação do GES

Estarolas

E para piorar o conteúdo, agora passou a falar sempre com aquele ar de seminarista engonhado e amnésico (será que ele se esquece quando fez de rufia que não aceitava sugestões de ninguém?) que não sei se mete dó, se mete outra coisa.

O primeiro-ministro, que se escusou a comentar o discurso do secretário-geral do PS, António Costa, no congresso socialista do fim-de-semana passado, quis “apenas reafirmar a importância que para o país tem que gente adulta, gente crescida, gente preparada, gente que tem responsabilidades políticas possa olhar para o futuro sem ser com a perspectiva de contar espingardas, que seja com a perspectiva de chegar a respostas que os portugueses entendem como sendo respostas para os seus problemas”.

“Quando as soluções políticas parecem ter outra solidez, as pessoas sentem-se mais à vontade para comprometer a sua palavra, para poder chegar a um entendimento sem que isso pareça uma derrota para ninguém. Essas condições estão reunidas e só não haverá um espírito de compromisso se ele não for desejado”, enfatizou.

Gente crescida, gente preparada?

Mas que raio de intervenções públicas são estas, vindas de quem a cada oportunidade diz coisas do mais bacoco e infantil que se pode arranjar?

Exemplos:

“Despedir-se ou ser despedido não tem de ser um estigma, tem de representar também uma oportunidade para mudar de vida.”

11-05-2012

“O Governo não está a preparar um aumento de impostos. Não estamos a pôr porcaria na ventoinha e a assustar os portugueses.”

Debate do Estado da Nação, 11-07-2012

“Todas as dificuldades porque passámos não terão servido para nada. Servirão para alguma coisa (…) quando não nos comportarmos como baratas tontas e soubermos bem para onde vamos.”

25-07-2012

“Amigos. Fiz um dos discursos mais ingratos que um primeiro-ministro pode fazer – informar os portugueses, que têm enfrentado com tanta coragem e responsabilidade este período tão difícil da nossa história, que os sacrifícios ainda não terminaram.”

Facebook, 09-09-02012

“O ano que agora está a terminar foi talvez o ano mais difícil de que tenho memória desde 1974, mas foi também o ano em que mais semeámos para futuro.”

21-12-2012

“[O programa de rescisões na Função Pública] deverá ser encarado como uma oportunidade e não como uma ameaça para trabalhadores e serviços.”

18-03-2013

Fonte: Jornal de Negócios.

polish-a-turd

Na SICN fala em coisa inédita. E Sarkozy? E Berlusconi? E Chirac?

Quanto a Miguel Sousa Tavares, é vê-lo agora e tê-lo visto com outro tipo de arguidos ou ainda antes disso, também políticos. Nunca fez linchamentos públicos e sempre deu espaço ao contraditório, claro, claro… em tribunal.

Na RTP Informação, no programa conduzido por Sandra Felgueiras, está um senhor advogado (Artur Marques, aquele que em tempos representou Fátima Felgueiras) que depois de criticar as fugas de informação e o desrespeito pelo segredo de Justiça, passa a lamentar o facto de não se saber nada de específico sobre os crimes de corrupção de que José Sócrates estará a ser acusado.

Será que esta gente pensa? Ou melhor, será que pensa, mas se esquece logo a seguir do que diz?

Ou pensando ainda melhor… será que ele ainda se lembra de como a sua representada de outrora conseguiu escapar para o Brasil, exactamente com base numa “fuga”?

(juro que não ando a tomar Memofante)

É curioso observar a continuidade entre entusiasmada directora no consulado de MLR, vereadora do PSD e agora dgae de Nuno Crato.

A ver vamos, diz aqui o míope,mas com esperança muito diminuída, apesar das classificações do CRESAP.

DGAEMLR

A fazer pela vidinha da COTEC, certo?

Pelo menos desde 2009…

Na altura, era bem mais comedido nas suas críticas e crónicas, correcto?

«O responsável número um da nossa desgraça é um banqueiro central»

Daniel Bessa não diz nomes, mas não se inibiu ao comparar Sócrates com o egípcio que comandou o avião sobre as Torres Gémeas.

Página seguinte »