Os Salcedo Troca-Tintas E Benevides Da Conceição


Proença de Carvalho é um exemplo disso. Coitado, já se esqueceu dos seus primeiros e segundos passos.

IMG_8099

Visão, 12 de Março de 2015

Pouco depois de ter concluído o curso, foi colocado como delegado do Procurador da República em Santiago do Cacém. Em 1967 entrou para a Polícia Judiciária como inspetor, cargo que desempenhou durante dois anos.
Após o 25 de abril de 1974, decidiu empenhar-se na política e na comunicação social. Foi militante do Partido Socialista, esteve na direção do Jornal Novo, foi ministro da Comunicação Social do IV Governo Constitucional (novembro de 1978 a julho de 1979), foi presidente da RTP e apresentou um projeto de canal televisivo privado, foi diretor da campanha presidencial de Diogo Freitas do Amaral e, em 1995, o mandatário nacional da candidatura de Aníbal Cavaco Silva à Presidência da República.

Anúncios

… deve ser campanha autárquica.

Fim do travão no IMI pode aumentar imposto da casa até 500%

Por outro lado, razão tinha o PM em não estar consciente das suas obrigações. A mim, apetece-me fazer o mesmo. O problema é que me penhoram logo o salário, mesmo que eu diga que não me enviaram a notificação ou que se extraviou nos Correios (hipótese cada vez mais válida…).

 

Não é tão giro o nosso PR a defender tanto os preceitos constitucionais apenas quando é para se desresponsabilizar do seu papel político, mas já não o fazer quando se trata dos direitos dos outros?

E o que dizer da declaração de que não se deve meter em disputas político-partidárias quando não hesitou em fazê-lo sobre a Grécia?

Não se estaria ele a meter na “vida pessoal” dos contribuintes que poderiam não estar conscientes das suas obrigações?

Fica algo por perceber… António Costa está a assumir que enganou os chineses para defender a imagem de Portugal e fala verdade aos portugueses ou que engana os portugueses para defender a imagem do PS e falou verdade os chineses?

O secretário-geral do PS, António Costa, afirmou-se hoje perplexo com interpretações sobre o seu discurso perante a comunidade chinesa, defendendo que no exercício de funções institucionais junto de investidores estrangeiros tem de transmitir-se uma mensagem de confiança.

Contor

Ex-ministros querem professores sem turmas a apoiar alunos

(…)

O Conselho Nacional de Educação (CNE) quer que as reprovações sejam substituídas por uma aposta no apoio individual aos alunos em risco de chumbar. E os ex-ministros da Educação Roberto Carneiro e Maria de Lurdes Rodrigues concordam que a solução poderá passar por usar os todos os professores do sistema para fazerem esse trabalho.

“Tenho sempre defendido que não temos professores a mais, temos é alunos a menos. Os professores do sistema deviam ser reaproveitados para dar esse apoio aos alunos que têm dificuldades em aprender”, aponta a ex-ministra socialista.

Quanto ao mais… o erro fulcral é achar que quem não tem horário disponível está naturalmente destinado a este tipo de funções.

E se não for assim?

E se a solução passar por colocar estes professores a dar aulas e quem tem mesmo jeito para a coisa a apoiar estes alunos?

 

Costa admite que Portugal está melhor hoje do que há quatro anos

António Costa, secretário-geral do Partido Socialista, reconheceu que o país terá superado a crise e está hoje numa situação “muito diferente” do que em 2011. Tendo em conta o contexto, um elogio ao contributo de investidores chineses para esse percurso, a conclusão só pode ser a de que o líder do PS considera que a evolução nestes quatro anos foi positiva. Foi no passado 19 de Fevereiro, no Casino da Póvoa de Varzim, nas comemorações da entrada no ano da Cabra, segundo o zoodíaco chinês. O líder socialista discursava perante a comunidade chinesa em Portugal e a meio do discurso agradeceu o “contributo” dos chineses na recuperação do País nos últimos quatro anos, isto é, durante a governação de Pedro Passos Coelho.

“Como nós dizemos em Portugal, os amigos são para as ocasiões. E numa ocasião difícil para o País, em que muitos não acreditaram que o país tinha condições para enfrentar e vencer a crise, a verdade é que os chineses, os investidores disseram presente, vieram e deram um grande contributo para que Portugal pudesse estar hoje na situação em que está, bastante diferente daquela que estava há quatro anos atrás. E queria agradecer à China todo o apoio que nos deu e que certamente não esqueceremos e que é um sinal do muito que ainda temos para desenvolver nas relações entre todos nós”.

Página seguinte »