12 Respostas to “O Deserto Da Educação”


  1. Porreiro Pá!!!

    Será que os leitores do Umbigo gostariam duma nova série?
    É que a ministra que veio tomar o lugar da outra “Iznogoud”, é muito inspiradora. Dava uma boa ave do paraíso, mas acho que é ave de arribação e não vai estar pousada no poleiro muito tempo. Está aqui está já em “Novas Aventuras”.

    L+G


  2. #1,
    “O Oásis da Educação”.
    Mas esta até já chega atrasada em relação a alguns episódios calientes, em que poderíamos arranjar um beija-flor e uns cucos pelo meio.

    MAs talvez com um argumento mais “hard”.

    Dp digo-te mais alguma coisa.
    Ainda falta colocar cinco tiras e depois faço o devido destaque.

  3. Alcatrão Says:

    Lindo!!!!
    :lol: :lol:


  4. Como é linda e grande a nossa comPILAção…
    No mundo não tem comparação.
    Só num País como Portugal há tal fauna então
    De ministros e secretários e gentalha tal
    Que governem tão mal
    Neste deserto de ideias total
    Inspirou-se o “Deserto da Educação”
    Que tenham gostado ou odiado é igual
    Depende do ponto de vista e da opinião
    Retome-se ao ponto da desertificação
    E poderemos criar, “O deserto da Nação”

  5. Olinda Says:

    Parabéns, uma vez mais. Vou partilhar no FB.


  6. Obrigado outra vez, Olinda.
    O que é o FB?

    Beijo
    L+G

  7. Helena Fraga Says:

    Estive hoje num lugar onde se falou nas 8 evidências necessárias para
    a avaliação. Pensei que talvez fosse melhor 9 evidências? …
    … parece-me que os professores, de uma maneira geral, estão
    dispostos a andar com as orelhas de burro até ao final do ano lectivo.
    Apercebo-me que até acham que não é assim tão difícil como parecia
    …e é por pouco tempo.
    Eu também penso que, afinal, umas orelhas de burro servem apenas para
    humilhar quem as enfia; visam apenas ferir a sua dignidade. Para quê
    então dramatizar? Estas orelhas de burro até passam despercebidas!
    Chamam-lhe avaliação de professores!
    Depois, o nosso primeiro ministro vai ficar tão feliz, por satisfazer
    o seu desejo de humilhar os professores! Vai sentir-se vitorioso e
    saberá, inclusivamente, transformar isso em mais votos no dia 5 de
    Junho: “A avaliação dos professores foi um sucesso, etc., etc., etc..”
    E o povo, não só votará nele, como até há-de comentar: “Fod…-se, que
    o gajo tem-os no lugar! Vê lá como ele pôs os professores na ordem.
    Agora andam ali direitinhos, com a rédea curta que é para aprenderem o
    que custa a vida.
    No princípio, os gajos fartaram-se de fazer barulho: queriam continuar
    no bem bom, … mas lixaram-se. Olha que agora já nem piam… No
    outro dia fui à escola do meu miúdo, e também pus um professor na
    ordem.”
    Porque será que os professores, como muita gente, acabam sempre por
    satisfazer quem os despreza? A colaborar com o seu carrasco? Há assim
    como que um fascínio oculto?!…
    Claro que o medo também faz a sua parte…
    Aliás, parece que é isso que caracteriza as pessoas ditas normais,
    aqueles que são certinhos, que têm uma vida calma, mais credibilidade,
    etc.
    Realmente custa ser anormal; ser diferente…
    Oiço dizer: “Falta pouco para o ano terminar e com o novo governo tudo
    será diferente?”
    Eu digo: tudo será pior.
    Por que fingimos nós, que nos esquecemos que, nesta luta, era a nossa
    dignidade que se jogava? Por que perdemos a oportunidade de nos
    respeitarmos e de nos fazermos respeitar?
    Deixo aqui uma citação: “… os que sobreviveram ao campo de
    concentração, foram aqueles que recusaram embrutecer à imagem dos
    seus captores e não desistiram da sua humanidade.” GRUEN, 1984


  8. Não que venha muito a propósito, mas aqui fica algo de verdadeiramente educativo e interessante: uma forma de inovar o ensino deste país em http://olabirintoconceptual.blogspot.pt/2012/03/khan-academy-inovacao-no-ensino.html

  9. hef Says:

    Educação um problema que os grandes adoram furar.


  10. Adorei encontrar vocês que buscam um lugar para educadores, leitores, filósofos, libertos. Gostei de ler o que publicam. É difícil ler. Lembrei disso no primeiro dia desse ano de 2014. Para facilitar, ensino que todos podem aprender a ler desde bebê. Aprendi a ler um pouco em casa e depois na escola, no primeiro mês. Desde então, virei leitora voraz. Penso sobre educação e a dificuldade de ser ofertada. Vejam o meu site e divulguem, vários países estão ligados: http://www.aletramentomaterno.org , tem reportagens no You Tube. Há liberdade em sabermos. Livre saber, mesmo presos de algum modo.

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 944 outros seguidores