Um Minuto De Silêncio


Na RTP, Zeinal Bava sai da Oi porque a sua gestão na PT é objecto de enormes desconfianças. Na SIC, demite-se porque está contra a entrada de outros capitais na PT, quase como se fosse um herói patriota.

E os factos?

IMG_6981IMG_6982

Portugal não tem uma estratégia contra a corrupção

Comissão Europeia está preocupada com a corrupção no financiamento partidário e “funcionário públicos eleitos”

Mas não há a teoria transversal ao “espectro politico” de que basta ser “eleito” para ser impoluto, inimputável e acima de qualquer crítica?

A voz do povo não lava as fatinhas, os isaltinos e os valentins melhor do que o melhor dos omos?

Não há movimentos políticos “independentes” baseados no princípio do “foi eleito, é honesto cumó dalai lama?”

por bosta nenhuma, desta vez é politóloga!

Ou não – sem minhoca. Ou outro césar.

… porque o PM desconfia das fugas…

Poiares Maduro recebido com protestos e Grândola em Macedo de Cavaleiros

Ministro diz desconhecer “dúvidas” da troika sobre metas orçamentais.

O ministro-adjunto e do Desenvolvimento Regional foi recebido neste sábado com uma manifestação em Macedo de Cavaleiros. Miguel Poiares Maduro não comentou as razões do protesto e disse desconhecer dúvidas da troika quanto à capacidade do Governo cumprir o corte de 4 mil milhões de euros nas funções dos Estado.

 

Comentadores

Aqui.

Mas há imeeeeensa gente entusiasmada.

Ricardo Rodrigues suspende funções de dirigente do PS

O deputado Ricardo Rodrigues decidiu suspender as suas funções de vice-presidente do grupo parlamentar do PS, na sequência da condenação pelo crime de atentado à liberdade de imprensa no caso do furto dos gravadores quando dava uma entrevista à Sábado, em 2010.

… porque há sempre o sector que defende que 61% é muito mais do que 59% de incapacidade e que tudo isto é passível de determinação científica.

Isenção no cancro só com 60% de incapacidade

“A minha contribuição é criar empregos”

O antigo ministro da Administração Interna de Cavaco Silva considera que a sua solidariedade para com o país é paga através dos impostos mas não se opõe a cortes nas subvenções, adiantou em declarações ao Dinheiro Vivo.

“Não tenho nada a opor que o PSD e o CDS avancem com cortes nas subvenções vitalícias”, começa por dizer Dias Loureiro, acrescentando: “Não me esqueço que a minha contribuição, a minha taxa de solidariedade é paga através dos meus impostos e dos impostos das minhas empresas”.

“Aplico o dinheiro em solidariedade”

O presidente da Comissão Executiva da Mota-Engil, Jorge Coelho considera que a subvenção vitalícia que lhe é atribuída, de 2400 euros, está prevista na lei, mas entende que devido à situação do país os cortes sejam aplicados a esta área também.