Testes Intermédios


Está aqui.

Nas conclusões, há coisa divertidas, desde logo o facto de estar tudo mal em Português, pois parece-me que nada sobra neste diagnóstico negativo:

Dos resultados obtidos ao longo dos quatro anos de aplicação, é importante destacar três áreas em que parece ser necessária uma intervenção mais específica: o domínio da Escrita, nomeadamente ao nível da textualização; o domínio da Gramática; e, tendo em conta as fragilidades na interpretação de alguns tipos de texto, o domínio da Leitura.

9Ano – Preparação Teste Intermédio

Os teste intermédios tiveram resultados muito negativos…

Enquanto testes intermédios e exames forem feitos de acordo com as marés e os gostso particulares dos timoneiros do momento não vale muito a pena comparar seja o que for…

Pub26Fev13

Público, 26 de Fevereiro de 2013

Antes a SPM criticava e a APM acenava.

Virou.

O que acho estranho é ver a ANP metida nisto, quando antes nada dizia de relevante…

“Isto é muito simples: esta prova não serve para avaliar aquilo que foi ensinado nos últimos três anos aos alunos que hoje estão no 9.º ano. O exame nacional – que já deverá estar elaborado – vem na mesma linha? O que é que é suposto professores e alunos fazerem agora, a um mês do exame?”, questiona Raquel Azevedo, da direcção da Associação Nacional de Professores (ANP).

Tanto a direcção desta associação como a da Associação de Professores de Matemática (APM) concordam que, na elaboração do teste, o Gave “ignorou” ou “esqueceu” que o novo programa de Matemática para o ensino básico não foi ainda generalizado ao 9.º ano. “A maior parte dos alunos que agora têm exame fez o 3.º ciclo com base no chamado ‘antigo programa’. A nível do 9.º, o novo só está a ser implementado em escolas-piloto e noutras que se candidataram à sua adopção antecipada”, frisa Elsa Barbosa, da APM.

Teste Intermédio de Matemática, 9º Ano: do 8 ao 80

Teste intermédio de… Filosofia? (parte 1)

Teste intermédio de… Filosofia? (parte 2)

Via João Paulo Maia.

… na própria Escola Pública se a opção for a mesma dos governos anteriores, de criar umas quantas escolas de excelência nos centros já mais favorecidos (para manter a classe média tão cara a Daniel Oliveira), enquanto o resto nem as nuvens fica a ver passar.

A persistência, desde 2009, dos resultados das provas e de um padrão geográfico da sua distribuição que ilustra um país a duas velocidades são as principais notas de destaque do relatório sobre os testes intermédios realizados no ano lectivo 2010/2011, agora divulgado pelo Gabinete de Avaliação Educacional (GAVE)l.

As instruções e calendário: TestesInter2011_12.

Já aqui destaquei uma questão do teste intermédio de 9º ano de Físico-Química que se limitava a ser uma pergunta de recolha de informação e fazer uma subtracção simplérrima. No Blasfémias retomaram essa questão e adicionaram-lhe duas outras muito básicas.

Alertado, fui agora espreitar o teste completo e pasmei. Aquelas questões não são excepção, são a quase regra. Há questões que não testam nenhuma competência específica da disciplina, mas meras competências gerais de recolha de informação e cálculo simples.

A pergunta seguinte poderia ser feita numa prova de aferição de 6º ano de Matemática. Se o contexto temático fosse a de corridas e do tempo que se leva a andar à volta de uma pista, ia dar ao mesmo. Nesta questão está em causa um raciocínio lógico-dedutivo que não tem nada de específico da disciplina de CFQ. Até o facto de se escolher a unidade (ano terrestre) para o cálculo, remete para um nível muito simples de abstracção e cálculo. Aliás, esta pergunta poderia, por hipótese ridícula, inserir-se numa prova de Língua Portuguesa de 6º ano, na parte dedicada à recolha de dados num texto informativo.

Os planetas só lá estão para enfeitar.

… no teste intermédio de Ciências Físico-Químicas. É avaliada alguma competência específica da disciplina? Qualquer das que está identificada deve estar desenvolvida no 2º ciclo, de forma generalista.

Quanto aos conteúdos, há algum que tenha sido abordado? Não conheço o programa… 👿