TEIP


O Arlindo começou a mostrar os abusos e excessos na formação de turmas (entretanto diz-se que vai ser desdobrada) que estão marcar o arranque deste ano lectivo.

Confesso que o que mais me choca a mim é o que anda a ser feito com os alunos com NEE e turmas em que estão inseridos, em escolas TEIP ou “regulares”.

Há casos de bradar aos céus, mas as pessoas receiam falar, enviar cópia dos documentos ou, se enviam, que possam ser divulgados, pois o medo e está bem vigoroso nas escolas, em especial algumas marcadas por lideranças fortes, estilo moderno.

São coisas de que se toma conhecimento, se deita as mãos à cabeça e se percebe o quanto tudo isto entrou em roda livre.

Porque os principais prejudicados são os alunos mais vulneráveis.

Mas os ajustamentos são assim. Fazem vítimas indiscriminadamente.

Pais dizem que há crianças sem escola

O “corte cego” do número de turmas deixou filhos sem escola, acusa Federação Regional de Lisboa das Associações de Pais. MEC assegura que “nenhum aluno ficará sem turma atribuída”.

E eu que pensava que a coisa tinha sido torpedeada pelos abusos e desmandos das contratações manhosas…

IMG_0940

O que está no despacho normativo 20/2012 é que se acede por convite. Se é possível aceder de outras formas, ainda se torna tudo menos claro…

Outra coisa que não se percebe… se é para arrancarem este ano, já arrancaram ou vão arrancando?

Fica por aqui: TEIP 3 Apresenta.

Que melhor processo para… enfim… consolidar… a arbitrariedade?

E vivam a ótonomia e coiso.

A descentralização das decisões, queria eu dizer.

Há outras coisas divertidas, mas… nada como a descoberta desorientada.

Despacho normativo n.º 20/2012

(…)

Artigo 6.º
Acesso ao Programa
Integram o Programa TEIP3 os agrupamentos de escolas e escolas não agrupadas que acedam ao convite da Direção -Geral de Educação (DGE), formulado com base na análise dos indicadores de desempenho e características sociais do meio envolvente da escola.

Artigo 7.º
Coordenação do Programa
1 — Cabe à DGE assegurar a coordenação do Programa, devendo esta, no âmbito das suas atribuições:
a) Convidar os agrupamentos de escolas e escolas não agrupadas a integrarem o Programa TEIP3;

Recebida através de mail da colega Helena Fraga:

RECLAMAÇÃO DA ATRIBUIÇÃO DE HORÁRIOS EM OFERTA DE ESCOLA TEIP.

  1. Em entrevista à Judite de Sousa, o ministro da educação garantiu que não irá permitir nenhuma situação de amiguismo na colocação de professores. Mais, deu a sua palavra de que nenhuma reclamação ficará sem resposta
  1. Depois de observamos algumas colocações em oferta de escola TEIP, salta à vista a existência horários atribuídos a candidatos que, de forma alguma, parecem reunir os critérios e subcritérios exigidos pelo concurso.
  1. Estranhamos como foram selecionados, em detrimento de grande número de outros candidatos, muitíssimo melhor colocados.
  1. Em conformidade com o que dissemos, resolvemos solicitar auditorias a um conjunto de situações pouco ou nada transparentes.
  1. Os dados recolhidos referem-se apenas a cerca de 50% dos horários a concurso, nos grupos 320 (Francês) e 300 (Português).
  1. Se as anomalias desta pequena amostra se generalizarem a todos os horários dos outros grupos, tememos que o “compadrio”, a “cunha” e o “amiguismo” não sejam um mero acidente, mas uma prática que está bastante enraizada.
  1. Se algumas atribuições nos parecem ser aceitáveis, se bem que discutíveis, devido a critérios estabelecidos visando encaixar no perfil do “escolhido, um número razoável revelam uma anomalia gritante. Assim, decidimos chamar a atenção, para os casos seguintes:
  1. Os candidatos assinalados a vermelho concorrem na Prioridade 2 , na lista definitiva de graduação nacional. Significa que nos dois últimos anos não lecionaram no ensino público.

Caso tenham lecionado no ensino particular, colocamos as questões:

1º Como podem satisfazer os critérios específicos das escolas;

2ºComo pode o sistema garantir a sua graduação profissional?

3ºO número de ordem da lista nacional não se sobrepõe à graduação profissional e a prioridade 1 não é superior à prioridade 2?

  1. Os candidatos assinalados a amarelo não lecionaram no ano letivo anterior . Além disso, a sua graduação profissional diz-nos que têm poucos anos de experiência de ensino. Porque não foram escolhidos candidatos com 10 e 15 anos de serviço?
  1. Além destes casos, detetamos ainda outras situações pouco claras.
  1. Em muitas escolas não tivemos e não temos acesso à listas aí ordenadas.

Aparecem nomes nas listas da escola que não constam da lista de ordenação nacional. (**171037 – No Agrupamento de Escolas Ordem de S.Tiago, a número 1 da lista dos horários do 320 -Francês: 5372534516; Maria Isabella Celestina, (G. Profissional: 30,910; C. Profissional 18,910)

Nos horários do Agrupamento de Vialonga, todos os candidatos selecionados estão bastante abaixo na lista nacional.

O candidato que está colocado como nº1, grupo 300, no A. E. Ordem de Santiago, também está na prioridade 2, e tem o nº de ordem 4560.

  1. Devido a todas estas evidências, pedimos a averiguação rigorosa de todos estes casos.

Anexo: RECLAMAÇÃO ATRIBUIÇÃO HORÁRIOS OFERTA DE ESCOLA TEIP

Página seguinte »