Sondagens


Intenções de voto no PS caem pelo sexto mês e PSD fica abaixo dos 30%

Greek Polls Give Radical Syriza Party A Solid Lead Before Sunday’s Election

Em especial se incluir os que não têm opinião.

88% dos portugueses não confia no Governo

Mas agora com o homem de confiança do Paulo na Economia vai ser tudo uma maravilha… vai ser espuma todos os dias.

 

2013 Edelman Trust Barometer: Executive Summary

.

Dados globais: 2013edelmantrustbarometerglobal.

Sondagem ou propaganda?

Por acaso tenho notado que há mudanças curiosas no fluxo de encomendas de sondagens. Há menos e há altos e baixos, conforme…

A de 2ª feira, já fechada, teve os seguintes resultados, que parecem bastante claros. Pode não ser científica mas, vamos lá ser francos, nenhuma em qualquer site de jornal o é e mesmo as que são bem pagas levantam as dúvidas que sabemos. Ao menos eu bloqueei as votações repetidas que usem cookie ou o mesmo IP.

Esta vale o que vale, mas certamente vale mais do que nada.

Quanto à de ontem, ainda está activa, mas também começa a não deixar grandes dúvidas. Nem saudosismo, nem adesão à presente situação.

Não deixa de ser sintomático de um profundo descrédito por qualquer alternativa visível, que quase metade dos que exprimiram opinião até agora tenha escolhido a opção “Ninguém”.

Aqui ficam os resultados ao fim de um dia de votação na sondagem tripla colocada aqui ontem.

Quanto à situação profissional, quer-me parecer que a distribuição é capaz de estar bem próxima da que existe nas escolas. Cerca de dois terços de professores “efectivos” (na terminologia antiga) e três quartos dos “quadros”, incluindo os QZP. O valor de 22,5% para os contratados revela que perto de um quarto dos professores está em situação precária. Muito precária mesmo.

Quanto à leitura do documento acordado entre MEC e alguns sindicatos confesso que os valores são um pouco surpreendentes, embora se possa considerar que quem anda pela blogosfera tem mais interesse e apetência pela informação, pelo que os quase 40% que afirmam ter lido mesmo o documento (a proporção foi descendo ao longo do dia) seja claramente acima do que se passa efectivamente nas escolas.

Quanto à opinião sobre o documento em si, há uma divisão evidente, embora praticamente ninguém o considere excelente e muita gente admita não ter formado ainda uma opinião.

Perto de 40% (212) consideram que o regulamento é bom ou sofrível e valor muito semelhante acha que é medíocre ou mau (214). De qualquer modo a diferença entre a opção pelo “mau” e pelo “excelente” revela que a balança pende claramente para uma apreciação menos positiva.

Resultados até agora da sondagem colocada aqui ontem:

Resultados de uma sondagem para o Correio da Manhã:

Quatro em dez pensam que Passos Coelho governa pior que Sócrates

O barómetro mensal CM/Aximage indica que 38,8 por cento dos portugueses consideram que o Executivo de Passo Coelho vai governar pior do que o anterior, liderado por José Sócrates. Há ainda 33,4 por cento que responderam ‘igual’, 22,6 por cento afirmaram que governará ‘melhor’ e 5,2 por cento não têm opinião.

Na RTP, no noticiário, apresentavam-se os resultados de uma sondagem que o PSD sobe para 36% e o PS desce para 31%, cavando-se um fosso que começa a escapar ao empate técnico.

O curioso é que a linha ascendente era de um cor rosa avermelhado e a linha descendente era alaranjada.

Calhou assim

PS cada vez mais perto… da oposição

Sétima sondagem diária da Eurosondagem mostra o acentuar da descolagem do PSD na liderança das intenções de voto.

Intenções de voto e resultados eleitorais

PSD dispara para 39,6%, PS cai para 33,2% e é desfeito o empate técnico

Depois das últimas que fui ouvindo por estes dias, em que tudo é possível, ma igualmente o seu contrário, vou fazer um período de nojo até que pareça que vale a pena olhar para elas. Irei espreitando o Margens de Erro, o único blogue que as analisa enquanto objectos de estudo e não como arma política.

Posts a ler no Margens de Erro:

Aqui vamos nós

Gráfico actualizado

Boa tarde, Paulo!

Deixe-me felicitá-lo pelo seu blog, que sigo diariamente.
Sou professora há 32 anos e vou resistindo, diariamente, na minha escola, a este ataque continuado à nossa classe.
Fui a todas as manifestações, fiz todas as greves e sofri a maior desilusão aquando da assinatura do acordo ME/sindicatos e do que se lhe seguiu.
É na escola que continuo a lutar. Sou relatora mas não marquei aulas assistidas com os meus colegas, levantando sempre novos problemas junto da CCAD e fazendo, com os outros relatores, emperrar o processo.
Claro que ando empolgada com os últimos acontecimentos!
Quando vi no seu mail que havia um inquérito sobre a suspensão da ADD, divulguei logo junto dos meus contactos.
Votei e acompanhei a votação e, hoje, para espanto meu, verifico que o excel do JN funciona muito mal! Com uma simples calculadora comprovei isso.
Envio, em anexo, para que veja.
C.E.

Acertou-se nos intuitos do engenheiro, ao mesmo tempo que se percebia o nível de desvinculação geral com ele.

Predomina novamente a irritação profunda com a criatura e o desejo de que, não se demitindo, seja posto a andar à força.

Eu acho que em tempos de austeridade, alguém deve ser mãos largas e dar ao povo possível a palavra possível sobre o que é possível fazer neste país impossível.

Vá lá, de uma vez só, uma catrefada de consultas, só para perceber o ânimo da malta.

Página seguinte »