Santo Onofre


E SANTO ONOFRE? (07)

JÁ NÃO MUDO

e santo onofre? (02)

Ontem aludi aqui ao caso de Santo Onofre, em que o recém formado Conselho Geral Transitório escolheu – pelos dados que me chegam – por 15 votos em 20 o representante que o Ministério da Educação lá colocou quando decidiu destituir os órgãos de gestão democraticamente eleitos.

Dos restantes 5 votos, 3 foram em branco e 2 na anterior PCE.

Isto significa que, independentemente da correlação de forças entre docentes e não docentes no CGT, o próprio corpo docente validou a escolha do CAP para director do Agrupamento, que agora tem a legitimidade de uma escolha/eleição com 75% dos votos.

Confesso que para mim, que me envolvi um pouco mais do que o normal neste caso, esta é uma derrota simbólica enorme que não oculto e uma desilusão à mesma escala.

Afinal esta escolha acaba por validar a intervenção do ME pois, perante a opção entre o actual CAP, a ex-PCE e uma terceira opção, a comunidade educativa optou pelo CAP, apesar de tudo aquilo que swe sabe sobre o funcionamento do agrupamento na preparação deste ano lectivo e sobre a sua própria tentativa de demissão na mesma altura.

Já não estou em idade para voltar a acreditar na coerência humana, muito menos na sua capacidade para manter uma resistência continuada e firme em situação de extrema adversidade. O que até nem era este caso. Neste caso, houve a hipótese de demonstrar que aqueles protestos que marcaram boa parte deste ano tinham fundamento e consequências.

Mas não.

Perante a opção feita, acho que não haverá muito mais a protestar ou a fazer.

E perante isto não há que ter muitas esperanças sobre muitas outras coisas.

Quando as batalhas à micro-escala se perdem assim, o que pensar do resto?

Não é derrotismo, ou resignação, apenas a necessidade de ter a percepção da capacidade das tropas que clamam por guerra, mas depois…

Segundo o Paulo, em Santo Onofre deu-se algo que só prova que eu faço bem em retornar ao meu velho cepticismo quanto à verticalidade de muita gente, que tem tanto de generosa impulsividade como de acomodamento estratégico.

Objectivamente, uma derrota simbólica enorme para quem acreditou.

Adenda: Post do Rui no Verbário sobre o mesmo assunto e o resultado da eleição para director: 15 em 20 votos para o ex-CAP. Afinal, tanto barulho para nada…

Enquanto o caos se torna a normalidade quotidiana, o Paulo tenta extrair-lhe um sentido. Ou não:

uma hermenêutica do caso de santo onofre

tribunal nega provimento ao recurso do ce de Santo Onofre

o momento na luta jurídica em santo onofre

CAP de Santo Onofre mantém-se em funções

A Comissão Administrativa Provisória (CAP) do Agrupamento de Escolas de Santo Onofre mantém-se em funções durante o próximo ano lectivo. O presidente pôs o seu lugar à disposição do director regional de educação, que decidiu não mexer na equipa, tendo apenas um dos quatro elementos da equipa pedido a sua demissão no passado mês de Agosto.

Carlos Almeida, o presidente da CAP, esclarece ter, antes do início de mais um ano lectivo, decidido colocar o seu lugar à disposição “atendendo a todo o clima que se vivia na escola”, motivado pela destituição do Conselho Executivo e posterior nomeação do órgão que preside.

A providência cautelar interposta pelos professores para que as funções da CAP fossem suspensas e o Conselho Executivo retomasse o mandato interrompido foi indeferida pelo Tribunal. “Em termos jurídicos o problema ficou resolvido, mas eu quis dar a possibilidade ao sr. director regional da educação de poder fazer o que entendesse para o início de outro ano lectivo”, explica o professor. Em resposta, “o que ele disse foi que não iria demitir-me porque havia um ano lectivo para preparar e não fazia sentido nenhum estarmos a sair naquela altura do ano”.

Atenção que está ainda por decidir a acção principal, que é o mais importante neste processo.

Entretanto temos aqui um belo exercício de imaginação e ficção sobre um tema parecido.

mas que grande trapalhada

Complemento: artigo na Gazeta das Caldas.

Com indesculpável atraso:

tinha escrito que voltaria ao assunto

Sonofre21

Também já chegava de lamúrias. E o homem precisa de férias. Espreitar aqui.

Com data de ontem, domingo (?), foi indeferido o pedido de providência cautelar da nomeação de uma CAP para o Agrupamento de Escolas de Santo Onofre.

Estive a ler as treze páginas da decisão (ProvCautSantOnofre) e chego à conclusão que foi uma decisão algo política, pois remete para a acção principal a avaliação dos méritos dos direitos a acautelar pelos requerentes (cf p. 10) e afirma que as alegações por aqueles feitas são vagas e abstractas (p. 11).

No entanto a decisão parece-me ferida de uma evidente incongruência mesmo no final da página 11 quando afirma que a concessão da providência cautelar traria perturbações à preparação do novo ano escolar.

PCSOnofre

Ora o que me parece que está a acontecer é exactamente o inverso: todos os elementos recolhidos apontam para a total paralisia da acção da CAP de Santo Onofre no sentido da preparação do ano lectivo de 2009/10, paralisia essa que irradia do topo e que a própria DRELVT parece já reconhecer. Tudo aquilo que a juíza alega para não conceder a providência cautelar é exactamente o que deveria fundamentar a sua concessão.

Resta agora demonstrar isso na reacção dos requerentes a esta decisão. Que sem ser de forma vaga e abstracta demonstrem tudo o que não está a ser feito e como está comprometiudo o arranque em condições normaios do próximo ano lectivo. Porque há prazos para certas fases dessa preparação e ao que parece…

luta jurídica em santo onofre (2)

Depois dos professores, alunos manifestaram-se na EB de Sto. Onofre

Se tivermos um problema, a quem nos queixamos?” Esta foi uma das perguntas que os estudantes da Escola Básica 1,2,3 de Santo Onofre fizeram na manifestação que levaram a cabo no passado dia 22 de Abril em frente à escola. Pergunta que ficou sem resposta, pois mais uma vez a recentemente empossada Comissão Administrativa Provisória (CAP) não apareceu.

Depois dos professores e pessoal não docente do Agrupamento de Santo Onofre, foi agora a vez de cerca de 250 alunos mostrarem a sua indignação pelo afastamento compulsivo do antigo Conselho Executivo do agrupamento. Mas os estudantes foram mais longe e não hesitaram em pedir a demissão da CAP.

Numa concentração organizada pelos próprios alunos, que fizeram passar um papel pelas várias salas de aulas a apelarem à mobilização, ficou bem expresso o carinho que os mais novos têm pelos professores afastados do cargo. Muitas vezes os seus nomes foram entusiasticamente entoados entre as já habituais palavras de ordem como “Alunos unidos, jamais serão vencidos” e um original “O orgulho da EBI somos nós”.

Continua aqui

crcr2-11cr2-10cr3-13cr3-1cr3-46cr3-52cr3-55

Fotos da Mariazeca

De Fracos Recursos Se Faz História

Ou o registo vídeo de um dos momentos vividos nas Caldas, no passado sábado. Eu já tenho por aqui vídeo mais alongado, mas acho que vai custar a caber no Youtube. Mas irei tentar… isso eu prometo…

Anoto ainda, como alguém me fez reparar, um certo e determinado sobre Santo Onofre por estes dias…

caldas1caldas2caldas3caldas4

A parte grata e gratificante, mas embaraçosa para um neófito habituado apenas a autografar fichas de avaliação.

Porque foi antes de mais um acto de amizade.

guinote25abrilcaldas15guinote25abrilcaldas18guinote25abrilcaldas17guinote25abrilcaldas25

Página seguinte »