Reajustando…


Escolas vão contratar mais psicólogos neste ano lectivo

Ministério da Educação diz que 71% das escolas ou agrupamentos ficam com pelo menos um técnico de psicologia com horário completo.

If that high world, which lies beyond

Our own, surviving Love endears;

If there the cherish’d heart be fond,

The eye the same, except in tears —

How welcome those untrodden spheres !

How sweet this very hour to die !

To soar from earth and find all fears

Lost in thy light — Eternity !
 

It must be so:  ‘tis not for self

That we so tremble on the brink;

And striving to o’erleap the gulf,

Yet cling to Being’s severing link.

Oh !   in that future let us think

To hold each heart the heart that shares;

With them the immortal waters drink,

And soul in soul grow deathless theirs !

 

[Lord Byron] If …

… só dou aulas pelo fuso horário das Antas.

Mais aqui.

Faltava ontem…

(c) João Januário

Documento completo: RevEstCurric26Mar12.

Está aqui.

Só me interessa mesmo esta parte do artigo 48:

e) As menções de Excelente e Muito Bom não constituem elementos de bonificação no concurso de professores.

Só por esta alínea, vale o raio da alteração.

O resto é principalmente para acomodar o novo (?) modelo de ADD:

Acho estranha a velocidade imutável da conclusão, sobretudo a plexada.

Mais décima, menos décima, o que se sente no bolso comum é muito mais do que isso.

INE refez contas e constatou recessão mais profunda

E quando re-re-refizerem as contas?

Já recebi várias vezes o que passa por ser uma nova versão do ECD proposta pelo MEC. Sinceramente já não sei se é diferente em algo de fundamental (a questão do vínculo?) que não resulte do acordo sobre a ADD. Fica aqui: ECD25Nov2011.

“Acabar com a história e a geografia no 3º ciclo só por cima do meu cadáver”, diz Crato

O ministro da Educação, Nuno Crato, garante que o Governo não vai acabar com as disciplinas de História e Geografia no 3º ciclo do ensino básico.

De: Direcção (DREN) <drendirec@dren.min-edu.pt>
Data: 29 de setembro de 2011 12:39
Assunto: FW: Alteração de modo e prazos da Avaliação de Directores – Texto de Portaria Conjunta a publicar
Para:

Exmo(a) Senhor (a)Director(a) /Presidente da CAP/ Gestora

Junto envio texto da Portaria Conjunta enviada para publicação relativa ao assunto referido em epígrafe.

João Grancho

Director Regional
Direcção Regional de Educação do Norte
Rua António Carneiro, 98 – 4349-003 Porto
Tlf. 225191900

 

PORTARIA

No âmbito do sistema integrado de gestão e avaliação do desempenho na Administração Pública (SIADAP), regulado na Lei n.º 66-B/2007, de 28 de Dezembro, a Portaria n.º 1333/2010, de 31 de Dezembro que estabelece as regras aplicáveis à avaliação de desempenho dos docentes que exercem funções de gestão e administração em estabelecimentos públicos de educação e nos centros de formação de associações de escolas, promoveu as necessárias adaptações às exigências do Estatuto da Carreira Docente dos Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário, designadamente no que concerne à compatibilização da calendarização dos seus procedimentos ao ano escolar.

Considerando que a tomada de posse do XIX Governo Constitucional ocorreu no dia 21 de Junho, constituindo primordial preocupação garantir o normal funcionamento das instituições educativas de modo a que no calendário já estabelecido fosse assegurada, como previsto, a abertura do ano lectivo, tornou-se necessário estabelecer prioridades na intervenção e funcionamento das estruturas deste Ministério.

Assim, o modo e os prazos previstos na disposição transitória do artigo 14.º da portaria acima identificada são prejudicados em razão da imperiosa satisfação de tais prioridades.

Visando garantir a necessária tranquilidade no início do presente ano lectivo e a desejável reflexão indispensável na realização dos procedimentos preparatórios pelo Conselho Coordenador da Avaliação e do relatório de auto-avaliação a apresentar pelo avaliado ao avaliador, assim como, a exigível e criteriosa ponderação do avaliador na apreciação do perfil e do trabalho realizado com vista à fixação do quantum avaliativo, determina-se, a título excepcional, que a avaliação a realizar conforme o artigo 14.º é por ponderação, seguindo elementos referidos no n.º1, sendo correspondentemente alterados os prazos identificados nas alíneas b), c) e d) do n.º5 do mesmo artigo e aditada a alínea d) do n.º 2.

Assim, ao abrigo do disposto no n.º 3 do artigo 3.º da Lei n.º 66-B/2007, de 28 de Dezembro e n.º 4 do artigo 9.º e artigo 31.º do Decreto Regulamentar n.º 2/2010, de 23 de Junho, ouvidos o Conselho de Escolas e associações representativas dos dirigentes de escolas, manda o Governo, a título excepcional, pelos Secretários de Estado da Administração Pública e do Ensino e da Administração Escolar, o seguinte:

Artigo 1.º
Alterações
Os números 1 e 2 e as alíneas b), c) e d)do n.º5, todos do artigo 14.º da Portaria n.º 1333/2010, de 31 de Dezembro passam a ter a seguinte redacção:
Artigo 14.º
Disposições transitórias
1 — A avaliação de desempenho dos docentes referidos no artigo 2.º relativa ao ciclo 2009 – 2011, faz-se mediante ponderação efectuada pelo avaliador que tiver competência para avaliar no momento da realização da avaliação, considerando os seguintes elementos:
a)………….
b) …………
c) …………
2 — ………
a) …………
b) …………
c) …………
d) Cabe ao Conselho Coordenador da Avaliação definir as grelhas de adequação dos elementos de avaliação à respectiva ponderação‖.
3 — ………
4 — ………
5 — ………
a) …………
b) Apresentação, pelo avaliado, dos elementos referidos no n.º 1, até 30 de Outubro de 2011;
c) Avaliação e comunicação final ao avaliado, até 30 de Novembro de 2011;
d) Conclusão do procedimento, incluindo os prazos de exercício impugnatório, até 31 de Janeiro
de 2012‖.

Artigo 2.º
Entrada em vigor
A presente portaria entra em vigor no dia seguinte à sua publicação.

Projecto de Despacho da ADD revisto (29 de Agosto)

Muita coisa acrescentada ou alterada, mas pouca coisa de fundamental. No essencial corrigiram-se defeitos técnicos óbvios da proposta anterior e esclarecem-se questões como o peso relativo de cada dimensão da avaliação final (70% quando há aulas assistidas é muito…). A bolsa de avaliadores externos passa a ser regulamentada em diploma próprio.

Maior alteração: já toda a gente é avaliada, pelo menos formalmente com um relatório mais pequeno que o do ECD de 98. Chama-se procedimento especial de avaliação (artigo 20º).

Afinal… tinha razão?

Depois há outras alterações medianas como a extensão do projecto docente e o que se deve, anualmente, encaixar no RAA.

Revê a organização curricular dos 2.º e 3.º ciclos do ensino básico, procedendo à quarta alteração do Decreto-Lei n.º 6/2001, de 18 de Janeiro

Matrizes comparadas do 2.º e 3.º ciclo

51% favorável, quase 35% nem por isso. O resto não sabe.

Selecção com várias perspectivas  a partir da recolha do Livresco.

  • No trabalho na sala de aulas de alunos e professores.
  • Em torno do conhecimento a transmitir e das aptidões a desenvolver.
  • Na relação pedagógica que permite a propagação de aprendizagens significativas e cientificamente correctas.
  • Na verificação de que isso se passa. Que cada um cumpre aquilo que é suposto estar a fazer numa Escola.

Eu acho que concordo.

Claro que há quem ache que tudo deve ser muito fofinho. Mas só fofinho não chega.

Globalmente positiva, por ser adequadamente minimal e deixar para mais tarde uma reforma a sério.

Principal discordância: a excessiva concentração de horas na Matemática e Língua Portuguesa não é necessariamente um bem. Mais não significa melhor. Há que alterar algo para além de mais horas.

Até pode ser contraproducente. Uma pessoa tanto morre de uma overdose de medicamentos como de não os tomar. Há é que dar com a posologia certa, nos horários correctos e com o diagnóstico adequadamente feito.

No meu escasso entendimento, o desaparecimento da Área de Projecto deveria ter dado origem a duas horas a distribuir, ano a ano, ao critério das escolas, pelas diversas disciplinas (Inglês e HGP no 5º, Ciências e Musical nº 6º, Geografia e Ed. Física nº 7º, etc, etc).

A manutenção do Estudo Acompanhado em par pedagógico é algo que não esperava. Pensei que o bloco seria partido em duas aulas de 45, confesso.

Não é uma grande reforma que transforme o currículo? Não.

É a reforma possível, nesta altura do ano? Sim.

Quanto aos que, sendo contra as ACND, em especial a AP, agora lamentam que os seus grupos ficam a perder, deixo-lhes uma ligeira pergunta insidiosa: também são dos que clamam contra a ADD publicamente, mas depois vão ao sindicato saber se a coisa acaba ou permanece, para que tanto trabalho que tiveram a fazer os porta-folhas não se perca sem asterisco?

Página seguinte »