Post Cifrado


 

Aquela questão das carruagens foi demais, meu! Soube-se que o gabinete de advogados que tratou das questões técnicas – indicou a bitola errada! Conforto, qual conforto?

 

… em que a maldade humana parece ser o que predomina em certos espíritos, a par da mentira, da tentativa de manipulação e da vontade de fazer o mal a outrem por não se ter mais nada dentro que valha a pena.

Não sei se esperava, como encarregado de educação, ter de aguentar aquilo que nunca aguentei como professor, de certas criaturas que a natureza fez com que progenitassem contra todo o bom senso. E depois percebe-se que os rebentos não podiam ser de outra forma, pois a cepa original já estava estragada.

 

Ainda há quem ande por aí com falta de bicarbonato de sódio e não sou eu, pois tenho um estômago resiliente e activo.

A seu tempo, a seu tempo. Não há pressa.

O resultado de dividir por um é o valor original.

Mas há gente tão inteligente, NÉÉÉÉÉ…

Na rede, a escorregar por ela, outros a quererem ir a banhos, outros a querer uma luta permanente desde que não seja já agora. E depois há os que, como eu aqui, falam de qualquer coisa, não a nomeando directamente, não vá a palavra maldita queimar-lhes a língua ou os dedos. Isso e a exibição de pergaminhos de luta imensa no poial da escada, fumando ao luar encoberto, provocam um certo sorriso. Sim, a luta tem donos. São eles, felizmente, que aqui ninguém quer tirar nada a quem já pouco tem. Se nem réstia de humor conseguem encontrar fora do formato… só mesmo a velinha do incenso…

… a Educação em Portugal não será a mesma…

Página seguinte »