Porreiro


vsoca“visitar jogadores que perderam já se tornou um hábito…”

 

se a PT conseguir instalar-me um telefone fixo no século XXI, tal como enviado por SMS – a primeira pessoa a aturar-me será o Guinote.

Coisa nunca ouvida.

Ao que parece ninguém perdeu.
Nem Assis, nem o Governo.
Até porque isto só serve para empatar.
Ainda se fosse o Professor Pardal…

 

Iniciativa entra no TC dia 27. Vejam lá como vai isso escrito…

Vá Para Casa, Que A Gente Contacta-o

Para desenjoar (ver os bonecos, ignorar a estória) compro de quando em vez uns comics da DC e Marvel que cá chegam vindos do Brasil com o preço de 3,30€ para “Portugal”. Esqueceram-se do “Continental”. Por aqui, com marcador, a distribuidora, ou sei lá quem, marca a azul berrante “4,35”.

E mai’nada, que Portugal é só até Olivença.

São os tempos. Antes chegava-se ao Governo depois de demonstrar compoetência na vida profissional. Agora vai-se para o Governo e depois é que se arranja uma boa colocação profissional. Se possível em empresa ligada ao sector de actividade tutelado.

Mário Lino estudado para chairman da Cimpor

Em dia de colocação de professores, os três canais de televisão – incluindo o de serviço público – abrem os noticiários com a apresentação de um futebolista, português é certo, num clube estrangeiro.

Já desisti de esperar que algo de verdadeiro nasça disto tudo. Alguém escreveu, muito acertadamente, que daqui por uns tempos todos se esquecerão disto e ninguém se preocupará com a verdade dos factos.

  • Há uns dias era o inglês a dizer que, afinal, disse que pediu dinheiro mas que era tudo para facturar mais e que não pagou nada a ninguém como dissera antes.
  • O tio também apareceu há uns tempos a dizer umas coisas que não se perceberam bem, mas sorriu muito e não pareceu preocupado.
  • Hoje, no Expresso, o primo diz que invocou o nome, admitindo que lhe disse que ia falar com as pessoas, mas que no Natal pede desculpa e não se fala mais nisso.
  • O eurojusto, neste caso no Sol, diz que também invocou nomes, que foi indevidamente, mas que daí não deve vir mal ao mundo, porque não era recado dos próprios.

Ora bem, eu aceito que tudo isto é verdade e que o nosso PM é inocente de tudo o que fizeram em nome dele. É estranho que tanta gente usasse o nome dele para tanta coisa, mas os azares familiares e as coincidências acontecem.

Agora também é verdade que, sendo assim, estas três pessoas cometeram actos indevidos – até podemos debater se com ou sem dolo – e todos eles deveriam estar sujeitos a um qualquer tipo de consequência.

Mas parece que não. O inglês tem tido que fazer umas deslocações à polícia, mas não parece muito aflito. O primo diz que se o quisessem achar era fácil. O eurojusto, já objecto do arquivamento de um caso meio duvidoso, parece estar seguro que no actual poleiro ou em outro, o seu futuro não está minimamente ameaçado. Basta ver como o episódio felgueirense antecedeu a ascensão europeia da carreira. Sem nexo causal, obviamente. Apenas foi mais uma coincidência das que acontecem.

Qualquer português compreende isso.

Portanto, Portugal mais a sua forma pantanosa de funcionar, que até os mais acomodados afasta quando chegam ao topo, estão em pleno.

A bem da Nação.

omo2

Farmácias acusam Vital Moreira de “fazer fretes às multinacionais”

O cabeça-de-lista do PS às eleições europeias, Vital Moreira, é o autor de um parecer encomendado pelos laboratórios farmacêuticos que sustenta existir uma violação das leis da concorrência por parte da Associação Nacional de Farmácias (ANF).

O documento jurídico foi pedido pela Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica (Apifarma). E serve de base à queixa apresentada pelos laboratório contra a associação liderada por João Cordeiro junto da Autoridade da Concorrência (AdC), que deu origem a uma investigação em curso.

A Apifarma confirma que recorreu a Vital Moreira, mas garante que o parecer foi encomendado a 17 de Fevereiro, antes de este ser candidato a deputado europeu pelo PS. “A escolha é natural, já que se trata de um constitucionalista com conhecimento da matéria.” Contudo, fonte oficial da ANF acusa Vital Moreira de “estar a fazer um frete às multinacionais farmacêuticas, num momento em que é candidato europeu, em desfavor de 2500 pequenas e médias empresas que são as farmácias portuguesas”. Vital torna-se mais uma arma na guerra entre farmácias e laboratórios.

“Elaborei um parecer, que está preparado, para a Apifarma sobre a participação da ANF na distribuição, importação e fabrico de medicamentos”, confirma Vital Moreira ao i. Porém, rejeita “qualquer interpretação política deste facto”. “Dei o parecer como jurista e não como candidato. É um parecer exclusivamente jurídico, foi pedido antes de qualquer candidatura, e a minha posição política sobre o assunto é irrelevante”, afirma.

O que acharão disto aqueles comentadores residentes que tanto bateram nuns certos e determinados pareceres?

Lugar à mesa de Sócrates cria confusão em Cabo Verde

O último jantar da comitiva do primeiro-ministro em Cabo Verde acabou em polémica entre o ministro da Administração Interna, Rui Pereira, e uma jornalista da Rádio Renascença. O episódio foi ontem contado pela própria, Dina Soares, no blogue escoladelavores.blogspot.com, onde relata a forma como foi convidada a sair do seu lugar, à esquerda de José Sócrates, por um empregado de mesa, para o ministro ali se sentar. Versão negada por Rui Pereira no mesmo blogue, que afirma ter sido convidado pelo próprio chefe de Governo para um lugar que se encontrava vago.

Post com o relato original.

Administração apura perdas no BPN de 1800 milhões

Anote-se que é um banco privado, nem vale a pena falar da nata política que por lá passou e resta saber se não ficou ainda com mais nata durante a passagem, e que as críticas que sempre ouvimos é sobre a má gestão da coisa pública.

O problema é que vai ser a coisa pública que irá tapar o buraco, enquanto alguns pobre acham que um professor ao fim de 30 anos de carreira ganhar 3000 euros brutos (pouco mais de 2000 líquidos) é que leva a Pátria á fal~encia.

São perspectivas.

Agora falta apurar, com rigor, o buraco do BPP.

O desaparecimento, pelo menos em espaço visível no site da Fenprof, daquele texto desnecessário. Agora só falta mudarem o guião a alguns delegados sindicais e não se armarem em donos esxlusivos da razão.