Pornografia


O primeiro link é só para demonstrar que sei ler porno em alemão:

Katholische Kirche macht mit Pornos ein Vermögen

Agora a evolução do caso:

Here’s How The Catholic Church Is Profiting In The German Erotic Novel Industry

German Catholic Church Pulls Out Of Porn Publishing

Acho especialmente interessante na foto que acompanha estas peças a promoção encapotada ao que nos chama naturalmente mais a atenção, aquela traseira de um Polo, Lupo ou uma qualquer carrinha lá ao fundo.

Entretanto, por cá ainda parece que não deram pelo desfecho final do processo.

Não sei se diga ao PS, se ao seu líder, se a ambos, se à parvoíce, se às desculpas, se a este jogo de espelhos de terceira ou quarta categoria em que se tornou a nossa vida política.

Uns não queriam fazer, mas…fazem, porque não sei quê.

Os outros queriam fazer, mas… não fazem, porque não sei o que mais.

Shit! Porque merd@ para isto parece que fica mal…

 

 

Porno, mas com classe

A internet criou o gigantesco mercado de filmes caseiros, mas, em simultâneo, a pornografia chegou à maturidade noutras indústrias. Estará o sexo a ficar democrático?

… para além de qualquer avaliação de desempenho a fingir ou abuso na exploração do trabalho docente é a retirada de meios aos mais carenciados e vulneráveis com pretextos absolutamente materialistas.

Falo dos alunos e das medidas de poupança anunciadas como a necessidade das famílias com direito a subsídio terem de comprar primeiro os manuais e serem reembolsadas depois (algo que parece ser uma medida já tomada) ou a retirada meios humanos especializados no apoio a alunos com NEE.

Isto é ao pior nível dos tempos que pensávamos ultrapassados.

  • Quando da aprovação do decreto-lei 3/2008 levantaram-se imensas vozes contra a forma como se estava a restringir o universo das crianças e jovens a quem seria possível prestar apoios especializados em virtude da forma como se passaram a definir as NEE. Muitas dessas vozes foram de gente ligada ou próxima do partido que actualmente lidera o governo. Agora o que se pretende é reduzir esses mesmos apoios a um grupo que já de si não corresponde vagamente ao dos alunos que precisam efectivamente de um apoio individualizado e especializado. Não conheço ainda em concreto o que se pretende fazer ou cortar, mas quando a definição das prioridades passa por desproteger quem está mais vulnerável atravessa-se uma linha fundamental de (des)respeito pela condição humana.  Aqui não se trata de questões ideológicas, trata-se de princípios básicos de decência e ética perante os nossos semelhantes.
  • O mesmo se passa, embora de um outro modo, com a imposição das famílias carenciadas adiantarem os meios financeiros para adquirirem manuais que podem atingir centenas de euros no seu conjunto, ficando à espera de um eventual reembolso. Quando não se criaram os meios para, como defendia o CDS há meses, existirem bolsas de manuais usados nas escolas. Se há crise orçamental do Estado, há maior crise nos orçamentos das famílias. Para o bem e o mal, o Estado não está desempregado, mas muitos encarregados de educação estão. E NÃO TÊM meios para adquirir os materiais. E as escolas e professores vão ser obrigados a usar de imaginação e, por vezes meios à margem da lei para ultrapassar esta situação. O manual não deve ser o suporte único das aulas, mas pode ser quase o suporte único para o trabalho dos alunos fora das aulas. É absolutamente obsceno do ponto de vista intelectual que pessoas que se definem por oposição ao materialismo, justificarem uma medida destas. O que propõem? A caridade cristã? O milagre da multiplicação dos manuais a saírem do regaço da SE Isabel?

Só falta mesmo ler em qualquer notícia ou blogue que este tipo de protesto é um resquício de socialismo. Não, o que está a ser feito é que é muito mais do que um resquício de falta de uma abordagem humanizada do ensino e DOS ALUNOS.

… do sexo só para procriação. E em quem acredite que a doença é uma marca do pecado.

Estado vai deixar de comparticipar pílulas e três vacinas vendidas nas farmácias

Distribuição continuará a ser gratuita nos centros de saúde. Comparticipação também baixa em Outubro nos antiasmáticos e broncodilatadores. Ministério prevê poupança de 19 milhões.

Até porque este tipo de poupança é minimal se repararmos neste tipo de avantesmas que mamam há anos e ainda cospem no prato. E não se deculpem, todos os líderes e primeiros-ministros do PSD foram sabujar o AJJ quando precisaram.

Um “buraco” só de 500 milhões, “porreiro pá”

Como se diz em gíria “dá-me um abalo ao…” quando vejo os sábios do Continente dizerem que pagam as dívidas da Madeira. A História de Portugal não mente. E nós pagámos ao longo de séculos, mais do que devíamos e continuamos a pagar.

… quando se tem o ministro Relvas a nomear a esmo, os buracos financeiros que sabemos, os amorins e berardos a quererem passar por indigentes e tantos perdões a gente sem nenhuma necessidade.

No apoio às necessidades especiais deixam de estar presentes os assistentes sociais, os monitores e os técnicos de psicomotricidade.

Isto sim é promover o insucesso. Não são os exames que conduzem ao insucesso ou a uma Educação selectiva e não-inclusiva, é este tipo de cortes absolutamente imorais e imbecis. Porque cortam qualquer possibilidade séria destas crianças e jovens superarem os seus enormes handicaps.

Não se sacrificam os mais fracos e vulneráveis em tempos de crise.

De Nuno Crato e Pedro Passos Coelho esperava muito maior sensibilidade em relação a estas questões. Por motivos de inteligência e sensibilidade.

Não me interessa o que os mafarrricos e os-que-já-sabiam digam ou critiquem, evocando que sempre acharam que.

Fica aqui bem claro que esta é uma questão que separa as águas entre quem acredita que a Educação é algo mais do que uma sucessão de estatísticas e encargos e quem a encara como um qualquer pasto para Tios Patinhas de lápis atrás da orelha e folha de excel no portátéle de última geração.

Há vidas de pessoas para além do défice. Isto é absolutamente vergonhoso. Nos últimos anos tenho trabalhado com alunos com NEE e a falta de meios é gritante para diagnosticar correctamente certas situações e facultar um apoio efectivo para conseguirem desenvolver competências e adquirirem os conhecimentos essenciais para terem uma vida digna e funcional.

Pornografia é isto.

« Página anterior