Os Invertebrados


NunoMag

Imagem colhida no FBook de Inês Meneses.

… e julgo mesmo que não falará pela larga maioria dos portugueses. Porque, em boa verdade, não sei quem o elegeu para ministro… só sei que foi escolhido para o cargo… que até desempenha de forma adequadamente discreta, excepto quando o mandam ler recados.

E não me parece que quem o mandou perceba muito de dignidade…

Marques Guedes, ministro da Presidência e dos Assuntos Parlamentares, fez a seguinte declaração: “Acho que, manifestamente, é uma declaração muito infeliz do presidente da Comissão, porque nunca a dignidade de Portugal nem dos portugueses foi beliscada, quer pela troika, quer por qualquer das suas instituições.”

O ministro lembrou que a dureza do programa estava relacionada com “a situação extremamente difícil em que o país se encontrava” e que Portugal conseguiu cumprir e ganhar a confiança dos parceiros.

 

Mas este gajo perdeu mesmo toda a vergonha na cara?

Enquanto ele se agachou o tempo todo, agora quer valer-se dos que não são tão acagachados como ele?

Cá para mim de tanta laca para o cabelinho ficar no lugar, alguma coisa ainda mais tóxica do que o normal lhe entrou na moleirinha…

Passos quer solução grega a valer para todos

Mesmo que o mentiroso diga o contrário, pois até prova melhor o que é.

Sim, Passos Coelho era mesmo contra esta intervenção do BCE

O PM defendeu que era “um péssimo sinal” se o BCE imprimisse “mais euros”. Agora já acha bem e diz que não entrou em contradição. Mas entrou.

.

Mas vai-se a ver e ainda é uma mentira virtuosa.

Dá-me um bocado de dó ver gente toda muito certificada a embaraçar-se por causa de uma posição de confronto com o MEC e o desgoverno.

Há agora quem diga que aquilo era “apenas um documento de trabalho”.

Treta.

Por acaso, tive conhecimento de alguns dos trâmites que o documento já tinha percorrido desde Novembro e a preocupação dos senhores oficiais do Iavé em que ele acabasse numa gaveta, no desejado esquecimento.

E depois há aquela coisa de se querer ter um Conselho Científico, mas apenas para assinar de cruz o que os directivos decidiram fazer.

Uma palhaçada completa, mas, em simultâneo, um óptimo guia para identificar alguns acagachados do sistema.

Isto é tão mentira por duas razões… primeiro, porque a contratação estava na proposta inicial enviada aos municípios; segundo, porque as autarquias mantêm a possibilidade, na última proposta, de contratar docentes para as “disciplinas locais”.

De Poiares Maduro esperava-se mais do que emular Relvas no seu pior, o de enganador da opinião pública através da manipulação dos factos.

É mentira que tenham sido os órgãos de comunicação social a inventar a coisa. Foi a própria proposta com a chancela do secretário de Estado da Administração Local.

Poiares Maduro garante que o Governo nunca quis passar para os municipios a responsabilidade de contratar professores. A hipótese chegou a ser avançada por alguns orgãos de comunicação social, mas o ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional garante que nunca esteve em cima da mesa.

É que no papelote do anúncio do Programa Aproximar Educação (MemorandoTrabalhoPAE), logo ali na página 4, a abrir e a fechar poder ler-se que:

MunicipCG1

(…)

MunicipCGO problema é que nas escolas há gente muito desverticalizada e invertebrada.

O que me custa é que muita gente sem culpa pode vir a ter de pagar pela omissão de quem não sabe exercer as funções que tem ou que se limita a ser a voz do dono para todas as ocasiões.

a-voz-do-dono

 

Porque a coerência fica para os outros e para a perdigotagem com muitos decibéis.

Marinho Pinto: Salário de eurodeputado é ‘vergonhoso’, mas ‘sou pobre, preciso do dinheiro’

Desde que, dependurado, viabilize uma qualquer solução governamental será devidamente acolhido no seio de todos aqueles que, como ele, denunciaram tudo e mais alguma coisa até lhes acenarem com um lugarzinho bom em Londres ou Paris.

… vai-se tornando a regra.

Dirigentes têm um mês para escolher funcionários públicos dispensáveis

 

A coragem de todos aqueles que já sabiam há muito boa parte daquilo que “denunciam” agora, mas que, como antes havia canais de redistribuição – publicitária, mas não só, que os “presentes” sempre escorreram para as mãos e teclados certos – faziam como se de nada soubessem.

Sempre souberam ou se não souberam, tinham obrigação de saber.

Fazem-me lembrar certos analistas do futebol e das arbitragens, que nunca dizem o que sabem, até ser seguro.

… capacidade de resistência ou luta contra as prepotências. Mesmo que o Aníbal e a Maria se queixem.

É difícil encontrar maior forma de cobardia política.

CES passa a aplicar-se a partir dos 1000 euros e desconto para ADSE sobe

Segundo o Governo, mais 79.862 pensionistas serão afectados. A taxa de desconto para a ADSE sobe de 2,5% para 3,5%.

 

É encontrá-los a achar que o guião do Portas é uma “boa surpresa” ou que “merece atenção”. Há negócios, parcerias, luigares a acautelar, mesmo se a idade aconselharia algum pudor nos números de travestismo.

Bessa

Comissão Europeia alerta para consequências de chumbo no TC

 

CE em Portugal garante não ter tomado posição sobre Tribunal Constitucional

 

… que os seus novos patrões disseram que iriam cumprir pela compra de parte da EDP e quanto ao resto resumir-se a algum decoro.

António Mexia acredita que Tribunal Constitucional pode forçar segundo resgate

China's Three Gorges power company CEO Cao and Portuguese electric power company Energia de Portugal CEO Mexia shake hands after their deal signing in Lisbon

… por tanto calo ganho a assinar acordos com o centrão.

João Proença começa a trabalhar na AICEP

O antigo líder da UGT João Proença vai começar a trabalhar na próxima semana com o presidente da AICEP após ter obtido a transferência do quadro do Laboratório Nacional de Energia e Geologia para a Agência para o Investimento.

Se dúvidas existissem sobre a ausência de tintis a sério…

E o giro é que ainda vão tentar fazer um fricote de menino passar por sentido de Estado.

Portas recua na demissão e fica no Governo

Paulo Portas deverá manter-se no Governo e com uma posição mais reforçada no acordo de coligação.
.
pronto pronto
(c) Luís Rosa

Organizar uma manifestação com mais de 100 mil professores (8 de Novembro de 2008), uma greve nacional (3 de Dezembro de 2008) e, passado mês e meio, uma nova greve nacional (ontem), não é tarefa fácil. Os professores portugueses estão de parabéns mas há que reconhecer que uma parte do conseguido se deve à postura de Mário Nogueira e João Dias da Silva. São dois dirigentes sindicais que se entendem bem, que fazem uma leitura correcta da realidade e que têm uma boa capacidade de expressão. Quando falam, são ouvidos porque sabem o que dizem. Estão bem infomados e são empenhados.

Alguns riscos das lideranças fortes, hierárquicas e muito autónomas na avaliação e contratyação…

Silenced by the secret staffroom snitches

(…)

The result is that the school has become an informant society. We now watch what we say at all times, and only with those whom we trust do we speak our minds – and even then we do so with James Bond levels of secrecy, hiding in cupboards and appointing lookouts while swearing each other to secrecy.

It’s no way to run a school, yet this kind of behaviour will probably only increase as principals gain more independent power over pay and teachers seek any advantage they can get. There used to be solidarity among us, especially in the lower ranks, but it seems that is no longer the case.

Eu acho que o autor queria escrever bitches mas deve ter achado discriminatrio… embora existam de todos os géneros.

Quando os próprios senhores reitores começam a deixar cair um dos mais notáveis dos seus, na triste luta pela sobrevivência do mais servil?

Ou os direitos adquiridos são só para o peixe graúdo?

Porque é interessante ver o regateio de indemnizações de centenas ou alguns milhares de euros a professores contratados enquanto se entregam milhões, a pedido, sem protesto algum.

Estado já pagou mais de 12 milhões em indemnizações

Página seguinte »