Os Encavalitados


… e julgo mesmo que não falará pela larga maioria dos portugueses. Porque, em boa verdade, não sei quem o elegeu para ministro… só sei que foi escolhido para o cargo… que até desempenha de forma adequadamente discreta, excepto quando o mandam ler recados.

E não me parece que quem o mandou perceba muito de dignidade…

Marques Guedes, ministro da Presidência e dos Assuntos Parlamentares, fez a seguinte declaração: “Acho que, manifestamente, é uma declaração muito infeliz do presidente da Comissão, porque nunca a dignidade de Portugal nem dos portugueses foi beliscada, quer pela troika, quer por qualquer das suas instituições.”

O ministro lembrou que a dureza do programa estava relacionada com “a situação extremamente difícil em que o país se encontrava” e que Portugal conseguiu cumprir e ganhar a confiança dos parceiros.

 

Mas este gajo perdeu mesmo toda a vergonha na cara?

Enquanto ele se agachou o tempo todo, agora quer valer-se dos que não são tão acagachados como ele?

Cá para mim de tanta laca para o cabelinho ficar no lugar, alguma coisa ainda mais tóxica do que o normal lhe entrou na moleirinha…

Passos quer solução grega a valer para todos

João Proença, qual diva do jete6 nacional, está pronto para amar.

João Proença “Estou disponível. É um cargo para o qual me sinto motivado”

… eu tenho já aqui um frenicoque, quiçá um afrontamento de tanta emoção.

Porque a coerência fica para os outros e para a perdigotagem com muitos decibéis.

Marinho Pinto: Salário de eurodeputado é ‘vergonhoso’, mas ‘sou pobre, preciso do dinheiro’

Desde que, dependurado, viabilize uma qualquer solução governamental será devidamente acolhido no seio de todos aqueles que, como ele, denunciaram tudo e mais alguma coisa até lhes acenarem com um lugarzinho bom em Londres ou Paris.

… e tratando-a assim pelo primeiro nome como se fossem íntimos amigos do FBook.

Ligeiramente indecoroso, diria eu.

Terá d’armani soquinhas ido hoje à escola?

Quase uma semana dependurados no Eusébio, agora outro tanto no Cristiano Ronaldo.

Só não percebi quem ficou em 2º lugar… o Blatter ou o Platini?

UGT desconvoca greve dos professores à prova de acesso depois de reunião com ministro

(…)

Carlos Silva disse que os sindicatos obtiveram a garantia de que os professores contratados com mais de cinco anos de serviço vão ser dispensados da prova de avaliação de conhecimentos.

Para o secretário-geral da UGT, trata-se do “acordo possível” para dar “paz social” ao setor.

Carlos Silva adiantou que os sindicatos do setor da Educação, afetos à central sindical, se comprometeram a desmobilizar das ações de protesto anteriormente convocadas, nomeadamente da greve à prova, marcada para 18 de dezembro.

Imperou o sentido de responsabilidade.

É encontrá-los a achar que o guião do Portas é uma “boa surpresa” ou que “merece atenção”. Há negócios, parcerias, luigares a acautelar, mesmo se a idade aconselharia algum pudor nos números de travestismo.

Bessa

… que tanto tem preocupado gente desocupada.

Mas vamos lá a ver uma coisa: sendo (ainda) a maior classe profissional altamente qualificada do país, qual é a estranheza que existam umas centenas de professores em listas para as eleições autárquicas?

Qual é o problema?

Não há por lá outras profissões?

O meu problema não é candidatarem-se, pois isso é bom, em especial se forem (pre)ocupar-se com questões como a Educação, procurando fazer por ela o que criticam aos outros não fazer.

o meu problema é quando, chegando lá, se esquecem por completo do que foram. e não são poucos os exemplos. Ou aqueles que vão para lá para se poderem aposentar e ganhar uns cobres adicionais. E outras coisas, mas não gostaria muito de apontar demasiado o dedo a oportunistas.

Para quem tinha dúvidas sobre certas criaturas que por aqui passavam e estão caladas há um perto de um par de meses, é preciso explicar devagarinho quem eram e ao que andavam? Verdade se diga que ozémanelgundisalbus é mais modesto.

… que os seus novos patrões disseram que iriam cumprir pela compra de parte da EDP e quanto ao resto resumir-se a algum decoro.

António Mexia acredita que Tribunal Constitucional pode forçar segundo resgate

China's Three Gorges power company CEO Cao and Portuguese electric power company Energia de Portugal CEO Mexia shake hands after their deal signing in Lisbon

… por tanto calo ganho a assinar acordos com o centrão.

João Proença começa a trabalhar na AICEP

O antigo líder da UGT João Proença vai começar a trabalhar na próxima semana com o presidente da AICEP após ter obtido a transferência do quadro do Laboratório Nacional de Energia e Geologia para a Agência para o Investimento.

Será que haverá coragem em seguir-lhes o rasto? Que por sua vez vai paralelo aos do dinheiro e exercício de cargos com um pé nos interesses privados e outro nas decisões públicas?

Mas muita gente sabe quem são, que canais usa(ra)m, os defendes que interessem, as lealdades que verdadeiramente seguem, em nome de uma alegada “liberdade” que, basta ver alguns comentários do post anterior, significa a apenas a liberdade de alguns, porque para os outros fiquem a rua, os “ofícios” ou a tropa.

Rui Rio concorda com Cavaco. António Costa diz que opção presidencial não estabiliza vida política

de outro que andou por estas coisas da luta dos professores em trânsito para outros destinos político-partidários. Registe-se ainda que já se mestrou em Administração Educacional, na área da regulação local da Educação, o que já nos faz adivinhar ao que anda… a menos que arranje forma de dar de frosques em tempo útil como o seu mentor.

… estar a fazer obra de salvação nacional. Os mais perigosos são exactamente esses sinceros crentes pois acabam por tornar-se perigosos fanáticos.

estes, são apenas oportunistas, especializados em sacar dinheiro em estudos sobre como poupar dinheiro ou, pior, aceitando lugares bem pagos para aplicar medidas sobre como despedir e pagar mal aos outros. Falam em muitos milhões poupados que ninguém verifica, visões estratégicas e maximizações de pacotilha. São como aqueles livros do tipo Aprenda a Ficar Rico em 100 páginas que só servem para desenrascar os próprios autores.

Se sabe os países que querem ajudar e tudo! Até se baralha com o número de alunos suiços na Universidade

Afirma que só 25% dos alunos seguem para a Universidade, mas, no entanto…

Regardless of scenario is selected, the level of education of the population of Switzerland is expected to rise significantly in the coming years. In the “medium” scenario, the proportion of tertiary education graduates in the population aged 25 to 64 will rise from 35% in 2009 to 50% by 2025, reaching almost 60% by 2045. This significant increase in a “medium” scenario is not really surprising when we consider that the tertiary education graduation rate was 50% in 2007, which means that the 50% mark would be reached in 30-40 years even without any change in the graduation rate. In the “high” scenario, the 50% mark of tertiary education graduates in the population will be reached four years earlier than in the “medium” scenario, i.e. in 2021. According to this scenario, the proportion of tertiary education graduates will then rise to 60% by 2030, and then exceed two thirds of the population by 2040. In the “low” scenario, the proportion of tertiary education graduates will increase much less, reaching a top level of 46% by 2035.

Para não falar na mistificação da tendência existente.

Se é por estas bandas que o MEC se anda a inspirar, vamo-nos rir ainda muito mais…

 

O Arlindo recolheu as participações no encontro da APEVT. Por azar – ou por reacção compreensível da máquina após a overdose – estão disponíveis apenas aquelas que coiso.

.. de uma certa ortodoxia sindicalesa com o processo do Chitas.

Paulinho, você trate-se que ainda acaba mal.
Lá porque tem alguns ódios de estimação não deve atirar em tudo o que mexe.
Ninguém aqui se junta a nenhum denunciante. Sobre esse tema esperemos que o tempo se encarregue de dizer quem é que foi à lã e saiu tosquiado
.

Paulinho,
a sua obsessão é tão grande que nem percebe que começou por chamar uns quantos nomes ao sujeito, quando o que estava em causa era demonstrar que ele estaria a adulterar números.
A sua obsessão tolda-lhe o raciocínio e só isso explica que queira justificar alguns impropérios, dirigidos ao Chitas, com alegadas promiscuidades entre ele e as fontes ministeriais.
Claro que no estado atual da justiça até pode acontecer que um juíz distraído aceite argumentação tão enviesada. No entanto qualquer advogado que não queira apenas esfolar o arguido e os tolos dos amigos lhe dará um conselho – acordo extra-judicial para evitar julgamento.
Claro que há sempre a alternativa do mártir e herói, condenado pelo sistema por defender uma causa. Sendo esse o objetivo, a estratégia até está bem desenhada e já colhe frutos aqui nas caixas de comentários. E aí, meu caro, tenho que lhe tirar o chapéu – você é um verdadeiro perito na arte de arrastar estas multidões.

Claro que não têm a coragem de assumir isto de rosto descoberto.

Porquê? Porque continuam a agarrar-se à bondade do acordo de Janeiro de 2010 e, por questões tácticas, preferem estar do lado da distorção dos dados feita pelo jornalista-demógrafo do que admiitirem que o que escrevi até pecou por defeito.

Mas é a teoria do perigo ser maior quando vem do que encaram como o inimigo mais próximo, que deve ser abatido ou neutralizado  para libertar o campo de impurezas e obstáculos.

Tanto melhor se for outro a fazê-lo.

Sei disso, não me admira, só me surpreendi por algo deste tipo ter demorado tanto a acontecer, tantas foram as ameaças em on e off. Estranho é que o admitam publicamente, mesmo sob anonimato, que estão satisfeitos com a situação e que acham que o xiita estava correcto em multiplicar os encargos adicionais com as progressões dos professores e que estes estavam “a salvo” das medidas de austeridade.

O conselho que a sumidade sindicalesa me dá é que aceite um acordo extra-judicial. Que me cale ou renegue o que foi a minha indignação. A real politik que conduziu ao entendimento, ao acordo e, recentemente, à trégua mascarada com não-assinatura do novo acordo.

Penso que fica claro que não confio nestas pessoas, que regem a sua acção por valores que não são os meus, recostadas na comodidade da sombra. E que criam blogues, não para denúncia dos atropelos aos direitos dos professores (que encaram como mera massa para encorpar as manifs frentistas), mas sim para atacar pessoalmente alguém que não se esconde e escreve em nome próprio.

Registado, para memória futura.

Página seguinte »