Organismos


Lede, deslumbrai-vos e chorai: OE2013_II_PACOTE_SEAP8Out2012.

Alguns destaques não exaustivos:

(…)

(…)

Não intento através do facto Madail, mas sucederá como o Couto.

Digo, todos os falsos líderes cercearão o bigode. Para não serem mais caquéticos do que são.

Nogueira colocará menos botox nos dentes.

É uma coreografia venal e as Venais a defenderão.

Pode ser encontrado aqui, com todas as iniciativas legislativas e demais informações úteis facultadas pelos serviços ministeriais. Se bem percebi, só 2 links não remetem para organismos centrais e regionais do ME ou outros organismos governamentais. Em boa verdade só uma ligação remete para informações próprias do movimento que publica o boletim. E outra é para a OCDE.

Pois…

Uma das conquistas do entendimento para o lado dos sindicatos acaba de merecer despacho pelo SE Pedreira. Pelos vistos vai ser uma Comissão e tanto, pois para ser Paritária, e com tanto representante sindical, vai ter mais de uma vintena de elementos. Adivinha-se que os designados pelo ME funcionem em bloco, resta esperar que os dos sindicatos se organizem de igual modo.

E até tem site, muito simples, mas tem, pois serve para os efeitos que foi criado: colocar os documentos oficiais sobre a avaliação dos docentes, que são poucos.

O que é muito interessante é que o CCAP reuniu-se a 14 de Março e dele emanaram recomendações, só que essas recomendações são exactamente aquelas que a sua presidente já produzira anteriormente, no dia 25 de Janeiro de 2008.

O que significa que a reunião serviu apenas para ratificar actos já praticados por uma única pessoa e, dessa forma, dar alguma cobertura de legitimidade ao que antes motivara as providências cautelares dos sindicatos (e não discuto aqui a lógica de tais providências, que assumem a necessidade de cumprir de forma estrita o que determina uma legislação contestada, mas adiante…).

Quanto às conclusões gerais de tal reunião plenária, só confirmam o que anteriormente fica escrito, registando-se que já temos vários grupos de trabalho, o que é sempre bom, embora não saibamos quem vai tratar exactamente o quê.

Esperemos pela reunião de 21 de Abril, para perceber se o CCAP ganha balanço próprio, se apenas irá com algum rendilhado retórico fazer a vontade a quem manda nisto.

Avaliação de docentes põe ministra debaixo de fogo

A avaliação de professores levantou uma nova batalha contra a ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues. Depois de a Fenprof ter já entregue a primeira de quatro providências cautelares para tentar travar a entrada em vigor do processo, ontem foi a Federação Nacional dos Sindicatos da Educação (FNE) que criticou a legislação, por prever que a própria ministra possa vir a presidir ao Conselho Científico para a Avaliação de Professores, dando ao órgão um “mero carácter político”.

Sempre lapidar e acutilante a resposta do SE Pedreira:

Da parte do Governo, garante-se que a questão é de menor importância. Jorge Pedreira, secretário de Estado da Educação, garante-o através de dois argumentos primeiro, dizendo que “não cabe na cabeça de ninguém tornar essa prática comum”; segundo, porque “o elemento que presidir a essas reuniões não terá qualquer possibilidade de voto”.

Antes de mais, muita asneira que não caberia na cabeça de ninguém afinal cabe na cabeça da tríade ministerial e de quem por trás dos panos de cenário se move.

Aliás, esta ideia já lhes deve ter ocorrido depois do Conselho de Escolas se ter, inesperadamente, insubordinado.

Para além disso, nunca duvidemos da existência de grandes cabeçudos, logo nesta altura de rescaldo carnavalesco.

cabecudos.jpg

Excelente texto de Idalina Jorge, com honras de publicação nas Cartas ao Director do Público de hoje (p. 38), sobre a ficção que responde pela designação pomposa de Conselho Científico para a Avaliação de Professores.

Para quando darem outro espaço e destaque a estas questões, depoimentos e opiniões, bem mais importantes e originais do que a enésima variação do Vital Moreira sobre a benção que Sócrates espalha sobre nós ou a milionésima prosa dos opinadores que se publicam há décadas de forma automática assumindo que é isso que os leitores querem comprar?

Nota final: Não sei se a Idalina na escolha do seu título para o post se terá apercebido que a sigla CCAP se presta efectivamente a trocadilhos arlequinescos.

Governo aprova composição de Conselho Científico para a Avaliação de Professores

O CCAP é um órgão consultivo do Ministério da Educação, dotado de autonomia técnica e científica, e que terá uma estrutura “leve e flexível”, de acordo com o comunicado do Conselho de Ministros de hoje.

Com 21 membros, o CCAP terá um presidente, cinco professores em exercício efectivos de funções, cinco individualidades em representação de associações pedagógicas e científicas de professores, sete individualidades de reconhecido mérito no domínio da educação e três representantes do Conselho de Escolas.

Segundo o Governo, o CCAP vai “contribuir para o fortalecimento, nas escolas, de uma cultura de avaliação, responsabilização e prestação de contas, acompanhando as tendências actuais das sociedades modernas”.