Oremos!


A dança de cadeiras de final de mandato dos senhores directores regionais de estruturas que se diziam implodidas interessa-me muito pouco, pois não passa da enésima versão de um filme demasiado visto.

É que basta eu chegar ali ao “meu” pavilhão e olhar para cima… e posso apontar mais uns casos que dá para ver a olho desnudo.

MEC diz que terminou remoção de placas de amianto em mau estado

Em 2013 e 2014 foram retiradas placas de cerca de 300 escolas, informou o MEC que assegura que este ano vai manter a monitorização.

 

Embora seja ele a merecer um bom punhado no figurão.

No discurso de mais de 45 minutos, Passos Coelho passou em revista algumas das reformas levadas a cabo pelo Governo. Uma delas o mapa judiciário. “ Esperamos que possamos ter uma justiça mais especializada, mais próxima dos cidadãos e que não tenhamos de esperar tantos anos para ver a conclusão de processos mais ou menos mediáticos”, disse, dois dias depois de ter sido conhecida a decisão do Tribunal de Aveiro sobre o caso Face Oculta.

Entre os auto-elogios feitos a reformas na saúde, na educação e na redução de encargos nas Parcerias Público-Privadas, Passos Coelho apontou outro objectivo. “O que temos à nossa frente até às eleições e depois é que temos de levar por diante a reforma do Estado. Não está concluída e há muito por fazer”, afirmou, lembrando o trabalho feito na “racionalidade das autarquias” e que tem se se levar essa reforma para a “administração central”.

E depois, em mais uma tirada erudita, atira-se aos “velhos do Restelo” que parecem ser culpados de sensatez e de terem razão nas críticas (como o original, já agora…):

“Não pensem que foram só os partidos que não viram que era possível encerrar o programa [de ajustamento]. Hoje na esfera de influência para lá dos partidos ainda habitam mais velhos do Restelo do que nos partidos políticos”, disse, num recado que pode ser entendido como dirigido aos comentadores políticos.

Passos Coelho é apenas mais um daqueles políticos que, chegando a S. Bento, Bruxelas ou Estrasburgo, se deslumbra com os a adulação quotidiana dos cortesão e chega a pensar ser inteligência própria o vazio papagueio que amplia.

Ele é um novíssimo… tão novo, tão novo, que até os tiques encenados parecem gter saído do bau das antiguidades satíricas do Herman.

Demos por encerrada a questão e não se fala mais nisso. Foi um arrufo…

… agora até o tempo falha e desaconselha umas precoces idas a banhos?

Isto, sim, é que é cá uma crise!

até logo

não é o Benfas…?

O Ministério da Educação e da Ciência (MEC) vai “tomar medidas para agilizar e tornar mais eficaz a contratação de professores” e também dar às escolas com contrato de autonomia, já no ano lectivo de 2014/2015, “maior flexibilização” na gestão do currículo e oferta formativa.

Já adquiri um paquímetro, um micrómetro, uma régua de senos e um comando de TV assim para o curvo… diz que é o mais ergonómico para a flexibilidade.

Portugal – Coreia do Norte

(a interrupção segue dentro de momentos)

 

Cheguei a considerar que este contratado poderia ser melhor do que a pior.

Miguel Relvas diz que Franquelim Alves é competente e está ser alvo de uma cabala

Se provas faltavam quanto à inadequação do elogiado pelo equivalente…

Como na Venezuela.

Espero que a moda enraíze.

Pareceu-me ver ali uma subliminaridade no jogo dos sportéms. Diz que a publicidade de quem pode provocar a crise pagará a crise com cartão…

… mas ninguém nos garante que não seja o resultado amador de uma reunião mal conduzida (Marcelo Rebelo de Sousa) por garotos (Pedro Marques Lopes).

E isto é só para citar os amigos. Ou ex.

Lede, deslumbrai-vos e chorai: OE2013_II_PACOTE_SEAP8Out2012.

Alguns destaques não exaustivos:

(…)

(…)

Inspectores acusados de espionagem voltaram ao activo

Os dois inspetores da Polícia Judiciária que estão a ser julgados por suspeita de terem participado num esquema de vigilância e espionagem sobre cidadãos estiveram suspensos mas continuam a trabalhar na PJ, indicou a instituição.

… ao já escrito. É só mudar umas coisinhas…

Elogio Da Responsabilidade Individual

Cavaco pede a jovens para ficarem nas suas terras

Até à reforma?