OCDE


Well-intentioned education reforms around the world are being undermined because of a lack of proper assessment and analysis of their impact on outcomes for pupils, according to a leading economic thinktank.

Research by the Organisation for Economic Cooperation and Development (OECD) has found that despite the global financial crisis, spending on education around the world has gone up, but there is considerable variation in how the money is spent and the outcomes it produces.

And in a separate report published on Monday, the OECD says that almost one in six 25-34-year-olds across OECD countries does not have the skills considered essential to function in today’s society, a situation which has not improved for more than a decade.

Por isso, na OCDE, como há muitos estudos e especialistas a gosto, cada ministro tem sempre por onde escolher (ou a quem encomendar) a legitimação “externa” das suas políticas.

Aposta de Crato no ensino profissional destacada pela OCDE

Relatório anual sobre reformas na Educação aponta exemplo das medidas que têm vindo a ser implementada desde 2012.

Giro, mesmo giro, será ler ou ouvir o Ramiro Marques, que tanto zurziu os estudos da OCDE a favor das NO de Sócrates, a engalanar-se com este.

 

OECD Foreign BriberyReport

Portugal tem professores e polícias a mais, OCDE sugere mais cortes na função pública

O que deprime um pouco nestas coisas da OCDE e que a partir das parangonas é possível detectar o responsável pelo estudo.

Os estudos tipo-sócrates/PS eram quase sempre apresentados por Paulo Santiago, os tipo-passos coelho/PSD ficam para Ángel Gurria.

Os “estudos” são quase sempre “encomendas” feitas a um alfaiate que já conhece bem as medidas do pagador.

Apresentam sempre propostas aterradoras, para que o desgoverno apareça com alternativas semi-aterradoras e parecer bonzinho.

Tudo isto é demasiado previsível.

Tudo isto é fado.

Education at a Glance 2014
OECD Indicators

This annual publication is the authoritative source for accurate and relevant information on the state of education around the world.

Featuring more than 150 charts, 300 tables, and over 100 000 figures, it provides data on the structure, finances, and performance of education systems in the OECD’s 34 member countries, as well as a number of partner countries.

It results from a long-standing, collaborative effort between OECD governments, the experts and institutions working within the framework of the OECD Indicators of Education Systems (INES) programme and the OECD Secretariat.

Para descarregar.

Entre 2011 e 2012, os salários dos professores em Portugal caíram 16%, à boleia dos cortes transversais que levaram os dois subsídios aos funcionários públicos em 2012. Esta quebra verificou-se, frisam os autores do relatório “Education at a Glance 2014”, depois de seis anos em que os salários dos docentes cresceram 11%, quatro vezes mais do que a média dos países da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico (OCDE).

Durante seis anos, os salários dos professores cresceram nominalmente… pois eu gostaria de perceber como cresceram de forma real com um congelamento das progressões e a aplicação dos cortes socráticos, que agora estão de novo em vigor.

O problema da OCDE é este… compara coisas, mas não sabe se elas são assim fora do papel.

O problema destes dados é que se baseiam apenas em “registos” ou testemunhos dos órgãos de gestão que, como sabemos, “vareiam” muito daqui para ali e então de país para país…

De qualquer das maneiras, mais vale ir sabendo alguma coisa do que não sabendo…

TALIS2013dTALIS2013e

Página seguinte »