O Vil Metal


Parece que a “formação” é mais parecida com aquelas sessões de venda de time-sharings do que outra coisa.

O esforço feito para vender exames e certificados demonstra bem o quanto as escolas públicas são encaradas pelo MEC/Iavé como meras áreas de negócio e mercantilismo, destinadas a sacar dinheiro às “famílias” dos alunos no ensino obrigatório e gratuito.

Tanta conversa sobre o país em crise, sobre a necessidade de todos contribuírem, de se cortar por igual em todos os sectores, e há quem receba o mesmo, sem cortes, desde 2009… pago pelo mesmo Estado que congelou progressões no sector público e impôs reduções de 20% ou mais nas despesas das escolas públicas…

O tal Estado Gordo que só o é para alguns que continuam a deliciar-se com os seus selectivos úberes.

Portaria n.º 269/2014 – Diário da República n.º 245/2014, Série I de 2014-12-19, do Ministério da Educação e Ciência
Fixa os montantes do subsídio anual por aluno concedido ao abrigo de contratos simples e de desenvolvimento celebrados entre o Estado e os estabelecimentos de ensino particular e cooperativo.

(…)

Artigo 2.º
Subsídio
Para o ano letivo 2014-2015 mantêm-se os valores de referência às capitações e correspondentes escalões de comparticipação por parte do Estado, bem como o valor das anuidades médias definidas para os contratos simples e de desenvolvimento, através do Despacho n.º 6514/2009, de 11 de fevereiro, publicado no Diário da República, 2.ª série, n.º 41, de 27 de fevereiro de 2009.

O homem deles em Havana:

O Secretário de Estado do Ensino e da Administração Escolar, João Casanova de Almeida, em 9 de dezembro de 2014.

 

não foi feriado. Há sempre alguém a tentar alterar a História.

 

Encontrei esta foto na página do Município de Setúbal do Facebook, a propósito da inauguração do novo centro comercial da cidade…

Isto sim, é pluralismo.

Allegro

… até se tornar insuportável e tudo começar a ser irrespirável.

Os mais altos quadros da administração (os de nomeação política) não resistem às tentações mais comuns, mostrando como tudo está corroído a partir do topo, embora sejam sempre apontados como culpados de todos os males os soldados rasos.

Esta ideia de jerico do ministro Portas está a dar naquilo que seria de esperar… quem promete favores a gente de duvidosa origem não deve estranhar que as coisas acabem assim, quando o aparelho de Estado é um corropio de clientelas em vez de ser a garantia da imparcialidade.

O director do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), Manuel Jarmela Palos, e o presidente do Instituto dos Registos e Notariados, António Figueiredo, foram detidos nesta quinta-feira na sequência de uma investigação sobre vistos dourados, confirmou o PÚBLICO junto de fontes judiciais e policiais. O PÚBLICO apurou ainda que a secretária-geral do Ministério da Justiça, Maria Antónia Anes, foi igualmente detida.

Maria Antónia Anes esteve esta manhã no Ministério da Justiça e foi detida depois de ter de lá saído. 

Eu sei que há a presunção da inocência e tudo o mais mas… isto não resulta de uma acusaçºaoi descabelada de um@ governante perdida no seu labirinto.

Porque é muito difícil que não saiba…

Investigação i: Ricardo Salgado. “Há uma parte que teve de ser entregue a alguém”

de que consta vir a ser reparado por um mini mínimo?

 

Irão directos para uma conta de quem luta contra a pobreza provocada pelo estado!

 

… porque é tempo de ele pagar as promessas que fez a quem lhe deu a mão na campanha:

Na moção de estratégia que apresentou esta semana ao congresso do CDS, Portas deixou novas pistas: fusão e corte de serviços «que as circunstâncias demográficas ou a evolução tecnológica tornaram desnecessários» – como de serviços que se repetem pelos ministérios; concessão de empresas públicas; contratualização de serviços na Educação e na área social (como já está a acontecer com a entrega de hospitais às Misericórdias).

E sabe-se bem a que grupo de pressão ele quer dar as contratualizações, nem que para isso se tenha de fingir que as práticas-GPS são meros detalhes, fáceis de resolver.

images

Dark Money: The Rise of Outside Spending in 2012

O presidente executivo da Sociedade Central de Cervejas (SCC), Alberto da Ponte, defendeu hoje que o sector privado deve apostar nos despedimentos como alternativa aos cortes do subsídio de Natal e de férias aplicado à função pública.

Não é para devolverem nada, apenas para expressar o meu ciúme social e, através do seu exenplo de vida, poder vir a ser como eles quando crescer.

Governo. 131 assessores receberam subsídio de férias já em 2012

Se fizerem o favor, basta o nome, o ministro empregador e a função exercida. Não preciso saber os quantitativos. Que façam bom proveito, como a mim faria.

Portugal é uma “plataforma para parcerias” internacionais, diz Paulo Portas

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, definiu hoje Portugal como “uma plataforma muito interessante” para estabelecer parcerias internacionais, salientando durante a sua visita à China que “o país é europeu e ocidental, mas também universal”.

“Numa economia global, é preciso vincar e salientar aquilo que um país pode ter para oferecer de acordo com a sua reputação histórica e a sua vanguarda económica”, disse Paulo Portas após a assinatura de dois memorandos de entendimento entre a REN (Redes Energéticas Nacionais) e a chinesa State Grid, uma das maiores empresas do mundo.

Reputação e vanguarda… Mmmmmm…..

Pedro Santos Guerreiro no(a) XXI:

Mas não foi apenas por fatalidade exógena que a banca portuguesa perdeu o pé. Foi por excesso de endividamento, silenciosamente autorizado pelo Banco de Portugal, que acompanhou toda a festa à distância. Foi pelo pecado da gula, da ganância, do lucro rápido e do crescimento perpétuo e a dois dígitos. Dizer que todos os outros o faziam na Europa só torna os bancos portugueses iguais aos outros – com o defeito de serem menores. Os bancos portugueses lucraram muito dinheiro durante muitos anos, expondo-se demasiado a uma economia sedenta de crédito barato, o que os bancos penhoradamente forneceram. A banca foi o veículo de sobreendividamento de todo o país, tornando-se também ela própria sobreendividada. Além disso, financiou projectos que não seriam rentáveis ou que acabariam com graves problemas, nomeadamente na construção e imobiliário, no financiamento de operações puramente financeiras (como compras de acções) e em parcerias público-privadas – e, já agora, na própria dívida pública. No crédito à habitação, que ocupa a maior fatia do crédito concedido em Portugal, o financiamento a taxas demasiado baixas para contratos tão longos deixaria um problema para mais de uma década. Enquanto todos os instrumentos tocaram de feição, lucrou-se muito. Mas a banca distribuiu grande parte desses dividendos pelos seus accionistas, abdicando de reforçar as suas estruturas de capital. E, já agora, pagou muito poucos impostos.

Agora são 164 em 3 meses, mas certamente serão 165 neste trimestre, daqui até ao Natal. Apesar de ser época baixa :evil:.

Aeroporto de Beja movimentou 164 passageiros… em 3 meses

Aeroporto de Beja vai continuar a receber voos durante a época baixa. Passageiros são alemães.

Mota-Engil pede indemnização pela anulação de troço do TGV

O consórcio AltaVia, liderado pela Mota-Engil, que concorreu para o projecto de alta velocidade do troço entre Poceirão e Lisboa, vai pedir uma indemnização ao Estado por danos sofridos.

Uma testemunha revelou hoje em tribunal que Oliveira e Costa vendeu, em 2001, a Cavaco Silva e à sua filha 250 mil ações da Sociedade Lusa de Negócios, a um euro cada, quando antes as adquiriu a 2,10 euros cada à offshore Merfield.

Respondendo a perguntas dos juízes do julgamento do caso BPN, o inspetor tributário Paulo Jorge Silva disse “não ter explicação” para o facto de o principal arguido, José Oliveira Costa, ter perdido 1,10 euros em cada ação que vendeu a Aníbal Cavaco Silva e à filha do atual Presidente da República, Patrícia Cavaco Silva Montez.

O inspetor das Finanças, que participou na investigação, precisou que de um lote de 250 mil – de 1.750.000 de ações da Sociedade Lusa de Negócios (SLN) que Oliveira Costa adquiriu à Merfield, em 27 de março de 2001, a 2,10 euros por ação – 100.360 ações foram adquiridas por Cavaco Silva e 149.640 ações por Patrícia Montez, em ambos os casos a um euro por ação, em 18 de abril de 2001.

As restantes 1,5 milhões de ações adquiridas por Oliveira Costa à Merfield foram vendidas no mês seguinte (maio de 2001) às contas de investimento de clientes do BPN, a 2,11 euros, com um lucro de 0,01 cêntimo por ação.

To Fight Inflation, Europe Ends Cheap Money Strategy

The era of cheap money is ending: For the first time since the financial crisis, the European Central Bank raised interest rates by a quarter point to 1.25 percent on Thursday. ECB President Jean-Claude Trichet wants to limit inflation and apply the brakes on speculators.

Página seguinte »