O Vespa Soares


Mota Soares: «O risco de pobreza nos mais idosos é menor»

Neste caso não vale a pena acusar a malta do PSD. Isto é puto-vespa-soares a assinar, embora já tenha feito saber que, se calhar, recua nuns quantos por cento.

Governo quer baixar limite mínimo do subsídio de desemprego em 10%

(…)

Cerca de 150 mil desempregados recebem actualmente o valor mínimo do subsídio de desemprego.

O mesmo documento prevê ainda uma redução de 6% do Rendimento Social de Inserção e de 2,25% do Complemento Solidário para Idosos.

Estamos mesmos entregues ao espírito delirótico dos tea party que acham que quem não trabalha é porque não quer e que se desenrasque.

Dizem que não há dinheiro, mas o que se vê é a continuação dos pagamentos por conta aos grandes interesses das PPP e das rendas aos mono e oligopólios energéticos instalados.

A verdade é que parece que, por estes dias, parece que há um campeonato do tiro ao pobre e enjeitado, a ver quantos mais são abatidos ao efectivo.

Paulo Portas bem pode ensaiar um novo e efémero vanishing act que só com grande falta de memória não levará com uma bela tomatada podre no dia em que tentar fazer nova ronda das feiras & bulhões.

Subsídio de maternidade pode levar corte de 14% a partir de julho

Recordando:

Governo garante que não vai cortar subsídio de maternidade

Direito de Resposta do ministério da Segurança Social sobre notícia referente ao subsídio de gravidez

Paulo,

Acabei de ler o post e acho de interesse referir o seguinte: o meu filho e outros amigos e colegas estão a receber um aviso semelhante (ontem e hoje) na sequência de uns poucos milhares de euros que receberam em 2010, utilizando recibos verdes. Há um caso de um rapaz que ganhou cerca de 1200€ e que é suposto pagar 190€/mês, estando sem trabalho e a viver à custa dos pais.

O meu filho, cheio de raiva, tem uma carta escrita para mandar à Segurança Social. Vai aqui a cópia. Um abraço.

Sra. D. Mariana Ribeiro Ferreira

(Presidente do Conselho Directivo)

Acabei de receber a vossa carta, que me deixou deveras estupefacto e sem saber como responder.

Sou um homem de quase 26 anos (Janeiro 2012).

Tenho uma licenciatura pré-Bolonha, ou seja, de 5 anos numa Universidade Pública.

Relativamente a 2010 declarei 6123€ de rendimentos de trabalho, valor então totalmente orientado para a minha formação (Mestrado). Por ser insuficiente, tive apoio familiar para completar esses gastos para além de me ter sido assegurada a minha subsistência.

Em 2011 auferi mensalmente entre Janeiro e Junho cerca de 300€.

Desde Setembro (se tudo correr bem até Junho 2012) estou a ganhar 450€ mensais. Deste valor pago:

– 200€ de renda de casa

– 100€ de gás, água, electricidade, telefone, etc.

– 33€ de passe social para trabalhar (valor que vai aumentar em Janeiro 2012)

– Restam 117€ para alimentação

– JÁ NÃO TENHO ACESSO a vestuário, calçado, saúde, cultura, desporto, lazer, etc.

Agradeço sugestões sobre como/onde/a quem ir buscar 186,13€/mês para pagar a Segurança Social.

Estou a tentar emigrar mas ainda não consegui.

Muito obrigado pela atenção!

Aguardo resposta.

Francisco (…)

 

Outro caso, de uma professora aposentada desde o início de 2010, sem qualquer actividade independente desde 2005. Detectaram um valor de 0€ anuais, mas tentam um esbulho mensal de 124€.

Há que pagar o leasing dos pópós alugados através de contratos blindados?

Será que Pedro Vespa Soares é daqueles que acham que um defunto só o é depois de requerer à administração a certificação do facto, devendo assinar o dito requerimento em caligrafia legível?

Não se poderão considerar gorduras os gastos com estas cartas de m€rd@?

Claro… o senhor ministro de nada sabe. Foram os serviços, esses malandros. Ou foi um erro informático!

A carta que em seguida apresento também foi recebida ontem e é curiosa porque, para um valor declarado de 5000€ num ano, com a mesma taxa contributiva, é pedido um pagamento mensal de 124€.

No meu caso, para um total inferior a 2000€ pedem 186€.

Ou é parvoíce acima de uma média já de si elevadíssima, ou então isto resulta dos restantes rendimentos declarados e, nesse caso, sabem que eu faço descontos através do meu salário mensal e que estou isento deste tipo de pagamento suplementar.

E, portanto, ou não cruzaram os dados ou cruzaram.

Ou então é apenas tentativa de esbulho dos distraídos. Ou incompetência.

Vindo de um ministério que tem à frente um elemento do CDS, aquele partido que, em termos paleozóicos era contra os abusos fiscais do Estado sobre os cidadãos.