O Polvo


Porque é muito difícil que não saiba…

Investigação i: Ricardo Salgado. “Há uma parte que teve de ser entregue a alguém”

Ângelo Correia, Marques Mendes e Vasco Rato também foram fundadores do CPPC. “Ai que engraçado! Então, sem querer, ou por querer, eu estou ligado à Tecnoforma. Olhe que engraçado. Não tem graça nenhuma, mas é a vida!” Foi nestes termos que o antigo dirigente do PSD Ângelo Correia expressou, ao PÚBLICO, a sua surpresa, em 2012. “Dou-lhe a minha palavra de honra que não sei o que isso é.”

Luís Marques Mendes fez o mesmo: “Tem a certeza de que eu fui membro disso? Com franqueza, nem me lembrava disso e não faço ideia de quais eram os seus objectivos.”

… o grupo empresarial envolvido no Gaiagate, em particular num eventual esquema de luvas em torno dos lixos é…

Pub19Set14JN19Set14

Público e Jornal de Notícias, 19 de Setembro de 2014

… exactamente o mesmo grupo que ganhou a privatização da EGF?

Econ19Set14

Diário Económico, 19 de Setembro de 2014

Penso não ser necessário relembrar o apoio de LFM à actual situação política. Há com cada coincidência!

Não é que eu acredite que existam bruxas.

Mas que parece bruxedo, parece…

Podem ser brasonados, mas o resto falha. E muito. Que isto da aristocracia já teve melhores dias.

Pirataria tranquila

Nunca esquecer que estas coisas se fazem de uma maneira especial, de modo a que todos fiquem comprometidos e impedidos de falar (sigilo profissional!), mas não de usar o que sabem quando mudam de trincheira.

É o melhor dos mundos para o tráfico de informação privilegiada em circuito imune aos olhares exteriores.

Nunca esquecer, ainda, que em devido tempo o actual ministro da Defesa, então líder parlamentar de uma oposição laranja, aceitou que o seu escritório de advogados fosse contratado pela Parque Escolar dos tempos de Sócrates.

O Estado é “gordo” ou “engorda”?

Pub21Ago14

.

Público, 21 de Agosto de 2014 (link para a notícia)

BPN, BES… enfim.

Chega lá quem eles querem.

Filho do construtor que pagou presente de 14 milhões a Salgado é accionista de referência do Montepio Geral

uroboros

É isto o exemplo dado pelas empresas de “sucesso” do universo privado?

Ler estas coisas – e bem que elas estão liofilizadas pelo filtro de “atas” que raramente registam as coisas bem mais quentes – é a melhor forma de se perceber quantas mentiras nos foram ditas sobre a genialidade desta gente que salta de cargo em cargo, graças a golpes e negociatas dignas de gangues de um Padrinho IV.

Exp15Mai14bdExpEcon15Ago14

Expresso e Expresso-Economia, 15 de Agosto de 2014

… e acho ainda melhor que ele explique como é que cozinhou a queda de Santana e a produção do anterior PM, assim como do actual, bem como de muitas outras coisas relacionadas com as privatizações, etc, etc…

Ricardo Salgado: “Vou lutar pela honra e dignidade, minha e da minha família”

O Banco de Portugal, depois de ter ido buscar o subdirector do Diário Económico para o ataque comunicacional, reforça-se agora para o miolo político do terreno, com o argumento do tecnicismo do player:

Banco de Portugal contratou por convite filho de Durão Barroso

Entretanto, eu chamaria ainda a atenção para contratações, a curto ou médio prazo, de outras equipas como o Novo Banco Bom e a imprensa tropicalizada, formações que, por andarem a dispensar muita gente, precisam agora de ir buscar outros craques para continuarem na sua senda de ilusão da opinião pública (leia-se, cidadãos comuns) nacional.

Dinheiro há e cruza-se com frequência.

… cobre este nosso Hogwarts a partir de dois pontos que se tocam e entrecruzam múltiplas vezes.

Enquanto não soubermos quando quem soube o quê acerca do pântano Espírito Santo -e Ricardo Salgado será a figura chave de todo este processo e não me parece que tenha o perfil de um Oliveira e Costa, destinado a levar com todo o ónus das maldades – não poderemos saber em quem confiar no nosso rico mundinho das finanças, política e jornalismo.

Para uma abordagem do assunto, com uma profundidade que me é impossível fica aqui a referência a um belo posto do Portugal Profundo.

Mas há algo que salta à vista do cego mais distraído… há muita gente que soube muita coisa em devido tempo, que não agiu como seria de esperar atendendo à sua “missão na sociedade”, isto para não falar de quem beneficiou directamente ou se usou dos meios espirituais para os seus negócios, sem se ralar com tudo o resto.

Esteja-se a falar de fluxos financeiros publicitários, apoios preferenciais a negócios ou outras coisas.

As ramificações, europeias ou tropicais, dos ditos negócios devem atingir muito mais gente – e a um nível muitíssimo alargado – para que as coisas se saibam sem “riscos sistémicos” para a democracia que temos. Penso mesmo que este polvo particular, se implodisse, representaria uma limpeza maior do que qualquer revolução sanguinolenta.

Por outro lado, temos quem fez o jeito às “instituições” de ficar com o bico calado durante o tempo considerado indispensável para fazer controlo de danos, varrer armas fumegantes para debaixo de alcatifas de betão e outras habilidades sempre essenciais nestes casos.

Mas, claro, isto é tudo um suponhamos.

devil

… a contratar.

Agora é só fazer a arqueologia das coisas.

E na opinião publicada, incluindo com chancela académica?

E na pseudo-informação “especializada”?

E aparentada?

Jaime Ramos vende prédios à Fundação PSD de que é administrador

É a governação com “rosto humano” de que o Papa madeirense ontem falava na revista do Expresso.

E haverá imbecis que ain da aplaudem, não percebendo que há estradas em que é melhor não ter companheiros de ocasião.

… e começa a aflorar levemente algumas das questões essenciais para compreendermos o pântano em que vivemos e que alimenta as criaturas que nos desgovernaram e desgovernam.

Resta colocar os nomes, com clareza, a quem beneficiou, porquê e para quê.

ExpEcon26Jul14

Nicolau Santos, Expresso-Economia, 26 de Julho de 2014

Mas aposta-se singelo contra decuplicado em como haverá apenas os bodes sacrificiais necessários e indispensáveis para encobrir tudo o mais.

Duarte Lima foi o primeiro a denunciar o esquema que inclui Michel Canals e Nicolas Figueiredo, gestores e mentores da sociedade suíça Akoya. O branqueamento de dinheiro (leia-se milhões de euros) acontecia pelas mãos destes dois gestores e as dúvidas começaram a levantar-se. Mais de um mês antes do escândalo que envolve algumas empresas do Grupo Espírito Santo (GES), os suíços abriram as contas de Ricardo Salgado ao Ministério Público (MP) português, conta o Diário de Notícias (DN).

… que tinham no espírito santo o seu complemento de sobrevivência?

Parece que as décadas de enorme sucesso como job creator foram feitas sem prova de acesso em ética nos negócios e nota máxima em tráfico de influências.

Tudo alegadamente, claro, que eu não acredito em coisas esquisitas e muito menos em responsabilização por eventuais danos causados.

Isso são coisas para consumo escolar.

Contrato de 2,5 milhões para ex-colaborador de Passos

Fernando Sousa, antigo colaborador de Pedro Passos Coelho na Tecnoforma, empresa em que o atual primeiro-ministro foi consultor, ganhou um contrato público de 2,5 milhões de euros para “seleção, eliminação e inventariação das fontes documentais existentes nos Governos Civis”, através do Cepese (Centro de Estudos da População, Economia e Sociedade).

500.000 contos para destruir papelada? Ó meus amigos, eu acabei de despachar pilhas e pilhas de papéis… e consigo fazer isso por um décimo do preço… só que não sou amigo do amigo do amigo. Nem nunca serei.

E nem percebo como uma função pública com excesso de pessoal não tem quem agarre em sacos de lixo e deite lá para dentro o que não interessa e leve até ao ecoponto mais próximo.

 

« Página anteriorPágina seguinte »