O Orçamento


… está em curso uma das manobras comunicacionais mais sujas de sempre para esconder da opinião pública mais um descomunal aumento de impostos, em particular através do fim da cláusula de salvaguarda do IMI e da fiscalidade abusivamente apelidada de verde.

Há momentos em que a análise satírica da coisa é a a mais realista.

… e acabou como se fosse artigo de opinião.

Paulo Guinote sobre o OE 2015. Devastador corte no ensino não superior

Aqui, as outras 11 opiniões.

Nuno Crato começa a ficar menos MRL e mais Isabel Alçada.

Relatório: RelOE2015.

Lei: OE Lei-2015.

OE2015PropMun

(…)

OE2015PropMun1

Da proposta de Lei do Orçamento para 2015:

OE2015PropCaduc

Embora muito mais docemente… quase sem se dar por isso… nos contratos com os privados…

OE2015Prop1

  • Taxar os sem-abrigo pela ocupação do espaço público.
  • Cobrar taxa mensal às famílias pelas campas dos falecidos em cemitérios públicos.

Visao17Out13

Visão, 17 de Outubro de 2013 (caderno especial)

Economico12Jun13

Económico, 12 de Junho de 2013

Governo dá instruções aos serviços para que mantenham corte no subsídio de férias

O desgoverno tem direito a escolher as suas prioridades. E nós a lutar contra elas.

Grande novidade.

Mas têm por lá algum especialista em alguma coisa jurídica?

Marques Guedes a ler uma declaração resultante do Conselho de Ministros que me parece um meter de rabo entre as pernas, apesar da conversa da credibilidade externa.

E que tal verem isto como uma oportunidade para conseguirem melhores condições?

Já quanto ao PM, parece que vai falar com o PR não se percebe bem sobre o quê.

  • CNN:

Portugal court strikes down portion of austerity measures

  • Financial Times:

Portugal court rules against austerity

  • Telegraph:

Portuguese court blocks key part of austerity plan

  • Wall Street Journal:

Portugal Court Strikes Down Austerity Measures

E é bem verdade que a culpa do crime não é dos juízes mas de quem o cometeu.

Se até gente designada pelo CDS assinou…

Tribunal Constitucional anuncia decisão sexta-feira

O Tribunal Constitucional está pronto a anunciar a decisão sobre as reformas do Orçamento de Estado que foram alvo de pedidos de fiscalização sucessiva da constitucionalidade.

É a teoria dos vasos comunicantes a funcionar…
.
E para além disso, com o chumbo de algumas normas orçamentais, o Governo tem o argumento da estabilidade resolvido, pois derrotou a moção de censura.
.
Ahhh, ganda Tó Zé!
.

… Hollande.

 

Socialismos.

É chato quando não permite truques como os da privatização da ANA, mas já é útil para justificar a Parque Escolar, incluindo pelos actuais governantes.

Mas há uma coisa que é certa: o dinheiro entra. Se não fica orçamentado, fica no limbo?

Isto não é respeitar as funções de PR e a garantia da defesa dos direitos constitucionais dos cidadãos, é ser apenas mais um ao serviço das ordens externas.

Mas há qualquer coisa de adicionalmente estranho neste amputamento da acção.

Cavaco não pediu urgência ao Constitucional

O Presidente da República, Cavaco Silva, não pediu urgência relativamente à análise às normas do Orçamento do Estado para 2013 que solicitou ao Tribunal Constitucional, no âmbito de um pedido de fiscalização sucessiva ao diploma, avançam o jornal i e a Rádio Renascença.

… e não fazer de novo a porcaria do ano passado, em que entrou exactamenten por territórios que não são, nem devem ser, os seus.

Pedro Bacelar Vasconcelos: Tribunal Constitucional “não tem legitimidade” para “decisões políticas”

O Presidente da República abdicou da “legitimidade democrática” de decidir sobre o Orçamento de Estado ao reencaminhá-lo, “de forma inquinada”, para o Tribunal Constitucional sem “legitimidade para tomar decisões políticas condicionadas”, acusa Pedro Bacelar Vasconcelos.

O costume.

Porquê?

Há coisas mais importantes… a massa do bolo rei, por exemplo.

Cavaco não envia OE para fiscalização preventiva

Página seguinte »