O Mundo Está Parvo


Escolas de gestão vão formar autarcas

Presidentes de câmara e vereadores têm agora novas ferramentas para melhor aproveitarem os fundos comunitários. O programa de formação vai desde uma componente mais clássica, em universidades, ao estímulo da “aprendizagem entre pares”.

A Porto Business School e a Nova Business School (de Lisboa) são as duas instituições académicas que participam no programa Capacitar, sexta-feira à tarde apresentado em Coimbra, que visa promover “o desenvolvimento  económico e social local”. Oito ou nove dias será a duração dos cursos de “capacitação avançada de líderes”, em turmas a rondar os 25 elementos, a ministrar em cada uma das universidades.

Sou daqueles tempos de antanho em que se acreditava que a verdade acaba sempre por se saber e que as mentiras têm a perna curta e acabam sempre por tropeçar em si mesmas.

Dito isto, tenho algum desprezo pelos queixinhas que, não sendo capazes de demonstrar a sua razão, vão a correr chamar os matulões em sua defesa para intimidar o resto dos colegas que brincam no recreio.

Por matulões, pode entender-se a IGEC ou os Tribunais, que assim perdem o seu tempo com idiotices.

E um tipo ainda tem de testemunhar…

Tivesse eu mau feitio e não fosse a alma santa que sou e também lhe mandava polícia para a porta da escola.

Mas não consigo ser assim tão parvo.

 

mas a meio da ponte.

Quais medievos de riste em lança!

 

Narciso acusado de se apropriar de 17 mil euros e de iPhone

O ex-autarca, que vai a julgamento, terá criado negócio fictício para tirar dinheiro da associação a que presidia. Terá ainda participado à PSP o furto de um telemóvel para ter outro mais moderno, diz o MP.

Isto vai para lá do obsceno.

O homem não ensandeceu, apenas absorve as ideias estúpidas de alguns cortesãos e depois faz de papagaio e sente que isso é ser inteligente.

“É caro e ineficiente” manter todos os serviços abertos no interior

Primeiro-ministro também deu conta da criação de campeonatos entre autarquias para receber fundos comunitários.

(…)

“Uma espécie de campeonato de municípios e de comunidades intermunicipais para poder absorver esses fundos. Não podemos pôr municípios de menor dimensão a competir com municípios de grande dimensão. Castelo de Paiva não pode competir com o município do Porto, evidentemente, mas por essa razão estamos a apontar para dois ou três campeonatos que sejam relativamente homogéneos para que os municípios possam competir por esses fundos”, explicou o primeiro-ministro.

Iavé admite ter errado, mesmo sem admitir ter errado.

Responsável por exames admite problema em prova de Português

O Instituto de Avaliação Educativa acaba de reconhecer que a resposta indicada como correta numa das perguntas do exame de Português do 12.º ano não é consensual. E vai aceitar uma segunda resposta possível.

(…)

O Instituto de Avaliação Educativa considera, no entanto, que a pergunta tem de ser vista no contexto do texto em que se insere e que a resposta correta é mesmo a que sugeriu, correspondendo a uma interpretação “validada pelos especialistas em Linguística que colaboram com a equipa responsável pela elaboração da prova”. “Tendo sido novamente consultados, os mesmos especialistas reiteraram os pareceres dados”, reforça o IAVE. Só que a opinião não é consensual.

Sabem onde podem colocar, respeitosamente, a maioria dos “especialistas” que o Iavé recruta na base do amigo-que-conhece-o-amigo, não sabem?

Há uns anos, havia um lote de “especialistas” que – vá-se lá saber porquê – eram quase todos da mesma escola aqui das bandas desérticas.

 

Iavé estava pior do que estragado com a Criação, pelo que decidiu desentropiar a cena. Vai daí, fez um «puff».

“Vai o Tanas!”, resmungou Janasiu, acabadinho de chegar com um camelo novo.

“Sobra sempre p’ra mim!”, esganifou o Tanas, “mais um camelo para tosquiar? Peçam ao Lucicrato, já que lhe deram asas!”.

Lá em baixo, mais abaixo ainda, os Farinientes do Templo concordaram e atribuíram essa culpa a um certo Fafe que ainda não estava escrito que não era dos Fafes de Alpiarça.

“Calou, pessoal!”, pufou Iavé, “determinei que será Lucicrato a apresentar-vos as Tábuas da Ordem, todas impressas em 3D!”.

E ele veio, pairou como naqueles filmes em que a malta  se diverte com os efeitos especiais, com molas chinesas nas narinas – por causa dos pufes –  e chiou: “Eis as tábuas!”.

Fartote de rir, as tábuas eram rasas!

E mais uma vez Iavé foi grande. Grande e único.

Muito me divertem as piruetas dos politólogos de trazer por casa. Quem defendia a legitimidade revolucionária do povo ucraniano pós-europeu está contra a legitimidade do povo ucraniano pró-russo.

E vice-versa.

Só falta mesmo ir para lá alguém distribuir bandeirinhas da URSS.

Get Ready for a Russo-German Europe

The Two Powers That Will Decide Ukraine’s Fate — and the Region’s.

Teachers should be obliged to take part in extracurricular activities such as sport and drama, according to an influential MPs’ report out today.

Participation should be included as a formal aspect of a teacher’s contract of employment, says a report from the All Party Parliamentary Group on social mobility.

It embraces the idea that schools should be more than just “exam factories” and place greater emphasis on building their pupils’ character and resilience – as pledged by Labour’s Shadow Education Secretary Tristram Hunt in an interview with The Independent yesterday.

Por cá, já temos drama suficiente e quanto a desporto, já fazemos bastante para escapar à saraivada de disparates com que somos brindados, semana sim, semana assim-assim.

quase roça o Mestre Gil: Ninguém É Educado E Todo O Mundo É Kü.

Reparem nesta parte:

Desde que exista, à partida, vontade e espírito de cooperação entre os partidos que subscreveram o Memorando de Entendimento, e desde que estes coloquem o interesse nacional acima dos seus próprios interesses, creio que não será difícil definir o conteúdo em concreto desse entendimento. Mais ainda, um acordo desta natureza não se reveste de grande complexidade técnica e poderá ser alcançado com alguma celeridade, podendo recorrer-se a uma personalidade de reconhecido prestígio que promova e facilite o diálogo.

Darei todo o apoio a esse compromisso patriótico, na convicção de que ele irá contribuir, de modo decisivo, para a confiança externa e interna e será um fator de esperança para todos os Portugueses.

Irei contactar de imediato os responsáveis dos partidos que subscreveram o Memorando de Entendimento para analisarmos a solução que proponho.

Portugueses,

Chegou a hora da responsabilidade dos agentes políticos. As decisões que forem tomadas nos próximos dias irão condicionar o futuro dos Portugueses durante vários anos.

O que está em causa é demasiado grave e demasiado importante. A existência de um compromisso de médio prazo é a solução que melhor serve quer o interesse nacional quer o interesse de todos os partidos, que poderão preparar-se para o próximo ciclo político tendo dado mostras aos Portugueses do seu sentido de responsabilidade.

E notem lá agora esta parte, logo a seguir:

Sem a existência desse acordo, encontrar-se-ão naturalmente outras soluções no quadro do nosso sistema jurídico-constitucional.

Mas olhem a ameaça, ou o que parece ser isso:

No entanto, se esse compromisso não for alcançado, os Portugueses irão tirar as suas ilações quanto aos agentes políticos que os governam ou que aspiram a ser governo.

Pois, mas o que nós queremos é tirar essas mesmas ilações… e eu não sei se o PR percebe que, na prática, está a apelar ao voto contra os “agentes políticos” que nos governam e aspiram a ser governo.

O que quer ele dizer?

Bora votar nos radicais anti-troika?

Bora!!!

Via 4R- Quarta República:

Esclarecimento

 

 

apareceu um geadas a falar de empreendedorismo: que sim, que desenvolvia competências em terceiros e coiso.

 

Concluí que nem produção de terceiros nem coiso.

 

Mas a primeira parte do empreendedorismo foi ocupada a tratar de: futuros desempregados, vós que tendes 17 e 18, quando e só se tiverdes 25…