O Interesse Nacional


É uma questão de liberdade de escolha.

Pagar ou não pagar.

A mim, por exemplo, custa-me pensar que nem que seja um infinitésimo de cêntimo dos meus impostos vá para o Marco António ou o Menezes Jr. comprarem gel fixador.

Para mim – sou preconceituoso – qualquer pessoa ou grupo que tenha como antagonista o pénaltesdelima está condenado a ter razão.

Para além de que vi um representante sindical com um argumento de peso: nas anteriores privatizações todas as pretensas salvaguardas dos direitos dos trabalhadores foram letra morta desde que foi escrita, pois tudo não passou de encenação.

Quanto aos prejuízos para o país, a perda do controle sobre a TAP é um mal bem maior do que a perda de proventos (em valores que variam com a hora e o dia e muito aumentada, pois há muitos passageiros que viajam na mesma, em outras companhias) do sector turístico.

A venda do país ao estrangeiro é um legado que poderá ser irrevogável deste governo de patriotas de pacotilha, a começar pelo fugido vice-primeiro-ministro, o maior salcedo entre os salcedos.

 

o dia dos 5%?

 

 

… o gajo político que os tinha no sítio para meter os invasores na ordem!

Governo faz a vontade ao FMI e corta quase tudo

 

paulo portas - pirata

 

E pelo Portugal Profundo o cheiro a fumo é equivalente à desertificação.

SONY DSC

Ontem, por alguma inacção e porque gosto dos devaneios do Luís Pedro Nunes, fiquei a ouvir uma longuíssima intervenção de Clara Ferreira Alves no Eixo do Mal, apesar daqueles óculos saídos directamente dos anos 70.

Depois de me abstrair, consegui isolar a ideia essencial – não muito inédita – de que Passos Coelho será PM enquanto os interesses económicos instalados em seu redor e que o levaram ao poder dele precisarem. CFA só se esqueceu de dizer que apenas se estará a passar o mesmo que se passou com Sócrates que caiu quando os banqueirosetc quiseram que caísse.

Concordo com CFA nessa análise pois fui sendo obrigado a reconhecer que PPC se revelou incapaz de ir além da tal coligação de interesses que, quando se afastou de Sócrates não o fez para que se desenvolvesse uma política de interesse nacional, mas apenas para que a política protegesse melhor os seus interesses particulares, no que Sócrates estava a revelar-se pouco eficaz.

Mas se esta ascensão de PM’s com base em coligações de apoios e interesses não é nova e remonta a muita boa e má gente do passado mais ou menos recente (basta rastrear os escândalos dos financiamentos políticos por essa Europa desde o pós-guerra), nos dias que vivemos parece uma prática generalizada e assumida como mainstream.

Pelo que PPC e o seu governo continuarão a existir – e Paulo Portas a meter a sua prosápia na sacola – enquanto os ditos interesses não encontraram âncora segura e fiável no PS. Daí a necessidade de reunir os três estarolas numa só solução governativa que afaste os indesejáveis e comprometa todos na gestão do pote.

Não é nada de novo, repito. E nem os fogachos que acenam com um Rui Rio e um António Costa trazem algo de novo, pois nada disso está devidamente consolidado e com as garantias de retribuição por apoios eventualmente a conceder.

E é nessa área das retribuições que, não me desenvolvendo por agora muito mais, por exemplo a área da Educação é central, por ser aquela que os interesses pensam existir um nicho muito apreciável de negócio a partir de uma redistribuição dos fluxos financeiros do orçamento do MEC.

Entretanto, lá por fora…

Tory party funding faces scrutiny as voters voice distrust of links with donors

Exclusive dinners, influential trade missions, and invaluable PR opportunities raise questions over David Cameron’s ties with big business.

Bárcenas pasa al ataque contra Rajoy y amenaza con contarlo todo ante el juez

A greve dos professores ou o arrufo dos meninos?

Porque havia quem parecesse escandalizado com o eventual acréscimo de despesa (por demonstrar) na ordem dos 150 milhões de euros causado pela greve, mas já não parecia nada disso com os mais de 2 mil milhões de euros de prejuízos financeiros e económicos da birrinha do paulinho e do pedrocas.

 

Página seguinte »