O Chamado Post Com Bola Castanha De Sarcasmo


Apetece-me fazer uma daquelas provocações, só pelo mero prazer intelectual de a fazer.

E se o custo financeiro do insucesso escolar tender para zero?

zeroeuro

Esqueçamos o custo médio por aluno, o custo marginal, o custo-turma e todas essas coisas.

Pelo menos até aos 18 anos os alunos que entraram no sistema de ensino não estão obrigados a lá permanecer?

Então… no 5º ou no 7º, no 9º ou no 12º ano, continuarão nas escolas, a fazer despesa.

Só quando saem é que deixam de “custar”. E são poucos os que deixam de sair pelos 18 anos ou pouco depois.

A bem dizer, o abandono escolar é que seria mesmo mais económico, porque reduziria o número de alunos.

crazy-man-with-tinfoil-helmet

(depois de escrever e reler isto senti-me praticamente um economista insurgente)

 

 

uma oficina portuguesa, alegadamente – o caraças, andei por lá a recolher números de série  e já os transmiti à procedência –  da Mercedes – terá achado interessante atentar. Como detesto atentados, procedi a que a GNR conhecesse e a Câmara teve que limpar.

mercedes

Mas explicava-me o Sargento que, se não fosse colocada a poia num caminho público, meia dúzia de metros ao lado do que é meu, a Lei dita que seria eu a pagar pela pouca-vergonha.

Tive sorte.

 

 

… aqui o “colectivo” bipolar está a considerar a hipótese de passar a “empreender” posts e dar “consultas” aos leitores. Tudo a bem do espírito pacóvio dos tempos.

Está em análise a hipótese de nos promovermos em truces ou com aqueles calções que têm vergonha em ser calças. Tudo também a bem da circunstância que vai passando e nos vai deixando labregos na costa.

Polvo português encontra solução para rumar ao Japão

Somos desenrascados, mas não sei… uma coisa é negociar nos trópicos e fazer desaparecer milhões em contas bancárias, outra lidar com mafiosos a sério…

Fiquei a saber que os alunos de cursos de formação inicial de professores são dos mais pobrezinhos do Ensino Superior e que isso explica que escrevam com erros, tudo de acordo com um “investigador” de quem tenho discordado muito mas a quem dedicava alguma consideração intelectual.

Percebi, por fim, graças a ele, o objectivo das políticas governamentais de proletarização da classe docente.

Da pobreza vieste, para a pobreza caminharás!

(queriam salários líquidos de quase 2000 euros no fim de 40 anos de carreira, ó malandragem? ide lavar escadas como vossas mães ou estivar e varrer ruas como vossos pais e avôs!)

A ideologia cega-os!

Cáritas Europa diz que a austeridade não está a funcionar e que há cada vez mais pobres

Malandragem. Não conseguem ver o quanto “o país” está melhor.

O secretário-geral do PS disse hoje não estar seguro de que o Estado não esteja imune a «interesses ilegítimos» e «particulares», referindo uma «perceção» de que «há partes do Estado que estão capturadas ou em vias de o ser».
.
Vejamos o caso da Educação… Calvete e Canavarro não rimaram tão bem?
.
Seguro não sabia? Que me parece não foi por falta de lhe dizerem… pois penso que não seja segredo que se reuniu várias vezes com professores da zona centro… é verdade que para ouvir e nunca para agir. Ainda se tivesse presidido à Comissão Parlamentar de Educação poderíamos esperar que fizesse algo, mas… como sabemos nunca foi…

Página seguinte »