O Caos Já Chegou!


Eis dois excertos de testemunhos a partir dos laboratórios de insanidade em que se tornaram as escolas, cortesia de um@ DGAE que continua a insistir no desvario:

(…)

A acrescer a esta barafunda, tenho horários inferiores a 8 horas que estão desde o dia 15 de setembro a aguardar colocação ou orientações sobre o que fazer. Estão dados como válidos pela DGEstE mas não foram processados pela DGAE nas três Reservas de Recrutamento nem podem ser (por enquanto) enviados para Contratação de Escola. O curioso é que nem sequer foram submetidos à RR, sendo que num dos grupos de recrutamento já nem há docentes do quadro por colocar.
Porquê este atraso? Pois não sei e na DGEstE, que os validam, também não sabem dar resposta pois a DGAE não os informa de nada. E às escolas a informação é a mesma.
***
(…)
A última da DGAE é andar a contactar os diretores das escolas que fizeram tudo direitinho (sim, aqueles que obedeceram às ordens e colocaram na BCE ofertas para todos os grupos de recrutamento que exisitam na escola) e intimá-los a colocar também ofertas para os restantes grupos de recrutamento, mesmo sabendo que será impossível abrir vagas para esses grupos… No nosso caso, tivemos que abrir potenciais “vagas” para Latim/Grego ou Ciências Agropecuárias… Perante a incredulidade do Diretor e de toda a Direção, que se estava a aperceber do conteúdo da conversa, a senhora, do outro lado insistia, que sim, que o Diretor tinha de obedecer à ordem de criar ofertas para esses grupos porque… (risota!) podia haver um aluno a pedir transferência para a nossa escola que precisasse de um professor daqueles grupos de recrutamento!

Esta gente não sabe que as turmas são homologadas superiormente, que as escolas já sabem os cursos/disciplinas que vão ter até ao final do ano e que se um aluno se pretende transferir para uma determinada escola que não tem, por exemplo, uma determinada disciplina a solução é escolher outra escola ou outra disciplina…

A gente precisa é de professores nas escolas e não de mais confusão e sobrecarga na já de si inoperante plataforma da DGAE. E os colegas que, mesmo assim, concorrem a muitas ofertas virtuais (que podem ou não concretizar-se ao longo do ano letivo), não precisam de mais “tralha” na plataforma.

 

Comunicado: COMUNICADO APAGARDUNHA XISTO.

Recolha do Livresco:

Pais indignados com revogação de colocações de professores

«Não basta vir pedir de novo “desculpem”. Já chega!», diz a associação de pais CNIPE. Já o Sindicato Nacional dos Professores Licenciados mostrou a sua disponibilidade para prestar apoio jurídico aos docentes que tenham ficado sem colocação, após a divulgação das novas listas.

Crato «não tem condições para continuar como ministro»

Comentário de Constança Cunha e Sá na TVI24 sobre o concurso de professores anulado, que provoca confusão nas escolas.

Pais e sindicatos dizem que, tal como no ano lectivo passado, muitos profissionais ainda não foram colocados.

Reina a “total confusão” na educação e há “pânico” entre os professores

.

930 alunos sem aulas de Música

Falta colocar 48 professores na Escola de Música do Conservatório Nacional. ‘Acordai’ e Hino de Portugal tocados por orquestra de 50 estudantes.

Vou divulgar o que uma colega me enviou, embora eu não queira acreditar – a sério que não – que as coisas tenham atingido este desvario e que as preferências dos professores tenham passado a ser completamente ignoradas.

Já leu com atenção o ponto 11 da circular de dia 12? Refere a citada que os docentes serão colocados por ordem do pedido de horário pelas escolas e ao minuto.

Deve um docente em mobilidade interna aceitar este sorteio de colocação completamente arbitrário, quando existem procedimentos legais e administrativos claramente definidos para o efeito? Decide agora o MEC sortear colocações a lá “fatura da sorte” e brincar com a vida das pessoas desta maneira e nós vamos calar? Como posso divulgar esta anormalidade? Se puder ajudar-nos, agradeço.

(…)

Esta situação está definida no ponto 11 da circular nº B14024576Q de dia 12 que diz que: “Este procedimento deixa de ter uma periodicidade estabelecida, passando-se a atribuir os horários disponíveis por ordem do pedido efetuado pela escola, sendo a colocação feita automaticamente ao minuto.” Ou seja, o MEC demite-se da situação, passando os docentes em Mobilidade Interna e todos os contratados na Reserva de Recrutamento a ser colocados com base no fator sorte, calha-lhe a escola que pedir o horário na altura em que chega a vez do docente na lista! Por exemplo eu concorri a quase dois terços do país, posso calhar em Vinhais, a 300 km da minha residência, ou em Santa Maria da Feira a 10!

É completamente aleatório, estou dependente da escola que pedir horário naquele momento. O que se fazia no ano passado era juntar horários semanalmente e pedir os docentes pela ordem da graduação.

Mais grave ainda o facto de esta primeira Reserva de Recrutamento incluir imensos horários que de acordo com este método vão ser sorteados e não atribuídos de acordo com a nossa graduação profissional como manda a lei. Isto a efetivar-se é completamente surreal: oferta pública de emprego por sorteio!

Sorteio

Descarreguei as imagens, just in case

Alguém desiste do concurso e sai-lhe o jackpot

BCE Normalidade

Ao que parece, regredimos a tempos pré-históricos, mas com aparência tecnológica.

Se o processo das rescisões foi mesmo kafkiano, este é da mais absoluta incompetência técnica, fazendo recordar (para pior) aquela célebre ida de Maria do Carmo Seabra a um Prós & Contras garantir que tudo decorria normalmente, ao mesmo tempo que a aplicação informática para fazer a colocação de professores entrava em total colapso. Foi há pouco mais de 10 anos, mas parece que foi ontem.

E resta saber como é possível fazer uma lista ordenada, sem a devida verificação dos dados inseridos pelos candidatos…

Página seguinte »