O Calote


e

Os transportadores privados reclamam o pagamento das dívidas das autarquias e ameaçam paralisar o transporte escolar se a situação não for resolvida.

 

Duas semanitas, no mínimo,  pode ser?

… despedem-se os professores, fecham-se as escolas e recorre-se ao homeschooling, havendo certamente quem possa ser convidado para explicar as virtudes imensas deste modelo que devolve a liberdade de escolha de todas as vertentes da Educação às famílias.

Fazendo as contas dá para tapar mais este buraco noticiado no Público de hoje (link só para assinantes):

Relatório para a troika situa custos das PPP na ordem dos 26 mil milhões

… que eu sentado no sofá conseguia adivinhar há muito? Não viam a elite jardinesca engordar de uma forma semelhante a certas elites nacionais?

Madeira/Contas: IGF encontra várias irregularidades e incumprimento reiterado de regras orçamentais

Mas temos entidades fiscalizadoras ou não? Há um Tribunal de Contas ou não? Há uma Banco de Portugal ou não? Se é para poupar nas gorduras, porque não encurtar estas instituições que, manifestamente, são meros ramalhetes que foram servindo para emprateleirar e assegurar uma reforma dourada a certos cromos da República?

Foi preciso virem da estranja para se lembrarem de cruzar dados?

… assim as eleições regionais tenham lavado mais branco o jardim, como em tempos lavaram as felgueiras, os isaltinos e os valentões.

Auditoria às contas da Madeira revê dívida para 6,3 mil milhões

Madeira obriga a revisão em alta do défice de 9,1 para 9,8%

Ordem das Finanças ameaça paralisar serviços

A Direcção-Geral do Orçamento (DGO) proibiu todos os organismos da Administração Pública e as empresas públicas de assumirem qualquer despesa se não tiverem dinheiro disponível e reservado para o efeito (cabimentos).

A ordem emitida numa circular, no dia 10 de Setembro, é acompanhada de um aviso: quem não cumprir sofrerá sanções políticas (se for o caso), disciplinares, financeiras, civis e criminais. Esta «responsabilidade pela execução orçamental» será, segundo o documento, aplicada tanto aos titulares de cargos políticos como aos próprios funcionários.

Banco de Portugal e INE apertam cerco às contas das autarquias

‘Troika’ receosa com dívidas do poder local

… o outro vai rodar pelos bancos de estimação do Bloco Central dos Negócios (que o Banco de Portugal não é capaz de fiscalizar, noblesse de constance oblige) e pelos gabinetes de advogados alaranjado-rosados que negociaram os contratos das PPP, ora deste lado, ora do outro.

FMI coloca dois representantes permanentes em Portugal

A sério… acho que deveriam ser mais uns quantos para darem formação em certas instituições que deveriam regular e fiscalizar tanta coisa que fizeram os impossíveis por não ver.

Página seguinte »

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 1.077 outros seguidores