O Calote


e

Os transportadores privados reclamam o pagamento das dívidas das autarquias e ameaçam paralisar o transporte escolar se a situação não for resolvida.

 

Duas semanitas, no mínimo,  pode ser?

… despedem-se os professores, fecham-se as escolas e recorre-se ao homeschooling, havendo certamente quem possa ser convidado para explicar as virtudes imensas deste modelo que devolve a liberdade de escolha de todas as vertentes da Educação às famílias.

Fazendo as contas dá para tapar mais este buraco noticiado no Público de hoje (link só para assinantes):

Relatório para a troika situa custos das PPP na ordem dos 26 mil milhões

… que eu sentado no sofá conseguia adivinhar há muito? Não viam a elite jardinesca engordar de uma forma semelhante a certas elites nacionais?

Madeira/Contas: IGF encontra várias irregularidades e incumprimento reiterado de regras orçamentais

Mas temos entidades fiscalizadoras ou não? Há um Tribunal de Contas ou não? Há uma Banco de Portugal ou não? Se é para poupar nas gorduras, porque não encurtar estas instituições que, manifestamente, são meros ramalhetes que foram servindo para emprateleirar e assegurar uma reforma dourada a certos cromos da República?

Foi preciso virem da estranja para se lembrarem de cruzar dados?

… assim as eleições regionais tenham lavado mais branco o jardim, como em tempos lavaram as felgueiras, os isaltinos e os valentões.

Auditoria às contas da Madeira revê dívida para 6,3 mil milhões

Madeira obriga a revisão em alta do défice de 9,1 para 9,8%

Ordem das Finanças ameaça paralisar serviços

A Direcção-Geral do Orçamento (DGO) proibiu todos os organismos da Administração Pública e as empresas públicas de assumirem qualquer despesa se não tiverem dinheiro disponível e reservado para o efeito (cabimentos).

A ordem emitida numa circular, no dia 10 de Setembro, é acompanhada de um aviso: quem não cumprir sofrerá sanções políticas (se for o caso), disciplinares, financeiras, civis e criminais. Esta «responsabilidade pela execução orçamental» será, segundo o documento, aplicada tanto aos titulares de cargos políticos como aos próprios funcionários.

Banco de Portugal e INE apertam cerco às contas das autarquias

‘Troika’ receosa com dívidas do poder local

… o outro vai rodar pelos bancos de estimação do Bloco Central dos Negócios (que o Banco de Portugal não é capaz de fiscalizar, noblesse de constance oblige) e pelos gabinetes de advogados alaranjado-rosados que negociaram os contratos das PPP, ora deste lado, ora do outro.

FMI coloca dois representantes permanentes em Portugal

A sério… acho que deveriam ser mais uns quantos para darem formação em certas instituições que deveriam regular e fiscalizar tanta coisa que fizeram os impossíveis por não ver.

… muito almoço pago, muito carrinho (ia escrevendo carinho, mas isso é mais problemático) à disposição aos shôres veleadoles e plesidentes.

Empresas Municipais: Governo estima 2,3 mil milhões de passivo

O Governo estima que o passivo das empresas municipais possa ser de 2,3 mil milhões de euros.

Dívida pública ameaça pensões: CGA perde 600 milhões

Caixa Geral de Aposentações está mais exposta à dívida soberana e valor dos títulos é cada vez menor.

Para quando uma auditoria – ou no mínimo uma exposição devidamente detalhada – dos desvios, buracos, omissões e outras confusões nas contas públicas nacionais?

Governo vai cobrir despesas com BPN e Madeira com fundo de pensões dos bancários

O Governo vai proceder à transferência para a esfera do Estado do fundo de pensões dos bancários, de modo a cobrir despesas inesperadas de quase 600 milhões com o BPN e a Madeira.

NEI confirma oferta superior a 100 milhões pelo BPN

O Núcleo Estratégico de Investidores (NEI), que confirmou hoje que ofereceu mais de 100 milhões de euros pelo BPN, fala em “David contra Golias” na privatização do banco e adiantou que pediu uma reunião ao ministro das Finanças.

Mas quantos mil milhões ficam a arder na mesma?

Cartada de outro naipe. Pouco nobre.

… é bom que se refira que a fatia mais grossa da conversa dos bloggers com Pedro Passos Coelho foi acerca da catastrófica situação financeira em que estamos, de que destacaria dois ou três aspectos:

  • O PEC4 não é negociável internamente pelo PS que já se comprometeu oficialmente lá fora. Quando Sócrates diz que fica sem condições de ir à cimeira europeia se o chumbarem está ser, à maneira dele, verdadeiro: ele já fechou o acordo com a Europa e não tem qualquer margem para piruetas lá fora. Só cá dentro.
  • Ao buraco, não enquadrado ainda em termos de OE, do BPN, acresce o do BPP e de diversas empresas do sector empresarial do Estado, em especial ligadas aos transportes. Os valores são brutais. Apesar das habilidades contabilísticas, que permitem não inscrever estes encargos para efeitos de défice, a falta de os cobrir com dinheiro fresco é enorme. Ou a CGD paga, ou pagamos nós.

Se há uns anos estávamos de tanga, nem sei o que chamar a isto que já se podia ler no livro do juiz Carlos Moreno.

… quando incitou, manobrou, infiltrou e recomendou ao PSD que o Orçamento fosse aprovado, caso contrário os mercados (do Bolhão? da Ribeira?) faziam e aconteceriam e a catástrofe estaria aí?

Afinal era tudo a fingir? Não era para levar a sério?

Eu já sabia, mas parece que no PSD acreditaram…

Cavaco Silva: “Não vale a pena perder tempo com aquilo que os mercados estão a fazer”

Cavaco Silva recusou-se hoje a comentar o facto dos juros da divida portuguesa terem hoje chegado perto dos sete por cento, alegando que “não vale a pena perder tempo com aquilo que os mercados, os mercados secundários, estão a fazer”.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 836 outros seguidores