O Bico-Papão Vem Aí!


José Manuel Fernandes mete a cassete e vai de fazer o mesmo de sempre… acenar com o bicho-papão vermelho Mário Nogueira como se ele fosse: a) a personificação de todos os docentes; b) um intrépido e perigoso revolucionário que domina o MEC há anos e anos.

JMF sabe mais do que isto, mas, mesmo sabendo, insiste na ladainha costumeira daqueles que acenam com o espantalho do “professor comunista” a quem não interessam as criancinhas (excepto ao pequeno almoço).

A argumentação é chata, repetitiva e preguiçosa em extremo. Para além daqueles crentes ferrenhos na conspiração comunista global, só ao próprio Mário Nogueira este tipo de verborreia agrada, porque o catapulta para a glória, logo ele que tanto gosta de assinar entendimentos e acordos ao som de pizzas no corredor, quando não anuncia o fim de greves em decurso, com 24 horas de antecedência.

JMF escreve coisas em piloto automático como esta, que se poderia encontrar em qualquer recanto da mais básica blogosfera anti-profes:

A verdade é outra: as dificuldades, maiores ou menores, que há todos os anos por altura da abertura do ano escolar são uma consequência directa do gigantismo paquidérmico do Ministério da Educação, do seu centralismo e da sua obsessão monopolista. É também uma consequência de o foco das suas políticas ser há muitos anos os professores, as suas carreiras e os seus direitos, e não os alunos e as suas famílias.

Isto é falso – os direitos dos alunos passam por amesquinhar os professores e colocá-los de acordo com processos errados? – e todos sabemos bem que o MN nem tem qualquer voto na matéria desde que Crato decidiu desgovernar a Educação, recorrendo apenas à FNE como parceiro legitimador dos seus disparates.

Quanto ao “mastodonte”… que Nuno Crato (será que o seu amigo JMF se lembra?) ia implodir é apenas uma estrutura equivalente à de outras regiões (nem digo países) ou cidades do mundo “livre”.

E já repararam que quando fala de professores, JMF insiste em fulanizar em alguém que nem dá aulas, mas quando fala do MEC nunca personaliza seja o que for em Nuno Crato?

Para além de que JMF escreve coisas que são factualmente erradas, como as suas reminiscências do ano de 2004 e a resolução dos problemas desse concurso… alegando que nenhum computador aguentaria tratar a informação relativa a umas dezenas de milhar (é batota dar a entender que toda a gente concorreu… eu, por exemplo, não concorri… e qualquer bom computador aguentaria… o software é que estava bichado e é triste confundir o soft com o hardware) e omitindo por completo que a coisa “estoirou” com Maria do Carmo Seabra já como ministra.

Já agora, o sistema “centralizado” que eliminou os mini-concursos pode ter sido “negociado” com os sindicatos, mas não foi uma proposta destes.

Basta confirmar com o próprio DJ (e é assunto de que ele já falou publicamente muitas vezes), coisa que eu sei que o JMF pode fazer em muito pouco tempo.

JMF ou erra por problemas de memória ou engana-se por falhas de raciocínio.

Mas o mais grave é mesmo a preguiça, a imensa preguiça de tentar espantalhar as gentes com o Super-Mauzão-Mário, O Comunista, chefe da horda terrível de profes vermelhos façanhudos..

Fica mal, ao fim destes anos, usar este tipo de estratégia digna de uma sebenta dos tempos da Guerra Fria.

Mas a agenda política do Observador assim o exige…

 

E vão recuperar o estudo tipo-FMI e tudo?

Troika de regresso a Lisboa para discutir cortes na despesa pública

Banca europeia pode colapsar “em duas ou três semanas”

Assessor do Fundo Monetário Internacional (FMI) pede resposta urgente à crise da dívida soberana da Zona Euro.

Robert Shapiro assegura que se os políticos não encontrarem uma fórmula “credível” para atacar a crise, em duas ou três semanas “teremos uma crise da dívida soberana que vai levar a um colapso do sistema bancário europeu”.

Claro que a culpa da crise é dos funcionários públicos europeus e, mais em particular, dos professores bem pagos. Já os gestores podem embolsar os prémios de desempenho, conseguidos com habilidades contabilísticas à americana.

Ordem das Finanças ameaça paralisar serviços

A Direcção-Geral do Orçamento (DGO) proibiu todos os organismos da Administração Pública e as empresas públicas de assumirem qualquer despesa se não tiverem dinheiro disponível e reservado para o efeito (cabimentos).

A ordem emitida numa circular, no dia 10 de Setembro, é acompanhada de um aviso: quem não cumprir sofrerá sanções políticas (se for o caso), disciplinares, financeiras, civis e criminais. Esta «responsabilidade pela execução orçamental» será, segundo o documento, aplicada tanto aos titulares de cargos políticos como aos próprios funcionários.

Para quando uma auditoria – ou no mínimo uma exposição devidamente detalhada – dos desvios, buracos, omissões e outras confusões nas contas públicas nacionais?

Governo vai cobrir despesas com BPN e Madeira com fundo de pensões dos bancários

O Governo vai proceder à transferência para a esfera do Estado do fundo de pensões dos bancários, de modo a cobrir despesas inesperadas de quase 600 milhões com o BPN e a Madeira.

Não sei é se os portugueses sobreviverão a tal (pre)ocupação.

conselho de ministros… ao domingo? (hehehe)

Uma coisa que me deixa pasmado, é que houve um tipo qualquer lá da empresa que ficou a ver a SIC àquela hora. Terá sido o pior funcionário do mês de Fevereiro, como castigo?

Moody’s reduz o rating de Portugal após Sócrates falar

… com a nossa pontualidade, o fim do mundo a nós só chega em 2012.

BCE quer proteger Portugal do FMI até final de 2012

Still crazy after all these yields

Ireland’s plan for a brutal fiscal adjustment has done nothing to appease panicky bond markets. Portugal is also in their sights

IN 2008 a strike by French and Spanish lorry drivers cut off the supply of components from Germany to Volkswagen’s Auto Europa plant, south of Lisbon, forcing the factory to close for a day. Two years on there is a more serious threat to the supply lines of countries on the fringes of the euro zone. The yield on Ireland’s ten-year government bond vaulted towards 9% on November 10th, 6.2 percentage points above the yield on safe German Bunds (see chart); Portugal’s topped 7%.

(Continua…)

Das cartesianas, claro.

Mexia: «FMI não vai fazer mais do que já está a ser feito»

PCP: «Intervenção do FMI não resolveria problemas nacionais»

É necessário começar já a abastecer a casa de mantimentos e a limpar os abrigos anti-aéreos?

Governo preparado para resistir ao FMI pelo menos por 2 meses

Se o ridículo matasse…

Não quererão antes dizer que querem ganhar tempo antes de se declararem incompetentes?