NEE


Já pensaram que fazer alterações assim às escondidas é capaz de ser má ideia?

Retificação da Norma e Orientações para Aplicação de Condições Especiais na Realização de Provas e Exames JNE/2015

Alunos com necessidades educativas especiais – Ensino Básico – Ensino Secundário.

Aqui: NormaJNE NEE2015

Já sabemos que o conceito de “normalidade” desta equipa ministerial é especialmente flexível.

Governo garante que arranque do ano letivo vai decorrer com normalidade no ensino especial

Ministério da Educação garante que nenhum aluno com necessidades educativas especiais vai ficar sem apoio

E depois há aquela coisa deliciosa de, na letra da lei, as NEE serem necessariamente permanentes, mas o SE Grancho dizer isto:

Em entrevista à rádio pública, João Grancho admite que caso as necessidades educativas sejam temporárias os apoios passem também eles a ser temporários.

Eu até concordo com ele… o problema é que eles não mudaram a legislação que diz o contrário.

Apenas cinco em cem crianças com necessidades especiais têm apoio

Mesmo que seja um balanço exagerado por excesso, não justifica este tipo de mistificação:

Governo garante apoio a todas as crianças com necessidades especiais

Aliás, como bem nos lembramos, este Secretário de Estado é que deve ter necessidades especiais… basta recordar o episódio do não-conheço-a-Ongoing-mas-acabo-a-trabalhar-lá-meses-depois.

De: DGEEC-DEEBS [mailto:dgeec.deebs@dgeec.mec.pt]
Enviada: APAGADO
Para: APAGADO
Assunto: Necessidades Especiais de Educação 2013/2014 – Questionário eletrónico APAGADO

Assunto: Necessidades Especiais de Educação 2013/2014 – Questionário eletrónico.

Estimado/a Diretor/a:

Como será do seu conhecimento, a Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência (DGEEC) assume as funções de órgão delegado do Instituto Nacional de Estatística para as funções de produção e difusão de estatísticas oficiais da educação, formação e aprendizagem, ciência e sociedade da informação e a Direção-Geral da Educação (DGE) tem nas suas atribuições “Coordenar, acompanhar e propor orientações, em termos científico-pedagógicos e didáticos, para a promoção do sucesso e prevenção do abandono escolar e para as atividades de enriquecimento curricular e do desporto escolar, designadamente atividades de orientação e medidas de apoio, recuperação e complemento educativos, em particular as destinadas a alunos com necessidades educativas especiais”.

Nessa qualidade, e com vista à concretização da operação estatística “Necessidades Especiais de Educação 2013/2014”, solicita-se a V. Exa. a resposta ao questionário em epígrafe – acessível no endereço eletrónico http://web01.misi.edu.pt/no prazo máximo de dez dias úteis. Para o efeito deverá utilizar o “código” (identificação do utilizador) e a “palavra-chave” anteriormente atribuídas pela DGEEC ao seu estabelecimento de educação e ensino.

No caso de um agrupamento de escolas, a identificação referida no ponto anterior permite à sede do agrupamento aceder e responder ao modelo relativo a cada uma das escolas do agrupamento, sendo necessário garantir a existência de uma coordenação efetiva do processo de resposta, por forma a que no final seja reportada a informação relativa a todas as escolas do agrupamento.

Se subsistirem quaisquer dúvidas no preenchimento do questionário queira, por favor, contactar a Direção de Serviços da Educação Especial e Apoio Socioeducativo, da Direção-Geral da Educação:

  • Telefonicamente, através do número 213934532 (entre as 9:00 e as 17:00 horas)
  • Por correio eletrónico, através do endereço dseeas@dge.mec.pt

Por fim, recordamos a V. Exa. que, nos termos do artigo 4.º da Lei n.º 22/2008, de 13 de Maio, a resposta ao presente inquérito é obrigatória, e que os dados estatísticos poderão ser disponibilizados a outros serviços centrais e regionais do Ministério da Educação e Ciência, enquanto informação de gestão do Sistema Educativo.

Com os nossos melhores cumprimentos,

O Diretor de Serviços de Estatísticas da Educação

Um post meu sobre a diferença entre alunos com NEE no ensino público e privado deu origem a um post dos mais ignorantes do blasfemo cunha (o que é obra, pois sobre Educação ele só escreve disparates).

O homem baralhou os números todos, enrolou-se e como não sabe ir em busca dos dados, espalhou-se mais uma vez estrondosamente ao comprido, o que tenta depois encobrir com detalhes pessoais.

Eu explico devagarinho.

  • Uma coisa é o peso relativo dos alunos do Secundário com NEE no total de alunos com NEE (linha azul).
  • Outra coisa é o peso relativo dos alunos do Secundário com NEE em relação aos outros níveis de ensino (linhas verde e vermelha).

NEE2

Como parece evidente, o peso relativo dos alunos com NEE nos vários níveis de ensino até é bastante homogéneo.

Não há curas.

Como se percebe pelo próprio cunha, irremediavelmente perdido para qualquer discussão a sério de assuntos sérios.

E que se amofina, qual vestal ofendida e é imbecil ao ponto de continuar a achar que o Fafe sou eu.

Por imbecil entendo uma constatação de facto e não um insulto.

Por exemplo, eu sou gordo e intolerante com cunhas parvos. Quem assim me adjectivar não me está a insultar.

Página seguinte »

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 1.114 outros seguidores