Movimentos


Clicar para aceder ao site novo.

Por uma escola exigente para responder à crise

O que se pode esperar de Nuno Crato

Balanço da Concentração/Vigília de Professores, organizada pela APEDE, em Sintra

Cortesia do Livresco:

Professores exigiram suspensão do modelo de avaliação numa vigília em Sintra

Cinquenta professores exigiram na sexta-feira, numa vigília em Sintra, a suspensão do modelo de avaliação e desempenho docentes e as medidas “economicistas” do Ministério da Educação.

Sintra: Professores exigiram suspensão avaliação em vigília

Cinquenta professores exigiram na sexta-feira, numa vigília em Sintra, a suspensão do modelo de avaliação e desempenho docentes e as medidas “economicistas” do Ministério da Educação.”Exigimos que haja uma suspensão imediata deste modelo de avaliação e que ele seja substituído por um modelo sério, justo e que efectivamente melhore as práticas docentes. Este modelo de avaliação é uma verdadeira palhaçada”, disse à agência Lusa o presidente da Associação de Professores e Educadores em Defesa do Ensino (APEDE), Ricardo Silva.

A iniciativa foi organizada pelo núcleo de Sintra da APEDE, que juntou em frente às instalações da autarquia, os professores em protesto contra “as medidas economicistas” do Ministério da Educação.

Ricardo Silva adiantou que existe um “sentimento geral de descontentamento” por parte dos professores, que se sentem “maltratados pelo Governo”, e saudou a votação na Assembleia da República dos partidos da oposição, que revogaram o decreto-lei que previa a reorganização curricular.

Breve relato da vigília de professores em Sintra

Ontem, em Sintra, voltou a morar a Esperança

Como correram as coisas. No blogue da APEDE ainda não apareceu nada (esta gente já não aguenta noitadas?) e – ai, ai – o Paulo desta vez nem me mandou uns MMS com umas fotos…

Eu não sei de nada, andei a comprar livros velhos e a apanhar sol, mais a petiza que tinha um aniversário para comparecer. Quem souber que se chegue à frente. A replicação do que se passou em 2008 talvez seja possível, mas há que aprender com o que correu bem (a mobilização paralela aos canais institucionais) e com o que correu mal (a altura em que se passou todo o papel de representação aos ditos institucionais…).

Fotos do Paulo Prudêncio

Conta-me o Paulo Prudêncio que o ambiente é agradável, apesar do frio, com cerca de uma centena ou mais de pessoas, por volta das 22.30. A foto chegou em formato mini, mas mais tarde ou amanhã haverá mais material.

(Re)começar a mexer

O núcleo da APEDE de Caldas da Rainha convoca os professores do concelho e, obviamente, todos aqueles que se lhes queiram associar, para uma concentração/vigília, marcada para sexta-feira 28/01/2011, pelas 21:30 h, na Praça da República (praça da fruta) − Caldas da Rainha.

Visa esta iniciativa fazer sentir à opinião pública, ao governo e aos sindicatos signatários de ‘memorandos’ e ‘acordos’ de má memória que os professores não desistiram da sua luta e que:

1. Recusam definitivamente a demência burocrática deste modelo de avaliação;

2. Não aceitam a precarização laboral em curso, apresentada como consequência inescapável da política de redução da despesa pública.

3. Não admitem a usurpação continuada dos seus direitos laborais, que está a conduzir à subversão total do seu estatuto profissional.

Pára de remoer a tua resignação e vem afirmar a tua dignidade!

Traz um amigo.

Não enviaram para mim, pelo que faço fuga das instruções e não do texto…

Data: 9 de novembro de 2010 23:26:48 GMT+00:00
Para: undisclosed-recipients:;
Assunto: TENTATIVA DE LANÇAR UM MOVIMENTO NOVO
.
Caros amigos,
Partindo do princípio de que, dado o adiantado da hora, os que não me responderam à última mensagem deram o seu acordo tácito às mensagens que vou enviar, juntamente com o texto da Carta Aberta-Manifesto, venho então indicar-vos os próximos passos:
1.º – Irei enviar uma mensagem, subscrita por alguns membros da APEDE e por outros colegas que foram activos na luta dos professores, para os endereços do blogue «Ladrões de Bicicletas» e do blogue da associação ATTAC. Os motivos pelos quais escolhi estes dois blogues tornam-se claros para quem os visite (caso não os conheçam). A mensagem vai no sentido de os convidar a juntarem-se na iniciativa de se lançar um novo movimento cívico, nos termos expostos na Carta-Manifesto.
2.º – Vou enviar igualmente uma mensagem a Paulo Varela Gomes, com conteúdo semelhante. O motivo pelo qual escolho esse destinatário tem que ver com isto.
3.º – As mensagens serão enviadas a partir do endereço novo.movimento@gmail.com
4.º – Seguidamente, o texto da Carta Aberta-Manifesto será publicado no blogue da APEDE.
A quem possui blogues próprios peço que publiquem neles esse texto (que vos envio em anexo a esta mensagem) e que o difundam o mais possível, sobretudo para fora da esfera ligada aos professores. Usem os e-mails e o Facebook. A todos peço também que coloquem mensagens noutros blogues fazendo ligação para o texto (podem linkar para o “post” da APEDE onde o texto está publicado ou para “posts” de outros blogues que o tenham publicado). Façam-no, claro está, sem saturar as caixas de comentários, pois isso pode tornar-se contraproducente em relação à mensagem que queremos passar. Deixo-vos aqui algumas sugestões de blogues onde o «Manifesto» pode ser publicitado nas caixas de comentários:
.
Há certamente muitos outros. A ideia é criar uma onda. Seremos capazes?
.
Abraço a todos,
.
Mário Machaqueiro

Iniciativa de Luta -13 de Setembro: É importante continuar a resistir!

Já sei que podem usar o argumento de que, tendo sido convidado a colaborar e não participando, o meu direito a crítica é menor, mas… por favor… não comecem a fazer coisa parecidas às vigílias e arruadas dos outros

CARTA ABERTA

A Ilídio Trindade, Octávio Gonçalves e Ricardo Silva

Escrevo-vos esta missiva, porque ainda não se extinguiu no meu peito a chama olímpica que, em tempos, nos acalentou a alma e nos levou aos mais altos patamares da dignidade e da resistência e porque ainda acredito — talvez ingenuamente — que ainda é possível emergir destas cinzas exangues e frias, em cujo ventre germina o conformismo e a obediência cega. Escrevo-vos, porque acredito piamente que ainda é possível travar esta devastação que está a abocanhar vampiricamente as escolas públicas. E o que ainda é possível resgatar vale bem a pena, acreditai!

(Continua…)

[causas]

A Propósito de um Comunicado Algo Desnorteado

Mas isto não estava já negociado e não era mesmo um dos pontos favoráveis do “Acordo”?

Página seguinte »