Justiça Amarrada


a polícia australiana está feita, matou um incompreendido cidadão caído na má interpretação de escrituras, culpa dos professores que dificultaram a sua integração, e ainda levaram à ida para o maneta de dois reféns quaisquer

Ao que parece nem o antes idealista Xanana consegue resistir a uma argumentação de real politk, típica de uma operação de cover up.

Xanana Gusmão: Manter imunidade de governantes visa proteger o país

Tenho a certeza que esta doutrina será compreendida pelos nossos governantes.

Cinco casos da inJustiça que as falhas do Citius provocam

Passaram mais de 40 dias desde que a Justiça portuguesa parou. E fez vítimas. Dos trabalhadores com salários em atraso às crianças sem regulação parental, cinco casos exemplares da mão pesada da injustiça.

Falo daquela sugestão dada aos professores lesados por esta barafunda para recorrerem aos tribunais.

Com o estado de citius em que a Justiça está, é garantido que só daqui a dois mandatos conseguem alguma coisa.

Mas, pelo menos, percebe-se que não se diz inocente, muito pelo contrário.

Jacinto Paixão, ex-árbitro que esta semana foi ilibado da prática de “infração disciplinar muito grave de corrupção da equipa de arbitragem” no encontro entre o FC Porto e o E. Amadora da temporada 2003/04, diz esta sexta-feira ao “Correio da Manhã  que “há muitos mais Apitos Dourados”.

Paixão admite que “não é só o FC Porto” que “está metido” e promete que um dia contará o que se passou:

“Só falarei quando tiver os meus filhos criados. Só digo que há muitas mais coisas para além daquelas que vieram a público”.

Não é que não tenham feito. É porque conseguem que as provas não sejam usadas ou porque, alegadamente, a malfeitoria prescreveu.

É a doutrina valentim em todo o seu fétido esplendor.

CITIUS: Sim, Assumem a Culpa

.

Erros ignorados durante 4 anos

(…)

Em janeiro de 2013, a equipa demitiu-se, porque foi informada de que o seu trabalho iria servir de base a uma empresa privada, que iria continuar o projeto.

O texto do SFJ termina com ironia, referindo que os membros da equipa “assumem a culpa por, em maio de 2013, já depois de terem saído, o Ministério da Justiça ter decidido banir o Citius Plus e ter decidido avançar com o H@bilus/Citius, mesmo sem a parte significante, que nunca foi posta em produção por falta de autorização. Está explicado no documento de junho de 2012 porque é que tudo o que estava desenvolvido deveria ter sido posto em produção”.

Mas haverá quem diga que, pelo menos, as pessoas já não vão descalças.

A Justiça agora mora a quatro horas de viagem e é preciso partir de véspera

Os processos dos tribunais encerrados em Vila Real passaram para a capital do distrito, mas arguidos, vítimas e testemunhas não conseguem lá chegar. Para os julgamentos marcados de manhã, ou alugam um quarto num hotel para passar a noite anterior ou só chegam quando a sessão acabou.

Pub8Mar14

Público, 8 de Março de 2014

Para quando a prescrição ou absolvição de Rendeiro?

O que fez de mal, afinal, Oliveira e Costa para ter ido parar à prisão? Abusou mais do que é permitido pelas leis das malfeitorias de colarinho branco?

… e a mais velha (e esburacada) aliança do mundo.

Porque não se devem investigar estrangeiros amigos. Fica mal.

sol8Nov13

Sol, 8 de Novembro de 2013

Processo que envolvia PGR angolano foi arquivado

Ou apenas há gente com imensa cagufa?

Tribunal de Contas arrasa Ministério Público por não acusar membros do Governo da Madeira

(…)

“Só por distracção ou prefixação noutra solução, mais simples e divorciada da factualidade espelhada no processo de autoria, se justifica uma conclusão destas”, frisa o despacho do juiz conselheiro da Secção Regional do TC, publicado nesta segunda-feira no Diário da República. “A matéria de facto é realmente muita, assim como a documentação que a suporta”, acrescenta José Aveiro Pereira, referindo-se aos resultados desta acção fiscalizadora explicitados no Relatório n.º 8/2012- FS/SRMTC, aprovado a 31 de Dezembro de 2010.

MEC perde 150.ª acção em tribunal por não pagar a professores contratados

Em 2011, o gabinete do ministro Nuno Crato assumiu que só pagaria a compensação pelos contratos não renovados aos professores que vencessem em tribunal.

Olha uma área onde a acção discreta que o PR afirma exercer se poderia fazer sentir… caso… enfim…

O acórdão da 6.ª Vara Criminal de Lisboa que absolveu os 11 arguidos do processo Portucale tem várias contradições entre os factos considerados provados e não provados, como se pode constatar pela sua simples leitura, tal como o SOL fez.

Além disso, a parte da fundamentação do acórdão – em que os juízes têm de explicar como formaram a sua convicção – limita-se a remeter genericamente para as declarações de arguidos e testemunhas, documentos e escutas telefónicas, não permitindo perceber qual o raciocínio e os factos que levaram à conclusão de que não houve os crimes de tráfico de influências, abuso de poder e falsificação de documentos, como acusava o Ministério Público (MP).

Candidatos do PS e do PSD ao Tribunal Constitucional são da maçonaria

(…)

A escolha destes dois maçons – os nomes reuniram o consenso de socialistas e sociais-democratas – surge poucos meses depois da controvérsia originada pelo PSD relativamente à maçonaria. Em Outubro do ano passado, num relatório sobre as alegadas fugas de informações e escutas a um jornalista, envolvendo os serviços secretos, o PSD designou a maçonaria como um “grupo de pressão”, “influente”, que, naqueles casos, “afectava a credibilidade” das secretas.

 

Alguns comentários são muito elucidativos…

PSD e PS já escolheram juizes para o TC

Não sabia que se podia ir para o Tribunal Constitucional com seis meses de exercício da magistratura…

Nem há prova de ingresso, nem nada, basta fidelidade, digo, simpatia partidária.

 

Embora fosse profundamente estranho que, no momento actual, este processo desse em qualquer coisa.

Portucale: todos os arguidos absolvidos

Os 11 arguidos do caso Portucale, ligado ao abate ilegal de sobreiros para a construção de um empreendimento imobiliário e turístico em Benavente, foram hoje absolvidos de todos os crimes de que estavam acusados.

 

Pedida suspensão da imunidade do Presidente da Alemanha

A Procuradoria de Estado em Hanover requereu ao Parlamento Federal a suspensão da imunidade do Presidente por suspeita de peculato e corrupção.

A suspeita reporta-se à altura em que Christian Wulff foi ministro-presidente da Baixa Saxónia. Só a suspensão da imunidade, inédita na História da Alemanha federal, permitirá à procuradoria avançar com a investigação de diversas acusações que, há semanas, colocam o Presidente alemão na mira de críticos de todos os partidos.

Prisão de Isaltino. Procurador acusa juíza de actuação kafkiana contra o Ministério Público

Há uma sentença transitada em julgado que manda que Isaltino cumpra dois anos de prisão. O prazo de prescrição corre e a juíza não aceita os mandados. O procurador recorreu para a Relação.

Isaltino é “case study mundial”

Magistrado Luís Eloy faz duras críticas à juíza que não prende Isaltino.

Baltazar Garzón, el héroe de la justicia española que cae en picada

El juez Baltazar Garzón fue condenado este jueves por prevaricato e inhabilitado para ejercer durante 11 años.

“El último condenado del franquismo”

Página seguinte »