Isso É Que Era Mesmo Bom


Se a condenação acontecesse, era ver muit@ senhor@ ministr@ a temer – enfim – pelos seus actos…

Prevaricação. MP pede pena de prisão para Maria de Lurdes Rodrigues

… essa coisa do sangue novo e carne fresca, acrescento eu (que sou sangue velho e carne já curtida) às declarações do ministro Crato.

Penso que aumentaria os níveis de atracção dos encarregados de educação, estimularia a concentração d@s discentes e motivaria o pessoal docente, não docente e mesmo o doente, que se encontra em estado um ‘cadinho murchito e a precisar de uma pedagogia dos afectos e mais além.

true-blood-record-ratings-04true-blood-record-ratings-02

comemorar o desígnio no Campo Pequeno

A estátua está ali junto ao parque antigo da cidade… e resistiu, quase intocada, aos excessos de 74-75.

O governo quer relançar a industrialização. Como se faz isso?

Pretendemos lançar uma estratégia de fomento industrial entre 2013 e 2020. Se queremos voltar a apostar na indústria e nos nossos sectores produtivos é importante a agenda de reformas estruturais que está no terreno. Em Portugal e na Europa viveu-se nas últimas décadas na ilusão de que podíamos deixar as nossas empresas deslocalizar. Vivemos uma crise sem precedentes que se baseia na perda de competitividade, conjugada com um nível de endividamento insustentável. É fundamental invertermos o ciclo de tendência de desindustrialização de Portugal e da Europa.

Mota-Engil é campeã das obras nas escolas

Empresa de Jorge Coelho ganhou 162 milhões com adjudicações da Parque Escolar.

A construtora gerida pelo antigo ministro das Obras Públicas arrecadou mais que a 2.ª e 3.ª classificadas em conjunto.

Pessoalmente, gostaria que a Mota-Engil estabelecesse umas parcerias com escolas carenciadas em que pudesse usar parte dos seus lucros de uma forma socialmente responsável.

Eu acho que seria só vantagens. E nem falo no Mafia Wars. A coisa era assim: as comitivas de lellos e outros tubérculos passariam pelas nossas farms e cities. Deixariam umas gifts e fariam umas pausas no cafe world e umas animações para a miudagem no zoo world.

Quem for e-turnip, é azar. Ou sorte, sei lá. Poupava-se imenso em tudo e era só inovação, tudo agarradinhos aos magalhães e aos e-escolas a estreitar a banda e a vê-los passar. Tudo muito e-new, e-cheap e e-clean.

Nem era preciso varrer as migalhas de bolo-rei, nem nada.

Bora nessa?

O Presidente da República exigiu hoje, numa mensagem no Facebook, uma campanha “sem crispações artificiais e querelas inúteis”.

Número de portugueses a formar professores em Angola devia aumentar dez vezes, defende Cavaco Silva

O Presidente da República defendeu hoje que o número de professores portugueses em Angola no âmbito do programa Saber Mais devia aumentar dez vezes, considerando que o seu trabalho “é da maior importância” para os dois países.
Actualmente, o projecto Saber Mais, de formação de professores angolanos, envolve 20 docentes portugueses – oito em Benguela, 12 no Namibe – mas tem-se deparado com problemas de alojamento que dificultam a sua expansão.

20 x 10 = a…… alguém me chama um guterrinho?

… que o obriguem a continuar, em especial num dia em que até foi à casa-mater. Ainda por cima para dizer estas coisas que são em forma de coiso e também do seu contrário.

Porque efectivamente, ou não, as faltas só aumentaram em casos pontuais, nomeadamente no caso dos alunos que faltaram. No caso dos que não faltaram, as faltas não aumentaram.

É o que parece, numa primeira abordagem. Ou não. Depende. Do que o Ministério pensa, porque o Ministério tem cérebro. Pelo menos em casos pontuais. Nos outros, parece que falta. Ou não.

Realce ainda para o facto do ME saber das faltas pelos parceiros. Quais? Os preferenciais ou os outros?

Provas de recuperação não levaram a aumento de faltas, diz secretário de Estado

O secretário de Estado da Educação, Alexandre Ventura, rejeitou hoje a ideia de que a existência de provas de recuperação tenha levado a um aumento das faltas dadas pelos alunos, admitindo que isso tenha acontecido apenas em casos pontuais.

“O Ministério da Educação não pensa assim e isso não lhe foi transmitido pelos parceiros”, disse à Lusa o governante, no final da cerimónia de entrega de prémios das Competições Nacionais de Ciência que decorrem até quinta-feira na Universidade de Aveiro (UA).

Alexandre Ventura admite, no entanto, que, em alguns casos, o facto de haver provas de recuperação se tornou um “factor de desmotivação acrescida”, referindo-se às chamadas “situações de fim de linha”.

No princípio da linha não há problemas porque o comboio ainda vai a ganhar balanço.

Eu continuo a achar que o SE Ventura fala esquisito. Mas é uma opinião. Daqui a pouco já aparece aquele comentador de serviço a dizer que não, que eu é que errei a leitura paleográfica das declarações.

No seu espaço de hoje no jornal Sol, Marcelo Rebelo de Sousa afirma que Isabel Alçada colocou como condição para ser ministra a revisão do modelo de ADD e da estrutura da carreira docente.

A menos que o professor mantenha o seu velho jeito para criar factos políticos, só podemos esperar que tenha razão, apesar de tudo o que aponta para o contrário.

Confap quer lançar TV online para pais no próximo ano lectivo

A Confederação Nacional das Associações de Pais (Confap) prevê lançar um canal televisivo na Internet já no próximo ano lectivo, revelou hoje o presidente da estrutura. “Vamos tentar que a estação funcione já no próximo ano lectivo”, disse Albino Almeida.

O dirigente referiu que a “TV Pais” servirá essencialmente para fazer a “capacitação parental” dos encarregados de educação, ou seja, para os ajudar a acompanhar melhor o processo educativo dos seus filhos. “Pessoas com provas dadas na Educação” serão convidadas a animar algumas emissões, segundo o presidente da Confap, que não adiantou nomes.

Para Albino Almeida, será desejável que os pais vejam a emissão de TV online nos computadores dos filhos, em “partilha”. A selecção dos conteúdos e a orientação editorial do canal serão da responsabilidade directa da Confap, mas a instalação e manutenção técnica dos equipamentos, a montagem e execução dos programas, bem como a formação dos colaboradores do futuro canal de televisão ficam a cargo do Instituto Superior de Línguas e Administração de Gaia.

Um protocolo alusivo foi assinado sábado entre as duas partes. Na altura, o instituto superior de Gaia e a Confap acordaram também parcerias em pós-graduações, acções de formação, qualificação e reciclagem.


Haverá subsídio ministerial?

“Quatro ou cinco escolas” não cumprirão prazo

A ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, disse hoje que “quatro ou cinco escolas” não vão cumprir o prazo de eleição dos respectivos directores, que termina a 31 de Maio.

“Há quatro, cinco escolas em que não apareceram candidaturas ou que houve problemas de outra natureza, em que os concursos abertos acabaram por não ter resultados positivos, mas são quatro ou cinco escolas, não mais do que isso em todo o país”, afirmou, à margem da tomada de posse da nova directora do Agrupamento de Escolas Gualdim Pais.

Recusando classificar estes casos como “resistência”, Maria de Lurdes Rodrigues referiu que “foram casos em que não emergiram lideranças, que não apareceram candidaturas, em que as candidaturas não foram reconhecidas localmente pelas comunidades locais como candidaturas de qualidade e foram rejeitadas”.

… que era a curteza da bolsa familiar, não compensada por qualquer bolsa externa que me permitisse esse tipo de cosmopolitismo. Mas também não fui para Medicina e se calhar o dr. Pedro Nunes acha que os alunos dos outros cursos não precisam de alargar os seus horizontes.

Pedro Nunes disse recear a dispersão das faculdades de Medicina, “porque tal não está de acordo com as normas internacionais”. “Tecnicamente é preferível concentrar em pólos as universidades”, referiu o bastonário, salientando a necessidade dos futuros médicos terem vivência universitária.

“Para os médicos é fundamental que durante a sua fase de ensino saiam das suas terrinhas e abram os seus olhos. O ideal era que os portugueses fizessem parte dos seus cursos em Paris ou em Londres, em vez de irmos aproximando as faculdades” das localidades de origem, referiu Pedro Nunes, relativamente à abertura deste novo curso no Algarve.

Eu percebo a lógica do Bastonário da Ordem dos Médicos e, em boa verdade, também acho que tirar o curso a 5 minutos de casa, sendo prático e económico, tem diversas desvantagens em termos de afunilamento da visão do mundo que se vai construindo.

Mas enquanto estivermos em Portugal, lamento mas quanto muito só dá para a maioria ir até Lisboa, Coimbra ou Porto.

Eu sei que nos anos 60 e 70 muita da nossa actual intelligentsia actual se formou pelas Europas. Mas isso era tudo malta burguesa, cujas famílias – apesar de muito antifascistas e contrárias ao regime – tinham meios para mandar os seus rebentos formar-se e experimentar os ares da liberdades para as Oxbridges, Sorbonas e outras universidades de maiores ou menores méritos da Europa ilustrada.

Só que isso não é para todos. Quanto muito arranjam-se umas fulbraites para se passar um semestre ou ano nos States ou, mais habitualmente, umas bolsas da efecêtê para passear uns tempos por Florença e vir de lá com os olhos abertos, a pele queimada e muita peneira.

Quanto à Medicina, propriamente dita, seria interessante saber se Pedro Nunes aplicaria o mesmo princípio aos estudantes ingleses e franceses e se recomendaria que eles viessem até Lisboa para não estudarem perto das suas «localidades de origem». Ou será que só servimos como recurso para o pessoal dos PALOP?

Adenda: Ouvi, espant6adíssimo, um senhor doutor qualquer de uma universidade ou politécnico que existe em Viseu queixar-se imenso por não ter recebido o curso de Medicina, alegando que os investimentos nesta matéria são todos no litoral. Ao exemplificar até referiu Évora…