Inquérito


Dizem-me que a EPIS nem sempre respeita as regras do MEC nos inquéritos que distribui pelos alunos a quem dá apoio.

Alguém me pode (des)confirmar?

Porque aquilo que me foi dado a conhecer é um bocadito perturbador.

Aqui.

Logo SNESup

Professores do Ensino Superior e investigadores defendem mudanças na reorganização da rede e no modelo de financiamento das instituições

70% dos inquiridos concorda com a necessidade de reorganização da rede de Ensino Superior

O SNESup – Sindicato Nacional do Ensino Superior – lançou um inquérito sobre a reestruturação da rede de Ensino Superior com objectivo de promover a participação activa dos docentes e investigadores na discussão sobre “As Linhas de Reforma do Ensino Superior” sugerida pelo Secretário de Estado do Ensino Superior.

O inquérito realizado entre 18 de Novembro e 1 de Dezembro de 2013 contou com a participação de 3.609 docentes e investigadores, 56,2% dos quais do ensino superior universitário e 43,8% do ensino superior politécnico, revela que a maioria, um total de 70%, concorda com a reorganização da rede sendo que 30% não concordam.

Em relação ao actual modelo de financiamento das instituições de Ensino Superior um pouco mais de ⅔ dos inquiridos entende ser necessário proceder a uma mudança e ¼ defende dever existir uma diferenciação a nível do financiamento entre subsistemas universitário e politécnico, sendo essa opinião mais frequente entre os respondentes do primeiro subsistema.

No que diz respeito aos modelos de associação ou cooperação que possam vir a presidir a um eventual cenário de áreas de coordenação regional 15,1% escolheram mais que um modelo de associação. De todos os modelos escolhidos, a fusão alcançou 13,1%, a integração representou 17,7%, o consórcio atingiu 57,4% e outras formas de associação mereceram a escolha de 11,8% dos respondentes.

O inquérito realizado mostra ainda que a opinião dos docentes sobre a pertinência da actual divisão binária do Ensino Superior é distinta. Dos 2.253 respondentes que se pronunciaram sobre esta questão, 68,3% concordam e 31,7% não concordam com a divisão binária no Ensino Superior. Mas a percentagem de respostas concordantes é maior no Ensino Superior Universitário (75,7%) que no Ensino Superior Politécnico (59,9%).

De salientar, que na questão relativa à necessidade de reestruturar o funcionamento das Instituições de Ensino Superior, em termos gerais, num universo de 2.410 respostas, 73,6% concordam (8,6% não concordam e 17,8% afirmou não saber/não ter a certeza).

Dado o curto prazo que foi indicado pela tutela para esta discussão, o inquérito teve que ser elaborado e divulgado num prazo igualmente curto. “Este facto impediu uma auscultação prévia sobre as dimensões de inquirição, não permitiu a realização de um pré-teste para recolha de sugestões e fez com que nem todas as questões pertinentes tivessem sido incluídas no questionário” afirma António Vicente presidente da direcção do SNESup.

No entanto, o sindicato considera o balanço da iniciativa foi francamente positivo dado que houve uma adesão muito significativa, o que revela o interesse da comunidade de docentes e investigadores por este tema e irá divulgar em breve o relatório completo do estudo onde consta de forma detalhada, entre outros aspectos, a opinião dos docentes e investigadores sobre as questões do financiamento.

SNESup – SNESup, Intervenção permanente no Ensino Superior

O Sindicato Nacional do Ensino Superior foi fundado em 1989, não filiado nas federações de professores, frentes da função pública e confederações sindicais, sendo a maior organização sindical do ensino superior. O SNESup defende, em particular, os interesses sócio-profissionais dos docentes e investigadores do ensino superior independentemente da natureza do seu vínculo, da sua categoria profissional e do seu regime de prestação de serviço.

Para mais informações, por favor contacte:

Parceiros de Comunicação

Tel.: 218 922 858

Mónica Coelho – monica.coelho@parceiros.pt

Anexo: SNESup Sumario-Executivo