Greve Geral


Estão aqui, no Ad Duo.

É curioso mas não encontro os dados para dia 17.

Não sei quem embaraçariam mais.

Estava a ouvir o novo secretário geral da UGT nas televisões. Chato, embora menos (o que não é difícil) do que o Proença.

Fiquei a saber que foi bem recebido nos locais que escolheu para visitar. Ainda bem.

… mas parece que já fiz a minha parte, a avaliar pelo encostanço.

DN27Jun13

Diário de Notícias, 27 de Junho de 2013

… quem assegurou o funcionamento dos exames no dia 17 em algumas escolas a apelar à greve geral para dia 27. Deve ser solidariedade para fora em vez de unidade para dentro.

E afinal o Ramiro é que tinha razão… isto era um conflito entre sindicatos e o MEC, enquanto eu estava convencido de ser uma luta dos professores contra as políticas do governo, de que os sindicatos e o MEC eram apenas os que se sentam à mesa em nome de…

E afinal a prainha está salva, agora que o tempo está quente demais para lutas.

Agora com textos completos do DN de hoje:

IMG_1170

… ou a pressa em aplicar a mensagem nº do JNE (Mensagem n.º 8_JNE_2013) parece maior em presidentes de CAP do que em director@s?

Eis mais um exemplo: Serviço de Exames 3.

Claro que há excepções…

Comunicado: A Pró-Ordem adere à greve do próximo dia 17,

Ministério convoca todos os professores para estarem nas escolas no dia da greve aos exames

Orientação foi enviada para as escolas nesta quarta-feira.

A greve geral no ensino.

… com a relação entre a solução preconizada para resolver a situação que vivemos – pareceu-me que passaria por eleições – e a teorização do levantamento popular que li no Rumo à Vitória.

Percebo que, afinal, se admite que em democracia (mesmo que burguesa) as soluções são diferentes das que se projectavam em tempos de ditadura.

Mas… para dia 27 há a questão de saber se a anunciada concentração oficial irá abandonar o terreno quando os indignados passarem à acção.

Eu explico melhor porque coloco este tipo de questão. É que, por ocasião de algumas manifestações da Primavera Árabe, nomeadamente no Egipto, houve quem me criticasse por ser contestatário de sofá e me refugiar nas arcadas. Ora, pelo que vi… houve quem nem nas aracdas ficasse e tenha batido em retirada depois de picado o ponto.

Eu, pessoalmente, penso que sim.

Mas aceito a posição daqueles que não. Como utente, ainda não dei pela greve. Como trabalhador, avisei os meus alunos.

As coisas que desentendo – de um lado e outro – ficam para depois

Imagens encontradas aqui.

A greve geral convocada pela CGTP está a ter impactos distintos em diferentes áreas do dia-a-dia dos cidadãos. Confira aqui o que está a acontecer, minuto ao minuto.

Arménio: a greve foi um sucesso retumbante, estiveram paralisados estes e estes e estes serviços, a adesão foi de 143,3% aqui e de 57,9% ali, o que dá globalmente uma média de 100,1%, o que está exactamente 0,1% acima das nossas expectativas. O povo português e os trabalhadores, em particular, estão de parabéns por mais esta jornada de luta, que transmite ao país o desagrado contra esta política de saque, exploração e empobrecimento que cede aos interesses neoliberais dos grandes grupos económicos, à custa da qualidade de vida dos trabalhadores e dos portugueses, em geral.

Miguel: a greve é um direito, mas o país continuou a funcionar. Em alguns pontos trabalharam mais funcionários do que é habitual e adesão oscila entre os 0,001 na rua da sede da CGTP e os -0,001 na travessa do Possolo, o que dá uma adesão de 0%, o que está 0,1% acima (ou abaixo) do esperado. O Governo continua unido a trabalhar para recuperar o país e a economia, no que as reformas estruturais que estamos a implementar são decisivas e nesse quadro o acordo conseguido sobre as matérias laborais em sede de concertação social é uma peça fundamental.

… é ver/ouvir os repórteres televisivos e radiofónicos em dia de greve geral. Antes de mais, porque é dos dias em que mais trabalham, correndo de um lado para o outro a relatar o que é quase sempre óbvio ou a detalhar coisas próprias de um hiper-realismo.

Há coisa de meia hora ouvia numa rádio o seguinte naco, digno de uma imagética cinematográfica… “e agora vejo a primeira funcionária a ligar o seu computador e a preparar-se para se sentar”.

Eu fiquei preocupado com as questões da segurança no trabalho. Aparentemente a funcionária ligou o computador estando de pé. Pode não ser a opção mais segura e protocolar.

Podemos é discordar das estratégias e formas…

Que razões há para protestar?

Aqui, penso que as 24 horas que estava aberta acabam agora, pelas 22.00.

Greve geral de quinta-feira promete causar constrangimentos

Ainda bem, assim as bases não precisam de pensar e decidir ou algo assim. Basta serem informadas e esclarecidas que a mobilização é logo a seguir.

É sempre bom reencontrar velhas rotinas a funcionar em pleno.

FENPROF decidiu aderir à Greve Geral de 22 de março

A FENPROF decidiu aderir à Greve Geral de 22 de março, O respetivo Pré-Aviso será entregue na  segunda-feira, dia 12. A Federação decidiu ainda “promover um amplo processo de informação, esclarecimento, debate e mobilização para que a adesão dos docentes e investigadores à Greve Geral tenha um forte significado”.

Página seguinte »