Gostos Discutem-se


Pior, só as reportagens à hora do almoço, há um par de semanas, quando o pequeno Carlos foi mostrado a passear pelas ruas de Bruxelas, como se acabasse de ir para a guerra sem máscara de gás e sem botas da tropa.

Carlos Moedas de visita a Portugal

 

emplastro.

 

IMG_5044

Esta é uma hora decisiva, não podemos vacilar

… fico a pensar no que o que terá levado a…

Será que ele acredita mesmo que…?

Poiares Maduro escolhe Pedro Lomba e Pedro Cardoso da Costa para secretários de Estado

… quase arbitrárias, excepção feita à Mafalda, à Janela e ao Deckard… que são permanências.

IMG_0492

Diário de Notícias, suplemento QI, 30 de Março de 2013

Isso, aplicar otelo aos otelos.

Será LGBT ou apenas simpatizante? É que os outros países têm instrumento de adesão ou ratificação… Este parece-me muito fracturante…

Aviso n.º 116/2012. D.R. n.º 177, Série I de 2012-09-12

Torna público que o Turquemenistão depositou o seu instrumento de acessão do Protocolo de 1978 Relativo à Convenção Internacional para a Prevenção da Poluição por Navios, adotado em Londres em 17 de fevereiro de 1978.

 

O presidente da EDP, António Mexia, defendeu hoje que “a solução de mais impostos sobre o setor privado não faz sentido”, referindo-se à eventual retirada de um dos subsídios aos trabalhadores do privado em 2013.

Não é que eu deseje a miséria para todos, mas ler ou ouvir este Mexia, elevado a guru da gestão por razões desconhecidas, desperta-me a maior das urticárias…

Digam o que disserem, parece-me anglo-sax.

Entre a versão anunciada inicialmente da estrutura curricular para o próximo ano lectivo e a versão divulgada agora com cargas lectivas mínimas existem algumas diferenças que, no discurso, visam reforçar a autonomia das escolas na organização do currículo mas que, na prática e no actual momento de (novamente) indefinição e instabilidade do corpo docente, só virão ajudar a estabelecer a confusão e potenciar focos de conflitualidade onde as coisas forem feitas com menor transparência (o que não é assim tão raro…).

Eu explico para o caso do 2º ciclo:

  • A carga lectiva apresentada em Março tinha 1350 minutos com uma distribuição em minutos de 540/405/270 e 135 para, respectivamente, os conjuntos LP/LE/HGP, Mat/Ciências, EV/ET/EM e EF.
  • A carga mínima agora apresentada é de 500/350/270 e 135, o que significa que 95 minutos (!) ficam por atribuir podendo ser redistribuídos pelas diversas disciplinas ou pela nova Oferta Complementar.

Ora bem… o que num ambiente de estabilidade poderia ser uma iniciativa interessante é, no contexto presente de indefinição e instabilidade nas escolas em relação aos horários dos docentes, incluindo os dos quadros e não apenas os contratados, um potencial foco de guerra e um fértil pasto para muita coisa pouco recomendável.

Pelo caminho, o aumento episódico da carga horária em LP e Matemática pode ser abandonado em prol de outras opções (fica um mínimo abaixo do que antes existia, pois 200 minutos são 4 tempos de 50 minutos), não se sabendo exactamente o que vai sair da oferta complementar, se ela chegará a existir nuns pontos ou se será o refúgio, em outros, para acomodar clientelas particulares.

Parece que voltámos àqueles tempos da MLR em que as coisas surgiam todas em torrente, sem articulação entre si.

É pena.

Direcção do jornal i demitida

A administração do jornal i informou na manhã desta terça-feira a actual direcção de que tinha sido substituída, não revelando nem as razões nem os novos membros da direcção.

António Ribeiro Ferreira, o ex-director, confirmou ao PÚBLICO que tanto ele como Ana Sá Lopes, que ocupava o cargo de directora-adjunta, foram informados esta manhã que tinham sido demitidos.

Foram, porém, convidados a ficar no jornal. “Estou há oito meses no jornal, gosto das pessoas, acredito que o i tem potencialidades, por isso admito ficar”, afirmou Ribeiro Ferreira.

“Foi-nos comunicado esta manhã que a direção irá mudar a curto prazo. Não é hoje, mas será a curto prazo”, afirmou Ana Sá Lopes citada pela Lusa, na sequência da notícia avançada pelo Meios & Publicidade de que o novo director do jornal poderia ser Eduardo Oliveira Silva, actualmente cronista do título.

A jornalista ficará como directora interina, continuando, tal como, António Ribeiro Ferreira, na redacção. “Quando há uma transição de accionistas estas coisas acontecem. Já aconteceu da última vez e agora. Penso que é normal”, acrescentou Sá Lopes, salientando que ainda iria ser comunicada à redação a decisão, sem que haja, para já, nomes para a nova direcção.

É melhor ficar… a partir de certa altura é mais difícil emigrar… e os lugares para (blip-blip-blip)* andam muito disputados.

Manterá o nosso estimado cookie man a presença opinativa na TVI24? Não haverá por aí uma vassourada 2-em-1?

.

* – Parte censurada pelos meus restos de bom-senso.

Miguel Abreu, presidente da Sociedade Portuguesa de Matemática (SPM), estava fora do país no dia da greve. Se estivesse em Portugal, não teria aderido à paralisação convocada pelas centrais sindicais. “Nunca fiz greves, esta não teria sido exceção e não tenciono fazer greves no futuro”. “Embora já me tenham tentado explicar, nunca consegui perceber a sua utilidade”, acrescenta.

Pois… fora do país… a sucessão caiu que nem sopinhas no mel…

Pena ser lento na compreensão. Ou apenas dogmático? Fundamentalista?

Olha se os alunos fossem assim com a Matemática?

 

Com os votos da maioria governamental e do PS, com (pelo menos) uma das intervenções deste partido a ser feita pelo deputado joão Galamba, que está para as Finanças e o sistema bancário como um qualquer Seufert para a Educação.

Na RTPN, Miguel Frasquilho e Carlos Zorrinho coreografam discordâncias.

… de entradas aqui no blogue desde as 22 horas deve ser esta. Só pode. A menos que andem em busca de dicas, mas isso é mais adiante. No Lidl, claro.

Por lá refila-se com os cânones aprovados. Por cá foi mais simples. Para evitar chatices e problemas com editoras e autores amigos, passou a aceitar-se qualquer livro, desde que fosse do autor ou colecção de algum que estivesse na lista.

Em boa verdade, isto nem é carne (lista fechada pelo ME), nem peixe (escolha livre pelos professores), é apenas um estratagema comercial para selos nos livros.

Children’s authors rail against Michael Gove’s reading lists

Michael Rosen and Alan Gibbons line up to reject proposal for primary schools floated by national curriculum panel.

hoje é sábado

Ausencia

Lúgubre solidão! Ó noite triste!
Como sinto que
falta a tua Imagem
A tudo quanto para mim existe!

Tua bemdita e
efémera passagem
No mundo, deu ao mundo em que viveste,
Á nossa bôa e
maternal Paisagem,

Um espirito novo mais celeste;
Nova Forma a
abraçou e nova Côr
Beijou, sorrindo, o seu perfil agreste!

E ei-la
agora tão triste e sem verdor!
Depois da tua morte, regressou
Ao seu
velhinho estado anterior.

E esta saudosa casa, onde brilhou
Tua voz
num instante sempiterno,
Em negra, intima noite se occultou.

Quando
chego á janela, vejo o inverno;
E, á luz da lua, as sombras do arvoredo
Lembram as sombras pálidas do Inferno.

Dos recantos escuros, em
segredo,
Nascem Visões saudosas, diluidos
Traços da tua Imagem, arremêdo

Que a Sombra faz, em gestos doloridos,
Do teu Vulto de sol a
amanhecer…
A Sombra quer mostrar-se aos meus sentidos…

Mas eu
que vejo? A luz escurecer;
O imperfeito, o indeciso que, em nós, deixa
A
amargura de olhar e de não vêr…

A voz da minha dôr, da minha queixa,

Em vão, por ti, na fria noite clama!
Dir-se-á que o céu e a terra, tudo
fecha

Os ouvidos de pedra! Mas quem ama,
Embora no silencio mais
profundo,
Grita por seu amor: é voz de chama!

E eu grito! E encontro
apenas sobre o mundo,
Para onde quer que eu olhe, aqui, além,
A tua
Ausencia tragica! E no fundo

De mim proprio que vejo? Acaso alguem?

Só vejo a tua Ausencia, a Desventura
Que fez da noite a imagem de tua
Mãe!

A tua Ausencia é tudo o que murmura,
E mostra a face triste á
luz da aurora,
E se espraia na terra em sombra escura…

Quem traz o
outomno ao meu jardim agora?
Quem muda em cinza o fogo do meu lar?
E
quem soluça em mim? Quem é que chora?

É a tua Ausencia, Amôr, que vem
turbar
Esta alegria etérea, nuvem, asa
De Anjo que, ás vezes, passa em
nosso olhar!

O Sol é a tua Ausencia que se abrasa,
A Lua é tua
Ausencia enfraquecida…
Da tua Ausencia é feita a minha vida
E os meus
versos tambem e a minha casa.

[Teixeira de Pascoaes]

O dirigente socialista José Lello chamou esta segunda-feira “foleiro” ao Presidente da República por este não ter convidado os deputados para as comemorações do 25 Abril no Palácio de Belém.

Fecharam a casa deles, que é nossa, e queriam ir ao bufete dos outros. 

Página seguinte »