Gestão


Quer para acederem aos concursos, quer mesmo dos que já lá estão? Quantos é que ainda não fizeram pós-graduações desse tipo, mesmo que apressadas?

Ex-ministro David Justino defende pós-graduação para diretores escolares

Mas há por aqui uma visão que, de há muito, discordo e que é a tendência para separar a função de director escolar da de professor e de preferir que os directores se tornem gestores e se desliguem por completo da docência.

Ora… como já repetidamente o disse… também publicamente… eu gostaria muito que os directores continuassem a ter uma ligação directa à docência… nem que fosse com apenas uma turminha… nem que fosse escolhida a dedo… para que apreciassem mesmo de perto (há quem o faça, mas há muita gente que já prescinde) o burburinho dos corredores…

Discordo que algumas horas por semana (2, 3 ou mesmo 4) perturbassem assim tanto a gestão de um agrupamento.

Claro que eu também discordo de mega-agrupamentos com dezenas de escolas e milhares de alunos, que é uma conversa que entronca nesta e que se relaciona com uma concepção completamente diferente da rede escolar… etc, etc.

Sou dos arcaicos, como todos sabem.

… é consultar a lista graduada, contactar o que está em primeiro lugar por colocar e em 48 horas, no máximo, a coisa está resolvida.

A pretensa agilização actual e a que se parece anunciar é outra coisa. É mais na base – de novo – do malabarismo.

grande-circo-bizarro-piramide-humana

… vão-se descobrindo as negociatas por trás dos interesses alegadamente preocupados com a “liberdade” e com a gestão dos dinheiros públicos.

Não esquecer que estas academias são (tal como o caso sueco que entrou em colapso) são uma das inspirações explicitamente assumidas por alguns dos que por cá proclamam a bondade desinteressada da privatização da gestão na Educação.

Revealed: taxpayer-funded academies paying millions to private firms

Calls for Department for Education scrutiny over firms linked to directors paid millions for consultancy and other services.

Escola Municipal vai avançar em Óbidos no próximo ano letivo

A Escola Municipal de Óbidos vai, finalmente, avançar no próximo ano letivo. A garantia saiu de uma reunião, que decorreu a semana passada, entre o presidente da Câmara Municipal de Óbidos, Humberto Marques, a vereadora da Educação, Celeste Afonso, e os ministros da Educação, Nuno Crato, e do Desenvolvimento Regional, Poiares Maduro. Um processo que vai começar em 2014, depois de muitos anos de reordenamento educativo e de um investimento de 23 milhões de euros em novas infraestruturas escolares.

O recrutamento dos docentes vai ser algo “divertido”.

As escolas que passaram a ser propriedade da Parque Escolar ainda se podem considerar escolas verdadeiramente públicas? Ou a alienação da gestão directa pelo Estado é apenas a fase um da concessão da sua gestão a privados, de forma aberta ou encapotada?

Aqui.

Longe de ser novidade, cada vez é menos new.

Novas perspectivas.

CM22Jul13

« Página anteriorPágina seguinte »