Espírito Natalício


  • Maria de Lurdes Rodrigues condenada por prevaricação.
  • Nuno Crato a admitir publicamente um erro e a desdizer-se quanto à BCE.

Vamos ter esperança que não há 2 sem 3…

Todos têm o direito de resistir a qualquer ordem que ofenda os seus direitos, liberdades e garantias e de repelir pela força qualquer agressão, quando não seja possível recorrer à autoridade pública.

Especialmente se a agressora se mascara em autoridade.

 

 

 

… enquanto se aguarda uma declaração arbitral  do pito da costa.

O engenhaeiro d’armani e socas foi de novo arquivado.

Aulas de manhã, uns tiritos à tarde, última reunião no final desta, amanhã nada. Podia ser pior.

Sindicatos, governo, etc., já licenciaram o vosso domínio xxx?

A Fenprof recusou assinar o documento final pois os três pontos essenciais que defendia, a redução do número de menções na avaliação (actualmente são cinco), a eliminação de quotas para as classificações mais elevadas e implicação nas notas na graduação de professores nos concursos, não foram satisfeitos pelo Ministério.

“O Ministério manteve as quotas e as cinco menções avaliativas. Em relação aos concursos há uma alteração, que no nosso entender cria uma situação discriminatória entre professores de carreira e contratados, não resolvendo o problema”, justificou o secretário-geral da Fenprof.

Apesar de não ter havido acordo, Mário Nogueira considera que houve “resultados positivos” e dá alguns exemplos.

“Os ciclos de avaliação deixam de ser de dois anos, quem já teve observação de aulas não vai precisar de a ter novamente no novo ciclo avaliativo, a desburocratização de todo o processo e a simplificação de procedimentos”, salientou o dirigente sindical.

Nenhum dos sindicatos pediu negociação suplementar e para Mário Nogueira o processo de negociação do novo modelo de avaliação dos professores “encerrou esta sexta-feira” e apela a que os professores “virem a página para outros problemas maiores que têm pela frente”.

A Fenprof assinou ainda uma acta negocial global evidenciando os pontos de acordo e desacordo relativamente ao novo modelo de avaliação.

Está bem, abelha… vale uma apostinha em como não assinaram, mas pediram desculpa?

Página seguinte »