Espantos


RTP suspende espaço comentário de Sócrates

.

Não há celas com capacidade para instalar uma câmara?

 

Hospitais cortaram um quarto dos exames e análises em dois anos

Se analisarmos os dados, isto significa que ou nos hospitais públicos se receitavam meios de diagnóstico em manifesto excesso ou que agora se faz isso em manifesto défice.

Ou então… atendendo à evolução global e desses exames nos hospitais privados… a explicação é outra…

Mais agradável para os interesses.

Duas investigadoras da Universidade de Chicago concluíram que os casais que praticam sexo com frequência têm casamentos mais felizes.

O Nobel, já!

sesc

nog

Faz uma coisa curiosa que é projectar os custos para o próximo ano lectivo numa adenda, incorporando o valor de um dos subsídios nos custos calculados.

Os valores não deixam de ser curiosos, atendendo ao que se pretendia anunciar por aí. Para quem paga 85.000 euros por turma, em casa as coisas ficam bem mais baratas, em especial no Ensino Básico.

O Secundário tem valores mais altos, em especial por causa daquela via que querem tornar cada vez maior.

E subitamente, nesta versão final do estudo o ensino público tem um custo médio por aluno ainda abaixo do que foi calculado pelo Tribunal de Contas.

Sou obrigado a confessar… não esperava… quem diria que os ramirílios iam levar um pontapé destes na cabeça? Pela 2ª vez?

em afirmação dubiamente quantificada!
Estava ali um amor que se ausentava, estava ali,
colorido.

Era uma espada que eu afastava continuamente
até já não haver a revoada dos acasos. Era a impotência a face cismada.

Um momento, prefiro morrer depois – ainda mesmo se não agrada a ilusão que remói,
que constrói, que altera o sobrar do sono – demasiado.

Aqui, aqui, aonde fiquei a olhar se vinha indestinada uma quantidade enorme
de vislumbres. De párias. De gente e de olhos, de segredos de que eu soubesse o ai.

Languidamente observo o dia, há sempre uma ou outra noite que cai,
chamam-lhe tempo e euforia, chamam-lhe rumores que não havia.

Mesmo em democracias musculadas.

Vladimir Putin set to lose majority amid complaints of electoral violations

Opposition leader condemns ‘theft of votes’ after reports of pre-filled ballots, invisible ink and multiple visits to polling booths.

Afinal era só um parecer pedido por uma associação de juízes. Been there, done that.

Já agora… quem é o(a) autor(a) do parecer?

Fica aqui o que tinha escrito antes… e que era parvo porque sem aprovação na especialidade era impossível uma apreciação pelo TC. Isto é de ser 2ª feira…

Chega-me por sms algo que me custa acreditar, ou seja que o Tribunal Constitucional defendeu a legalidade do Estado de Direito, sem olhar à necessidade do governo em funções.

Aguardo confirmação, assim que consiga ultrapassar o Estado de Pasmo que se me acometeu.

… sendo-se grego (m/f)?

Está complicado.

Quero dizer, complica-se-nos.

O noticiário da noite sobre a campanha eleitoral do Bloco. Até parece que o contacto com o povo é uma coisa inesperada e pasmosa. Mas não é o Bloco uma organização tão ostensiva e explicitamente defensora das massas?

Ou a (inesperada) falta de exposição mediática, obrigou a descer à rua?

É que estamos a falar do nosso belo Portugal… e mesmo sendo síntese, uma centena de páginas é escasso…

Faz-me alguma impressão que certas pessoas aceitem dar a cara por um projecto quando ainda não sabem qual é o programa que lhe servirá de base, em particular na sua área de actividade. A menos que tenham garantias de participar na sua elaboração. Imaginemos um advogado que aceite ser candidato a deputado e depois seja confrontado com um programa para a Justiça com o qual discorda? Ou um gestor a quem aconteça o mesmo em matéria de Economia…

esta contorção da realidade nos corpos da manhã indivisa
nas ruas sem casas e nas casas também sem portas vulgares
pelo excesso de ventre entre as brumas ácidas ou eu sei lá
e o avesso do sol deambulando e proferindo espécies de sombras

estudar uma nova forma de densidade pouco localizada
talvez ouvir o fumo desmaiado pela cidade em vias sequiosas
arrastam-se ainda as elásticas e misteriosas sirenes ambidextras
por nas bibliotecas se soprar a indústria chamada tempo deslocado

inventar esta causalidade de vidro parece ser uma boa vontade
como um autor de poemas documentados em álcool canforado
rir destes objectos que nos cercam irados e convenientes
é uma única mosca que reflui para este resultado suplementar

resume a dança autónoma do último juízo perfeito que aqui jaz
a história do texto atenuado ou uma paisagem feita teatro
no caos de olhar a instalação do calor semelhante a mim
no virtual humor do computador do meu amor agora desligado

 

[eu]

Pedra de Canto

 

Ainda terás alento e pedra de canto,
Mito de Pégaso, patada de sangue da mentira,
Para cantar em sílabas ásperas o canto,
De rima em -anto, o pranto,
O amor, o apego, o sossego, a rima interna
Das almas calmas, isto e aquilo, o canto
Do pranto em pedra aparelhada a corpo e escopro,
O estupro de outrora, a triste vida dela, o canto,
Buraco onde te metes, duplamente: com falo,
Falas, fá-la chorar e ganir, com falo o canto
No buraco de grilo onde anoiteces,
No buraco de falso eremita onde conheces
Teu nada, o dela, o buraco dela, o canto
De pedra, sim, canteiro por cantares e aparelhares
Com ela em rua e cama o falo fá-la cheia,
Canteiro porque o falo a julga flores, o canto
Áspero do canteiro de pedra e sémen que tu és
(No buraco do falo falaste),
Tu, falazão de amor, que a amas e conheces.
Amas a quem? Conheces quem? Pobre Hipocrene,
Apolo de pataco, Camões binocular, poeta de merda,

Embora isso em sangue dessa pobre alma em ferida:
A dela, a tua, cadela a tua pura e fiel no canto
De lama e amor como não há no charco em torno,
Maravilhoso canto só de soprares na ponta a um corno
E logo a sílaba e o inferno te obedecem
E as dores íntimas dela nas tuas falas se conhecem,
Sua íntima vergonha inconfessada desponta,
Passiflora penada, pequenina vulva triste
Em teu sémen sarada e já livre de afronta:
O canto em pedra e voz, psicóide e bem vibrado,
Límpido como vidro a altas horas lavado,
Como o galo de bronze pela dor acordado,
No amor e na morte alevantado,
Da trampa mentirosa resgatado,
Como Dante o lavrou em pedra de Florença
E Deus to deu de amor por ela no atoleiro?
Flor menina de orvalho em amor verdadeiro?

Ainda terás amor e pedra de canto,
Fé nela e sua dor de arrependida e enganada,
Ou, enfim, amor a fogo dado e perdão puro…
Eu quero lá saber! Amor de Deus no canto
De misericórdia e paz, mesmo para os violentos
Da violada violeta, a breve miosótis
Ao canto unida e em tuas lágrimas orvalhada?
Cala-te e humilha-te como ela,
Que é maior do que tu no canto
E a esta hora só bebe talvez água salgada,
Oh poeta de água doce!

Mas, antes de calar espada e voz, responde:
Ainda terás alento e pedra de canto
Para cantar estas coisas,
Encantar outra vez a donzela roubada ou nina morta,
Enfim, o teu amor?
Dize lá, sem-vergonha,
Homem singelo:
Pois se nisto me mentes nunca mais a verás.

(Quem fala?)

[Vitorino Nemésio]

… no contexto de rebaldaria em que se transformou o processo de transição na carreira, com 3 modelos em 3 anos. Esta circular já é sobre o 270/2009.

———- Mensagem encaminhada ———-
De: <DGRHE.MEducacao@dgrhe.min-edu.pt>
Data: 29 de outubro de 2010 19:08
Assunto: Circular – Alterações ao Estatuto da Carreira Docente
Para:

Ex.mo Senhor
Director Executivo

Em referência ao assunto identificado em epígrafe, segue Circular.

Com os melhores cumprimentos,
DGRHE

Anexo: CircularB10047674X _2_.

… a sério que não percebo. Sobre a transição da carreira com base no 15/2007. Mas isto é feito com 3 anos de atraso? Anda tudo parvo?

———- Mensagem encaminhada ———-
De: <DGRHE.MEducacao@dgrhe.min-edu.pt>
Data: 29 de outubro de 2010 19:12
Assunto: Circular – Transição para a estrutura da carreira docente
Para:

Ex.mo Senhor
Director Executivo

Em referência ao assunto identificado em epígrafe, segue Circular.

Com os melhores cumprimentos,
DGRHE

Anexo: Circular B10047664R.

Fica aqui a primeira página:

Depois do vendaval e chuvada está um sol sorridente, como sorridente e alegadamente dialogante está Teixeira dos Santos na 1ª página do Expresso.

Brrrr….

Há coisa de cinco dias em que o JN não faz nenhum título de 1ª página a culpar professores, enfermeiros ou outros funcionários públicos or qualquer malfeitoria, com base em informações das Finanças.

Ainda pensei que surgisse algo com base no caso da herança Feteira, mas…

Não devemos perder por esperar. Para a próxima deve ser algo em grande, do género extrapolação das faltas dos docentes a partir de uma visita a três corredores de uma escola em obras.

Página seguinte »