Enigmas Da Natureza


Não, mais uma vez a PT não conseguiu instalar um telefone. Até já tinha o número atribuído – mas os postes e o cabo vieram esquecidos.

Mais uma vez os senhores administradores disso se darão a prémios e aumentos.

Vou procurar a mala para emigrar.

Afinal o problema foi saber-se.

O fantástico é que há gente a tratar isto como se fosse um assunto sério e não apenas um coiso da Nação a dizer uns disparates lá no tasco da esquina, a fazer-se de homem com grande peito.

Na enorme, apesar de epidérmica e muito localizada, discussão sobre o financiamento do sistema de ensino e sobre a forma de cálculo dos apoios ao ensino privado subsidiado pelo Estado, há coisas que me escapam.

Vou apenas alinhavar alguns factos, eximindo-me a grandes conclusões.

  • Depois de grande polémica, o actual Governo concedeu um acréscimo de 5.00o euros por turma ao ensino privado subsidiado, o que equivale a mais de 6% do acordado anteriormente. Os valores iniciais tinham sido calculados na base de uma média (não calculada pelo Banco de Portugal) do custo dos alunos do sistema público.
  • Para 2012, o vencimento dos docentes do sector público vai ser reduzido de 14 para 12 meses (menos 15%), sendo que esse é o encargo mais alto na estrutura do orçamento do MEC, apesar dos cortes feitos nos últimos anos, na ordem dos 73% (cf, p. 5 do orçamento para 2011, enquanto em 2005 chegava aos 82%, cf. aqui, p. 3). Este corte significará uma redução superior a 10% nos encargos por aluno do sistema público de ensino.

Voltando ao início, foi acordado um acréscimo superior a 6% nos subsídios, por turma, às escolas privadas com contrato de associação com o Estado.

Será esta uma distribuição equitativa dos sacrifícios ou o incitamento à saída de professores das escolas públicas para o sector privado (que se andavam a queixar de precisar de fazer despedimentos…), um pouco como tem acontecido e vai continuar a acontecer com os médicos?

Será esta a estratégia usada para emagrecer os quadros?

Alguém pediu esclarecimentos sobre o que se passa na Educação em Beja?

O que se passa em Beja é o seguinte:

120 Crianças/alunos de etnia cigana da cidade de Beja estão concentradas numa só Escola – Agrupamento nº1 de Beja – Santa Maria, existindo na cidade mais dois Agrupamentos que seguem a filosofia da não-aceitação da diferença, pois têm que defender os seus ”colégios”.

O que existe é uma situação de segregação, apoiada pela Direcção Alentejo, Ldª. UMA VERGONHA!

O que não existe é respeito e imparcialidade – FALTA DE ÉTICA!

O que existe é hipocrisia e utilização de escola pública indevidamente – UM ESCÂNDALO!

O que não existe é verdade, os Agrupamentos de Mário de Beirão e de Santiago Maior dizem-se lotados, com dois novos centros escolares com 20 salas de 1º ciclo cada, ao passo que o Agrupamento de Santa Maria tem 11 salas de 1º ciclo – UMA MENTIRA PEGADA, concertada com a DREAlentejo, Ldª!

Para primeiro esclarecimento, já é BOMBÁSTICO o relato do que se passa …

Haverá mais esclarecimentos futuramente …

Mariana Alcoforado (Heterónimo)

Lembrei-me agora do homónimo processual.

(este não é um post do Fafe)

« Página anterior