Eficácia


Desde o construir da grelha…

12345

Eu posso perceber os objectivos e algumas das razões, mas é impossível concordar com a forma indigna com que se tratam as pessoas e, em especial, o prazer evidente em certos seres, que de humano têm apenas a forma, tão satisfeitinhos consigo por tarem a fazer a purga da sua vida.

Neg7Dez12

Jornal de Negócios, 7 de Dezembro de 2012

No entanto, é compreensível, os filhinhos dos que se sentem despojados de outrora precisam do seu cantinho no Estado que tanto proclamam abominar:

CM6Dez12

Correio da Manhã, 6 de Dezembro de 2012

É preciso refazer as contas” do programa de ajuda financeira

Para Nuno Melo, os erros assumidos pelo FMI nas previsões sobre o impacto da austeridade devem levar a uma reavaliação do programa de ajustamento. Mas defende que a iniciativa deve ser da troika para todos os países intervencionados

E as declarações de viva voz foram ainda mais torpedeantes, relembrando os episódios da TSU e IMI, para os quais reclamou o protagonismo do CDS nos recuos governamentais.

1 – O CDS votará o Orçamento de Estado considerando que Portugal não pode ter uma crise política que agravaria, ainda mais, a situação económica e social extremamente sensível que o nosso País atravessa.

(…)

O CDS sabe ainda que a inexistência de um Orçamento constituiria, em si mesmo, incumprimento dos compromissos estabelecidos com os nossos credores. Face a este quadro de referência o CDS deve colocar acima de tudo o seu dever de responsabilidade perante o País.

3 – Em coerência com o esforço feito dentro do Governo, e em articulação no quadro da maioria, o Grupo Parlamentar do CDS contribuirá para melhorar aspectos do Orçamento de Estado até à conclusão do respectivo processo.

Interpelação de Telmo Correia leva Gaspar a aferir posição oficial do FMI sobre efeitos da austeridade

Capturing the Dimensions of Effective Teaching

(…)

The Case for Multiple Measures

As with superheroes, all the measures are flawed in some way. Test-based student-achievement gains have predictive power but provide little insight into a teacher’s particular strengths and weaknesses. Classroom observations require multiple observations by multiple observers in order to provide a reliable image of a teacher’s practice. The student surveys, while being the most consistent of the three across different classrooms taught by the same teacher, were less predictive of student achievement gains than the achievement-gain measures themselves.

Fortunately, the evaluation methods are stronger as a team than as individuals. First, combining them generates less volatility from course section to section or year to year, and greater predictive power.

Será que está tudo consolidado? Quem consegue isto não consegue colocar cá fora os números exactos de DACL por grupo disciplinar?
.
Exmo. Sr.(a) Director(a) do(a) Escola

O Despacho Normativo n.º 13-A/2012, no Anexo III,  faz depender o crédito horário a atribuir às escolas do “indicador da eficácia educativa” (EFI),  que resulta da avaliação sumativa interna e externa.

Assim, de acordo com o referido despacho, a ATRIBUIÇÃO DE CRÉDITO HORÁRIO PELA COMPONENTE EFI (EFICÁCIA EDUCATIVA) ‐ ANO LETIVO DE 2011/12 à Unidade Orgânica que dirige é:

Código do Agrupamento Designação Tipologia Aplicação da Tabela 1 (Horas) Aplicação da Tabela 2 (Horas) Aplicação da Tabela 3 (Horas) Crédito atribuído (Horas)
———-

Seguidamente enviamos um texto explicativo do cálculo do “indicador da eficácia educativa”.

Observações:

1. A Tipologia identifica nível de exames realizados na Unidade Orgânica ‐> B ‐ se só realizaram exames de 9º ano; BS ‐ se realizaram exames de 9º ano e de secundário;

S ‐ se só realizaram exames de secundário.

2. Para algumas Unidades Orgânicas não foi possível a aplicação da Tabela 2 por não ter sido exportada para a base de dados da MISI a informação sobre as classificações internas dos seus alunos (assinaladas com “Falta Inf”).

3. Às Unidades Orgânicas que alteraram a tipologia, do ano letivo passado para o ano letivo corrente, não se aplicou a Tabela 3 (assinaladas com “NA”).

 

Critérios de atribuição do crédito horário

Tabela 1

Unidades Orgânicas que realizaram exames de 9º ano e de secundário (Tipologia BS)

Critérios Bas ‐> (i) CE_Bas_n>=3,25; (ii) CE_bas_n>=3,10; (iii) CE_bas_n>=3,00

Critérios Sec ‐> (i) CE_Sec_n>=115 ; (ii) CE_Sec_n>=105; (iii) CE_Sec_n>=100

Têm de ser verificadas, em simultâneo, as condições homólogas para o básico e para o secundário ‐ (i) ⇒ 30h; (ii) ⇒ 20h; (iii) ⇒ 10h

Uma vez que o Despacho Normativo nº 13‐A/2012 de 5 de junho de 2012, só contempla, no que refere à tabela 1, as Unidades Orgânicas que oferecem, em simultâneo, o 3º ciclo do ensino básico e o ensino secundário, por uma questão de reconhecimento de mérito, é também oferecido crédito horário às UO’s que oferecem o 3º ciclo ou o secundário, mas não ambos.

Unidades Orgânicas que só realizaram exames de 9º ano (Tipologia B)

Utiliza‐se como critério o da evidência estatística de excelência, sendo atribuídas, no que respeita ao secundário, 30 horas às Unidades Orgânicas cuja média nos exames nacionais realizados pelos alunos internos diste, para melhor, mais de 16 unidades de erro padrão da média esperada, 20 horas aquelas cuja média diste mais de 15 unidades e 10 horas aquelas cuja média diste mais de 14 unidades.

Unidades Orgânicas que só realizaram exames de nível secundário (Tipologia S)

Utiliza‐se como critério o da evidência estatística de excelência, sendo atribuídas, no que respeita ao secundário, 30 horas às Unidades Orgânicas cuja média nos exames nacionais realizados pelos alunos internos diste, para melhor, mais de 12 unidades de erro padrão da média esperada, 20 horas aquelas cuja média diste mais de 10 unidades e 10 horas aquelas cuja média diste mais de 7 unidades.

Tabela 2

Para todas as tipologias

Critérios ‐> (i) CIF_Bas_n ‐ CE_Bas_n entre ‐0,1 e +0,1 e CIF_Sec_n ‐ CE_Sec_n entre ‐20 e 20 ⇒ 20h

(ii) CIF_Bas_n ‐ CE_Bas_n entre ‐0,1 e +0,1 ou CIF_Sec_n ‐ CE_Sec_n entre ‐20 e 20 ⇒ 10h

Tabela 3

Unidades Orgânicas que realizaram exames de 9º ano e de secundário (Tipologia BS)

Critérios Bas ‐> (i) UEP_Bas>=5,5 ; (ii) UEP_Bas>=5; (iii) UEP_Bas>=4

Critérios Sec ‐> (i) UEP_Sec>=9 ; (ii) UEP_Sec>=8; (iii) UEP_Sec>=7

(i)_Bas e (i)_Sec ⇒ 30h; (i)_Bas ou (i)_Sec ⇒ 20h; (ii)_Bas e (ii)_Sec ⇒ 20h; (iii)_Bas e (iii)_Sec ⇒ 10h;

Unidades Orgânicas que só realizaram exames de 9º ano (Tipologia B)

Critérios Bas ‐> (i) UEP_Bas>=6 ⇒ 30h ; (ii) UEP_Bas>=5,5 ⇒ 20h; (iii) UEP_Bas>=5 ⇒ 10h

Unidades Orgânicas que só realizaram exames de nível secundário (Tipologia S)

Critérios Sec ‐> (i) UEP_Sec>=12 ⇒ 30h ; (ii) UEP_Sec>=10 ⇒ 20h; (iii) UEP_Sec>=8 ⇒ 10h

Siglas:

CE_Bas_n ‐> média das classificações dos exames nacionais do 9º ano obtida pela totalidade dos alunos internos no ano n (2012)

CE_Bas_n‐1 ‐> idem para o ano n‐1 (2011)

CE_Sec_n ‐> média das classificações dos exames nacionais de secundário obtida pela totalidade dos alunos internos no ano n (2012)

CE_Sec_n‐1 ‐> idem para o ano n‐1 (2011)

CIF_Bas_n ‐> média das classificações internas de 9º ano obtida pela totalidade dos alunos no ano n (2012)

CIF_Sec_n ‐> média das classificações internas de secundário obtida pela totalidade dos alunos no ano n (2012)

UEP ‐> Indicador da melhoria das médias de exame entre o ano n e o ano n‐1, medido em termos de unidades de erro padrão (UEP)¹

UEP_Bas ‐> Valor de UEP para os exames de 9º ano

UEP_Sec ‐> Valor de UEP para os exames de secundário

¹ Utilizou‐se o erro padrão para a diferença de médias. No seu cálculo intervêm o número de provas realizadas na Unidade Orgânica em cada um dos anos letivos de referência e, ainda, a variabilidade que se observou a nível nacional nas notas de cada exame.

Luísa Canto e Castro Loura

Diretora-Geral

Measures of Effective Teaching (MET) Project

(…)

We know that great teaching matters more than anything else within a school. More than class size. More than school funding. More than technology.

Many say “you know it when you see it.” But what does great teaching actually look like?

Two-thirds of American teachers feel that current evaluations don’t accurately capture the full picture of what they do in the classroom. And without meaningful feedback, improving as a teacher can be like learning to play the piano by yourself or learning to play basketball without a coach: It’s very tough to get better and to become great without knowing what you’re doing right.

Educational performance indicators
Defining educational performance

Indicators of Efficiency and Effectiveness in Elementary and Secondary Education Spending

É que estou em busca da origem do indicador de eficácia educativa (o tal EFI).

A falta de acusações sobre jantares anti-sindicais. Será que a mensagem fez o trajecto certo, passando por todas as estações e apeadeiros até chegar ao destino?

Estado perde 2,4 mil milhões de euros com negócio BPN

O Governo prevê perder com o BPN 2,4 mil milhões de euros, segundo o comunicado divulgado hoje, domingo, pelo Ministério das Finanças.

“Valor que propusemos é adequado”

Luís Mira Amaral, CEO do BIC Portugal, considera que o montante de 40 milhões oferecido pela compra do BPN é “adequado”.

Governo adiou despesa pública para melhorar défice

A unidade técnica que dá apoio ao Parlamento diz que o Governo adiou o pagamento de despesas durante o primeiro trimestre.

Os técnicos do Parlamento detectaram que o Governo adiou o pagamento de compromissos assumidos pelo Estado no valor de 205,9 milhões de euros, só no primeiro trimestre deste ano. Com os atrasos nos pagamentos, a execução orçamental reportada pelas Finanças ficou beneficiada. A conclusão consta da análise da Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO) ao andamento das contas públicas nos primeiros três meses de 2011.

IEFP ignora circular de Novembro e limpa 164 mil inscritos dos ficheiros

Nova norma ainda não entrou em vigor por falta de aplicação informática embora esta rubrica tenha tido um orçamento de 9,1 milhões de euros.

Já deixei num comentário por aí: o que funcionou com a reorganização curricular que não funcionou com outras matérias? O que correu bem? O que conseguiu ser eficaz na sedução da oposição, que falhou em outros momentos?

Porque a luta dos colegas de EVT foi forte, mas até arrancou devagarinho e com algumas hesitações. Até que ponto o soft-power e um lobbying bem feito suplantou a gritaria tradicional?

Para pensar daqui até dia 12.

Ausência de reclamações. Uma providência cautelar a ter eficácia. É nestes casos que me sinto mesmo um zeco.

Tribunal suspende cortes salariais indiscriminados a docentes da UMinho

Está quase.

As soluções apontadas não são facilmente universalizáveis, mas seria interessante testá-las em experiências-piloto:

Working with Teachers to Develop Fair and Reliable Measures of Effective Teaching

Página seguinte »