É Só Coisas Boas!


Porque é claro que, com o desemprego qualificado tão baixo, só se conseguia alguém com este tipo de solução de recurso.

A Fundação EDP contratou uma funcionária para a secção de arte que é sobrinha-neta de Eduardo Catroga, presidente do Conselho Geral e de Supervisão da EDP. A nomeação está a causar desconforto entre sectores do grupo EDP que não poupam Catroga nem o administrador executivo da fundação que tem sido também o seu rosto público, Sérgio Figueiredo.

Mas é claro que ao pintelho man ninguém diz nada porque tem as costas quentes por Belém e ainda é necessário consolá-lo por não ser o verdadeiro ministro.

Mesmo se assim ganha mais e tudo.

E já agora… mas por que raios a EDP precisa de uma Fundação? Para fazer navegar uns fundos à margem do fisco? Para comprar arte a alguém?

UTAO encontra erro que faz receita dos impostos indirectos cair quase o dobro do anunciado pelo Governo

Confesso que me começa a chegar o vernáculo ao nariz…

FMI insiste que tabelas salariais do Estado são para alterar este ano

Em Novembro, primeiro-ministro desmentiu alterações às tabelas salariais. Agora FMI diz que é mesmo para se fazer.

Ideia inicial minha com arte do Luís Guerreiro.

São três secretários cheios de ideias vazias, que não nos  trazem ouro nem o bom aroma do incenso, mas apenas o que nos mirra.

Conseguem identificá-los? São autores de algumas das declarações mais aparvalhadas dos últimos tempos, descontando o seu modelo relvas, seguro, o zorrinho, o engenheiro, os galambas, e etc.

Mais logo, mais logo, óspois do Sporting.

A ver se certas e determinadas criaturas começam a enfiar a viola no saco (mesmo que o não admitam).

E da franga só se soltarão algumas penas…

… transformar as horas de escola em horas de apoio ao refeitório, para acompanhamento dos alunos durante as refeições?

Ao que parece, é, não interessa agora em que terra.

Banca é quem mais vai beneficiar com corte da TSU

Os bancos serão os mais beneficiados pela descida da taxa social única (TSU). Segundo o estudo do Governo e do Banco de Portugal, os serviços financeiros e seguros serão os sectores cujos custos directos e indirectos com remunerações mais vão descer.

… comparando com o PS que vai ter de escolher entre o Assis e o Seguro para atravessar o deserto e andar de braço dado com a malta suada da Esquerda, Avenida acima, Avenida abaixo.

Felgueiras ou Facebook, qual a arma mais irrelevante?

Infiel!
Caros Amigos,
Uma nova Rádio foi criada em Alhos Vedros, que pretende ser uma associação de rádios e ou radialistas, quem desejar participar, expresse esse desejo e apresente uma programação ou ideias para uma programação. Depois de analisadas as propostas ser-lhe-á fornecida a password para que entre nas emissões ao vivo.
A seleção com as emissões gravadas pode ser acessada nesta página: http://radioalhosvedros.weebly.com/
Se desejarem colocar o logotipo com este link, nos vossos Blogues ou Páginas, agradeço.
O mail de contacto da RAV é: radioalhosvedros@gmail.com

Saudações,

Luís Cruz Guerreiro

Bem… pelo menos parece que não andaram atrás do pessoal hoteleiro…

Mas nada descomprova que não tenham recorrido a pessoal profissional.

mais um dia perdido

‘Troika’ impõe subida do défice para 9,1% em 2010

“Batota” nas Scut custa mil milhões

E depois querem que sejam estes a pagar?

Casais desempregados quase triplicam em cinco meses

Economistas alemães contra “resgate” a Portugal

Um grupo de 50 economistas e juristas alemães colocou uma providência cautelar no Tribunal Constitucional Federal. É a segunda que colocam.

… o mundo não acabou e o circo parece que vai continuar.

Governo suspende eliminação de 991 cargos dirigentes

Governo não avança com portagens nas SCUT

… a ameaça da directora de uma Secundária do Baixo Alentejo de que irá processar o autor de um blogue onde ela se diz vítima de infâmias diversas.

É que eu li as coisas e não me parece que exista assim nada de especialmente grave, a menos que confunda opiniões com factos ou vice-versa. Claro que poderá ter o apoio jurídico do seu sindicato, caso seja sindicalizada, para processar um colega de ofício, mas isso pode ser manifestamente imprudente.

Que tal respirar fundo e acalmar-se?

Trocadilho inevitável.

Governo chinês gasta mil milhões de euros para comprar dívida portuguesa

O Governo chinês já gastou 1,1 mil milhões de euros para comprar dívida pública portuguesa. Porém, a China pediu segredo ao Executivo português. A notícia é avançada pelo Correio da Manhã.

Será por causa dos castelhanos?

Fica aqui para benefício (e choque) de todos aqueles que ainda não perceberam a bigorna que lhes vai cair em cima.

Projecto de Despacho OAL2011


 

 

Confesso que ainda não tinha lido, pelo que fica aqui a denúncia por parte de uma colega mais atenta do que eu:

Caro Paulo,
Creio que já conhece este despacho “fresquíssimo” (eu também já lho mandei hoje).
Não acha que merece um post?
Afecta tantos professores do E.Básico e, sobretudo, do E.Secundário (estes últimos perdem mesmo o pagamento das provas), implicando N coisas novas: formação acreditada, contrato de classificação por 4 anos, relatório crítico final, desempate de classificadores até por avaliação do desempenho…
Fiz este resumo para os meus colegas de departamento e partilho-o consigo.
Cumprimentos,
.
A. Sousa
.
Resumo do Despacho n.º 18060/2010 de 3 de Dezembro: novidades sobre os professores classificadores de exames…

1 – Numa escola com 4 turmas, por exemplo, haverá que designar apenas dois professores classificadores, mas com 5 turmas três professores classificadores (arredondamento por excesso)… (Nº 2 do Artigo 2.º)

2 – A selecção será feita pelo Director, de entre os professores que, prioritariamente:

a)      Tenham exercido a função de classificador em, pelo menos, três dos últimos cinco anos e estejam a leccionar a disciplina no ano de exame.

b)      Tenham exercido a função de classificador em, pelo menos, três dos últimos cinco anos e tenham leccionado a disciplina no ano de exame em, pelo menos, um dos dois anos lectivos antecedentes ao ano em que decorre o exame.

c)       Tenham exercido a função de classificador em, pelo menos, um dos últimos cinco anos e estejam a leccionar a disciplina no ano de exame.

d)      Nunca tenham exercido a função de professor classificador, mas estejam a leccionar a disciplina no ano de exame e a tenham igualmente leccionado no ano lectivo antecedente.

e)      Nunca tenham exercido a função de professor classificador, mas estejam a leccionar a disciplina no ano de exame. (Nº 1 do Artigo 3.º)

3 – A formalização do processo de designação dos professores classificadores será feita pelo Director, até ao final do mês de Novembro do ano em que decorre o respectivo processo de selecção, através de preenchimento de formulário electrónico, na página do GAVE. (Nº 1 e 2 do Artigo 4.º)

4 – Os professores seleccionados para a bolsa de classificadores estabelecem com o GAVE um acordo de colaboração com a vigência de quatro anos (Nº 3 do Artigo 4.º) não havendo lugar a qualquer remuneração adicional pelo exercício destas funções. (Nº 2 do Artigo 5.º)

5 – O nº máximo de provas será: 60 provas de exame por chamada/fase para cada professor classificador. (Nº 1 do Artigo 5.º)

6 – O professor classificador é dispensado das tarefas não lectivas durante o período em que decorre a classificação. Este período tem início no dia de distribuição, na escola sede do respectivo agrupamento de exames.

(Nº 3 do Artigo 5.º)

7 – Ao professor classificador que, durante o período de classificação das provas, tenha funções lectivas apenas poderá ser atribuído um número máximo de 25 provas de exame por chamada/fase. (Nº 5 do Artigo 5.º)

8 – Se o nº de candidatos que reúnam as condições para integrar a bolsa de professores classificadores do GAVE exceder o número de classificadores necessários para assegurar o processo, aplicam-se os seguintes critérios de selecção/ desempate, pela ordem indicada:

a) Número de anos de experiência de professor classificador;

b) Número de anos de leccionação da disciplina sujeita a exame nacional;

c) Última avaliação do desempenho (menção quantitativa). (Nº 4 do Artigo 6.º)

9 – O professor classificador seleccionado terá de frequentar acções de formação acreditadas em cada um dos anos do período de vigência do acordo a que se refere o n.º 3 do artigo 4.º (4 anos). (Nº 5 do Artigo 6.º) A frequência dos módulos de formação em regime presencial é equiparada a serviço oficial, com dispensa de serviço na escola. (Nº 7 do Artigo 6.º) A avaliação destes formandos é anual e finaliza-se mediante a entrega de um relatório crítico que consubstancie uma apreciação sobre a experiência individual relativa ao exercício da função de classificador, nos termos que vierem a ser definidos pelo GAVE. (Nº 8 do Artigo 6.º) Este relatório crítico deve ser entregue ao GAVE, anualmente, até ao 10.º dia útil do mês de Setembro, usufruindo o professor classificador, para este efeito, de dispensa das tarefas não lectivas por um período máximo de três dias. (Nº 9 do Artigo 6.º)

10 – O início do processo de constituição de bolsas de classificadores obedece à seguinte calendarização:

a) Ano lectivo de 2010-2011 — professores classificadores dos exames nacionais do ensino secundário.

b) Ano lectivo de 2012-2013 — professores classificadores dos exames nacionais do ensino básico. (Artigo 8.º)

« Página anterior