E Mai’Nada!


 

mas há um problema pequenino.

 

Não se percebe como é que alguns quadros sobrevivem.

 

Eu, apesar de eterno contratado, resolvo tudo na sala de aula – deve ser por eu ser suficientemente doido!

 

Seja como for – os que são meus acreditam, porque sabem que não lhes falho. Os outros, que remédio, calam-se.

 

 

 

 

beij’ na bunda!

 

que se pague para Lesboa & Puerto.

 

Quem terá sido o génio sulfatado das avenidas novas?

 

 

 

A aplicação vai continuar em serviço mais 24£&%§$€.

 

… não sei porque durou tanto. É hoje, para acabar com os sofismas!

miogo

… o contrato é que só começa a sério quando eu não tiver muito que fazer e esta semana ainda há muito.

Portanto, aguentem-se que eu não ando com bom feitio… para andar a transpirar enquanto vocêzes vão para a prainha e tal.

 

 

– enquanto ia para a escola – não acontece nada?

 

 

 

Lilliane Marise (re)apresentará a segunda versão da Reforma  Kitch.

Casa do Fafe – em Fafe (Arões S. Romão).

 

Amanhã coloco fotos e vistas.

Continuo em luta, não há mais fruta!

Autarquias vão deixar de pagar atividades extracurriculares

Municípios informaram Ministério da Educação há dois meses que não podiam continuar a assegurar as Atividades de Enriquecimento Curricular.

Menos uma hora de escola por dia rejeitada liminarmente pelo CNE e pelos pais

MEC garante que escolas do 1.º ciclo vão continuar abertas até às 17h30

Crato diz que redução de uma hora nas escolas se deve aos intervalos

 

e dá 97416 visualizações em 17.06.2013

 

Vamos definir serviços mínimos educativos?

por me apetecer dar aulas amanhã. Porque sim e por ter autorização dos encarregados de educação.

Sou mau? Sou.

… que servem para comer bolachinhas mas também para atirar sobre quem não tem um infinitésimo sequer de vergonha na cara e que deveria fazer o favor de não me poluir os ouvidos, mas insiste em fazê-lo.

Era mais fácil eu ser sorrisinhos, fingir que não ouço o aquele hoje veio mal disposto, que não vejo, que tudo está bem, que a vida é curta para nos chatearmos, calar-me sobre a falta de profissionalismo e de respeito pelos outros, aderir à hipocrisia da vidinha que faz tantos quotidianos com que sou obrigado a cruzar-me, mas não a partilhar.

Era mais fácil sorrir e morder pelas arrecuas, em nome da convivência, a quem ouve e deturpa no próprio momento, que tenta dar lições da moral e ética que nunca teve, que faz da má educação modo de vida e depois ainda aponta o dedo aos outros.

Mas, raios me partam, não consigo ficar calado o tempo todo e ver a prosápia da mediocridade passar por outra coisa.

Arre… que há alturas em que me custa imenso ter prometido a mim mesmo não dar, neste espaço, o nome aos bovinos com que sou obrigado a lidar.

yosemite_sam-1680x1050

… das declarações que fiz. Pelos vistos, terão de ser repetidas em próxima ocasião.

Que em tempos foi senhor.

Todas as santas manhãs de 3ª feira e também de 4º. ocasionalmente à tarde ou à 5ª feira. Vou anotando o dia, registando a hora. Em tempos, gravando. Quiçá, gravando de novo quando se decidir atender de novo a criatura.

Informou-se horários através do polvo lamacento, acredita ter descoberto quando pode expelir a bílis que lhe vai na alma. Tem tempo disponível, maus hábitos que nenhuma forma de educação pode apagar. Odeia, é incapaz de tolerar a diferença. Não sabendo construir, sendo estéril, tenta destruir o alheio.

Vive infeliz. Tenta que outros também o sejam.

Mas já deveria ter percebido que a(o)s embuçada(o)s e a(o)s lambe-selos andam ao engano e a enfiar barretes em si mesma()s, pensando enfiá-los aos outros.

Mas com um pouco mais de esforço, bastando esticar-se um pouco mais, ainda se lhes rebenta a surpresa nas mãos.

A estratégia do ataque pessoal, familiar e profissional, típica de certos quadrantes, só funciona quando é novidade e inesperada.

Quem avisa, amigo é… porque…

(c) Maurício Brito

Espero que sim, nem que seja para contrariar os igualizadores.

.

Página seguinte »