Diabetes


para que os senhores doutores juízes se consigam concentrar na sua tradição.

… dar os parabéns…

Boaventura ganha bolsa para ajudar Europa a ver o mundo

Com Fafe Ninguém Fanfe

Esta obra, que sumariava e contextualizava a reforma curricular em decurso no início dos anos 90, é um repositório excelente de tudo aquilo que tem marcado os últimos 20 anos na nossa Educação no que se refere à Pedagogia do Sucesso e a todas as experimentações pedagógicas desenvolvidas desde então, a primeira das quais foi a Área-Escola, mãe de todas as ACND.

A cargo de Bartolomeu Valente, esteve o texto de apresentação da Área-Escola como «projecto pedagógico a partir da escola e da sala de aula» (p. 25).

Vamos ler?

Vamos, pois, mas sempre imbuídos de afectos!

A Área-Escola pretende implementar a animação cultural como campo privilegiado para a formação pessoal e social de cada educando, tudo assente nas motivações de cada um, geradoras de valores, a implementar mormente através de projectos. Escolhemos três aspectos em que tal fito se pode ir optimizando, de acordo com as nossas melhores práticas docentes:

  1. – o sentido antropológico do projecto e a motivação;
  2. – o primeiro nível dos projectos em cada fase etária
  3. – o desenvolvimento de projectos, a interdisciplinaridade e a animação cultural – a Escola-Projecto.

1. O sentido antropológico do projecto e a motivação

Toda a pessoa é, no fundo, um grande sonho-motivação, para cuja consecução dispõe de potencialidades, com as quais busca a sua realização, rumo a uma plenitude inatingível mas indefinidamente aproximável. Ora, este desvelamento do Eu só pode fazer-se através do Tu e ocorre sempre rumos a um Nós em que todos seríamos um ideal de infinitude para onde sempre vamos caminhando, sem jamais o consumarmos. Tudo aponta para que, em frase-limite, tenhamos que afirmar, ser é amar.

Até se me correm as lágrimas, ainda hoje…

Se sobrevivemos a isto – os que sobreviveram sem um ataque fatal de hiperglicémia afectiva – aguentamos tudo. Aliás, só esta capacidade de endurance à lamechice explica que tenhamos conseguido sobreviver à aridez oposta do discurso rodriguista, mesmo se com os mesmos objectivos.