Demolição


Passos Coelho anda, claramente, a optar por algo que ele deve pensar que é coragem política, mas não passa de desrespeito pelos cidadãos e pelo país.

O MEC já lhe pediu a demissão… os secretários de Estado nunca lá deveriam ter estado… mas o actual PM continua firme e hirto, até que isto tudo caia de podre.

Exp11Out14

Expresso, 11 de Outubro de 2014

Colocá-los a funcionar mal, através de cortes na manutenção das infraestruturas e dos sistemas informáticos, assim como na qualidade técnica dos meios humanos disponíveis, usando depois esse argumento para “denunciar” o gigantismo e mau funcionamento do Estado (quando fazia o mesmo nos tempos do papel) e “justificar” a sua fragmentação e concessão a privados porque, alegadamente, podem prestar esse serviço “melhor”.

Pelo caminho, tenta transmitir-se a sensação que a incompetência é dos funcionários de base e não das decisões das chefias e das opções político-ideológicas.

Uma fórmula já experimentada em outras paragens e que está em toda a força a ser aplicada em alguns estados dos EUA dominados pelos putos tóxicos do chá.

Nova perturbação informática. Agora nas certidões de nascimento, óbito e casamento

Primeiro foi o Citius, agora é o SIRIC. Serviços informáticos do Ministério da Justiça continuam a gerar problemas. E longas esperas dos utentes.

Crato reconhece erro, pede “desculpa ao país” e manda refazer listas de colocação de professores

Professores já contratados pelas bolsas de contratação de escola não perdem o lugar. Mas entre mil a dois mil docentes poderão ser agora repescados. Houve um erro dos serviços do Ministério da Educação, admitiu Nuno Crato. Responsabilidades serão “apuradas”. “Peço desculpa aos professores, aos pais e ao país.”

Nuno Crato promete corrigir fórmula e pede desculpa aos professores

Depois de mais de quatro dias de protestos, o ministro da Educação assumiu o erro e prometeu refazer os cálculos e corrigir a ordem de colocação dos professores.

Desde já, algumas coisas óbvias:

  • Quem foi colocado, por erro do MEC, não pode ser agora prejudicado.
  • Quem deveria ser colocado e o vai ser tardiamente, deve ser ressarcido pelos danos causados, em termos materiais e morais.
  • O “interesse dos alunos” sempre foi a menos das preocupações deste desgoverno.
  • O pedido de desculpas fica bem, mas… phosga-se, ele foi avisado a tempo, como já aconteceu em outros momentos de disparate.

Da vergonha, da falta dela e da incapacidade ética

A avaliação das unidades de investigação é parte de uma operação de desmantelamento do sistema científico português.

A incapacidade do MEC para defender o sector de uma total demolição continua a ser o traço dominante de todo um mandato.

Em nome de qualquer coisa.

Agricultura e Educação entre os ministérios que sofrem mais cortes em 2015

Quanto à Agricultura, espera-se o manso protesto do PR.

Este ano entrou em vigor a vocação forçada dos maus alunos aos 13 anos.

Para o anos teremos as vocações à saída do 1º ciclo, para os alunos cujas famílias já tenham escolhido a sua futura profissão. Dá-se-lhe 20 horas de Matemáticas, Ciências e Tecnologias, 6 horas de Português e outras 6 distribuídas pelas restantes disciplinas, que é para a acriança ficar imersa na sua vocação e não ter quaisquer dúvidas sobre o que deseja ser.

Sei que pode ser ao contrário, mas a aposta nas STEM é a menina dos olhos do Rodrigo, do Nuno e de todos os desenvolvimentistas e piresdelima que colocam a criança no centro das suas atenções.

A bem das Empresas e da Pátria!

 

é desconfiado.

Crato desconfia dos licenciados nas escolas superiores de educação

Página seguinte »