Défices


… nunca se me deu para as peneirices, alegando que é só pela cólidade. É mais sol nascente.

Pub10Fev15

Público, 10 de Fevereiro de 2015

Saúde esconde contas dos hospitais, Educação as da Parque Escolar

é, toda ela e mais, do mais fino recorte e tanto. E tão. Ou não tão.

Porque é que eu estou sempre contra? É fácil de ver, não admito que se destrua, mesmo que sem intenção, o que os professores edificam.

A Constituição, a Dívida Pública e a Equidade Intergeracional

… ou aquilo que for preciso injectar na banca… ou para cobrir erros dos gestores públicos… ou péssimas decisões políticas e parcerias…

Mas cortando as reduções dos professores consegue-se isso tudo e ainda mais.

Novas metas do défice agravam necessidades de financiamento em 4700 milhões

… porque o truque com a ANA foi chumbado.

O resto é treta.

Quem?

O PM e o Pedro do Feixe.

feijao_frade

El ataque alemán desahucia a España

El pánico financiero y la austeridad que impone Alemania le reportan grandes beneficios y favorecen la apuesta de los grandes especuladores contra las deudas soberanas de los países del sur de Europa.

Tanto cargo importante, tanto MBA cosmopolita, tanto dinheiro chupado ao Estado e só conseguem soluções da treta.

Quanto ao Gaspar, permanece incólume e sereno na sua tarefa destrutiva, embora – como bom samaritano que é – nem nos quer ver doentes.

Eurostat chumba solução do Governo para o défice de 2012

A venda à ANA de uma concessão para explorar os aeroportos portugueses não poderá ser usada para abater o défice público deste ano, decidiu o Eurostat, colocando em causa os objectivos do Governo para as finanças públicas.

Diário de Lisboa, 14 e 18 de Janeiro de 1926

A acabar a semana de trabalho ouvi na TSF os números sobre o novo défice. Na peça online não estão os detalhes mas eu bem ouvi dizer que a despesa corrente do Estado diminuiu fundamentalmente devido aos cortes salariais e de subsídios (descida quase de 17%), mas que ao mesmo tempos os juros da dívida aumentaram mais de 13%.

Ou seja, o famigerado corte na despesa é feitos apenas à custa dos funcionários públicos.

Quanto à receita, entrou em pirueta acentuada.

Claro que há quem continue a dizer que acredita no Pai Natal, mas já não há pachorra.

… não vale a pena queixarem-se de um maior défice nas prestações sociais, mesmo depois de cortes draconianos.

Universidades recusam fazer orçamentos

Reitores rejeitam corte médio de 2,7% para 2013 e pedem reunião urgente com Passos Coelho.

As reuniões valem o que valem… o que eu gostaria de saber é se a ameaça vai até ao fim… pois poderia ser um bom exemplo para… as comunidades educativas, por via do seu Conselho geral, tomar algumas atitudes consequentes… caso conheçam as suas competências, claro!

Por sugestão do António Ferrão:

The Danger Debt Poses to the Western World

O Orçamento Rectificativo inclui mais 1.100 milhões de euros para os veículos que ficaram com activos expurgados do BPN, a PARVALOREM e a PARUPS.

De acordo com a nota explicativa que acompanha este documento, são inscritos mais 1.457 milhões de euros na rubrica passivos financeiros de Entidades Públicas Reclassificadas por via de fundos do Ministério das Finanças, para cobrir amortizações de empréstimos de médio e longo prazo.

Desses, grande parte vai mesmo para estas sociedades veículo com activos do BPN que estão nas mãos do Estado, 1.100 milhões de euros.Serão ainda destinados 150 milhões de euros para o reembolso de empréstimos da REFER não incluídos anteriormente nas previsões do orçamento, outros 90 milhões de euros para a dívida de capital da Parque Escolar até ao final deste ano, 97 milhões de euros decorrente da prorrogação da amortização de operações de crédito da Estradas de Portugal, que estavam previstas do final de 2011 mas passaram para 2012, e 20 milhões para a dívida vencida e vincenda e juros da Viana Polis.

Não precisam de mais nenhum mês de salário aqui dos culpados pelo défice?

(quer-se dizer… perdoa à Madeira e a quem lhe fizer o jeitinho de eliminar umas freguesias…)

Relvas: Dívida total dos municípios andará nos 12 mil milhões de euros

Resta saber a dívida do Estado Central às autarquias…

Avelino de Jesus diz que o custo das parcerias público privadas é incontrolável. O professor universitário participou num grupo de trabalho para analisar o problema.

Avelino de Jesus diz que, até 2050, o Estado português vai pagar 50 biliões de euros só na parte fixa das PPP`s. Soma-se ainda a parte que é negociada entre o Estado e as concessionárias.

«Parte fixa das PPP`s fica em 50 biliões de euros. Soma-se mais 30 a 50 por cento», disse no programa Olhos nos Olhos.

Já Medina Carreira na TVI24 lançou ainda uma outra desconfiança. «Desconfio que estejam todos feitos uns com os outros».

«As taxas de rentabilidade atingem os 16, 17 e 18%», salientou ainda Avelino de Jesus.

 

Na Time desta semana:

ACTIVOS DOS FUNDOS DE PENSÕES DOS BANCÁRIOS DESAPARECEM NA TRANSFERÊNCIA PARA O ESTADO, A SEGURANÇA SOCIAL NÃO RECEBE NADA MAS É RESPONSÁVEL, E OS REFORMADOS DA BANCA FICAM SEM QUALQUER GARANTIA REAL DO PAGAMENTO DAS SUAS PENSÕES

Página seguinte »