Coincidências


Não há dúvida, isto cansa!



Montijo, 13.00, um restaurante simpático e económico numa zona popular, quase defronte de uma das Escolas Secundárias. Espera um tipo comer descansado um almoço rápido quando dá de frente com os vips da campanha regional do PS. Vieira da Silva, Eduardo Cabrita, Ana Catarina Madeira, Maria Amélia Antunes, Eurídice Pereira e mais uns quantos que um pilar gentilmente me ocultou, enquanto outros desconheço em absoluto e outro mais valia não saber quem são (coisas de vereadores e assessores, tudo muito agarrado ao tm, como se algo importante se tratasse).

Até a grelhada mista se me ia engasgando. Mas sou forte e robusto e, atendendo a que há 4 horas e PCA à espera, meio jarrinho de branco da casa bem fresquinho fez com que os detalhes ficassem menos estremecidos. O importante foi não haver encontros a caminho da privada.

Consta que o PC já passou por ali. Ainda pedi desconto ao dono da casa, devido ao atraso no serviço por causa da enchente, mas os tempos são de crise. À cabeça paga-se 5 a 8 euros, 10 no máximo, quando se abusa.

Respeitei a privacidade do repasto, mas não a da viatura.

Casualidade, causalidade

Talvez tenha visto mal mas não me apercebi de que, como vem sendo feito na Net, algum jornal se tenha ainda interrogado sobre a sucessão de três notícias em pouco mais de dois meses que, isoladas, talvez só tivessem lugar nas páginas de Economia mas que, juntas, e com um director ou um chefe de redacção curiosos de acasos, até poderiam ter sido manchete.

A primeira, de 16 de Março, a da renúncia – dois anos antes do termo do seu mandato – de Almerindo Marques à presidência da Estradas de Portugal (para que fora nomeado em 2007 pelo então ministro Mário Lino), declarando ao DE que “no essencial, est[ava] feito o [s]eu trabalho de gestão”.

A segunda, de 11 de Maio, a de uma auditoria do Tribunal de Contas à Estradas de Portugal, revelando que, com a renegociação de contratos, a dívida do Estado às concessionárias das SCUT passara de 178 milhões para 10 mil milhões de euros em rendas fixas, dos quais mais de metade (5 400 milhões) coubera ao consórcio Ascendi, liderada pela Mota-Engil e pelo Grupo Espírito Santo. Mais: que dessa renegociação resultara que o Estado receberá, este ano, 250 milhões de portagens das SCUT e pagará… 650 milhões em rendas.

E a terceira, de há poucos dias, a de que Almerindo Marques irá liderar a “Opway”, construtora do Grupo Espírito Santo.

O mais certo, porém, é que tais notícias não tenham nada a ver umas com as outras, que a sua sucessão seja casual e não causal.

Às 23.52, 23.53 e 1.01. Foi alguém a quem eu possa ajudar?

É que isto é muito amador… Não há já hackers competentes como antigamente?

Desta vez o voto não será apenas útil, mesmo na acepção em que cada um ache pilhérica a utilidade num tal acto; será o voto desesperado, como se fosse o derradeiro.

Já não interessa quem ganha, mas quem tem que perder!

Só a partir de limpar esta porcaria poderemos voltar a medir as nossas diferenças. Sem termos que mentir.

Nota de opinador: detesto ter que escrever todas as palavras – …

Andaram esta noite a tentar aceder indevidamente ao mail indicado no blogue, ao ponto da Google ter de restaurar definições de segurança através de novo código.

Não adianta fazerem isso. Tenho mais três contas de mail e esta nem é especialmente sensível. Alguém tenha juízo…

pec pec pec, pecpecpec, ó-i-ó-ai

Pedra de Canto

 

Ainda terás alento e pedra de canto,
Mito de Pégaso, patada de sangue da mentira,
Para cantar em sílabas ásperas o canto,
De rima em -anto, o pranto,
O amor, o apego, o sossego, a rima interna
Das almas calmas, isto e aquilo, o canto
Do pranto em pedra aparelhada a corpo e escopro,
O estupro de outrora, a triste vida dela, o canto,
Buraco onde te metes, duplamente: com falo,
Falas, fá-la chorar e ganir, com falo o canto
No buraco de grilo onde anoiteces,
No buraco de falso eremita onde conheces
Teu nada, o dela, o buraco dela, o canto
De pedra, sim, canteiro por cantares e aparelhares
Com ela em rua e cama o falo fá-la cheia,
Canteiro porque o falo a julga flores, o canto
Áspero do canteiro de pedra e sémen que tu és
(No buraco do falo falaste),
Tu, falazão de amor, que a amas e conheces.
Amas a quem? Conheces quem? Pobre Hipocrene,
Apolo de pataco, Camões binocular, poeta de merda,

Embora isso em sangue dessa pobre alma em ferida:
A dela, a tua, cadela a tua pura e fiel no canto
De lama e amor como não há no charco em torno,
Maravilhoso canto só de soprares na ponta a um corno
E logo a sílaba e o inferno te obedecem
E as dores íntimas dela nas tuas falas se conhecem,
Sua íntima vergonha inconfessada desponta,
Passiflora penada, pequenina vulva triste
Em teu sémen sarada e já livre de afronta:
O canto em pedra e voz, psicóide e bem vibrado,
Límpido como vidro a altas horas lavado,
Como o galo de bronze pela dor acordado,
No amor e na morte alevantado,
Da trampa mentirosa resgatado,
Como Dante o lavrou em pedra de Florença
E Deus to deu de amor por ela no atoleiro?
Flor menina de orvalho em amor verdadeiro?

Ainda terás amor e pedra de canto,
Fé nela e sua dor de arrependida e enganada,
Ou, enfim, amor a fogo dado e perdão puro…
Eu quero lá saber! Amor de Deus no canto
De misericórdia e paz, mesmo para os violentos
Da violada violeta, a breve miosótis
Ao canto unida e em tuas lágrimas orvalhada?
Cala-te e humilha-te como ela,
Que é maior do que tu no canto
E a esta hora só bebe talvez água salgada,
Oh poeta de água doce!

Mas, antes de calar espada e voz, responde:
Ainda terás alento e pedra de canto
Para cantar estas coisas,
Encantar outra vez a donzela roubada ou nina morta,
Enfim, o teu amor?
Dize lá, sem-vergonha,
Homem singelo:
Pois se nisto me mentes nunca mais a verás.

(Quem fala?)

[Vitorino Nemésio]

Pelo que tenho sistemáticas dúvidas sobre coincidências espontâneas, a menos que São Tomé me as tenha confirmado in vivo (o que é difícil mesmo que ele tenha sido beatificado).

Acredito em coincidências mas, por definição, elas são coisas ocasionais, raras vezes acontecem quando são expectáveis e correspondem um pouco ao que Nicholas Taleb definiu como cisne negro (falo do livro, não da apologia fílmica às qualidades da Portman).

Pelo que me espanta um pouco a oportunidade do manifesto e da data da manifestação, logo à esquina da canção dos Deolinda e só faltando ter marcado encontro para o Coliseu ou o Pavilhão Atlântico, já que o Campo Pequeno está ocupado exactamente na mesma data pelos kotas enrascados.

E não tem nada a ver com desconfianças em relação ao FB ou sequer porque acho que no Egipto pouquíssimo mudou. Eu acredito na mobilização em rede e defendo-a como muito eficaz. Mas há quem já tenha chegado à mesma conclusão, mesmo quando não parece. E tanto melhor quando se conseguem duas lebres só com um empurrão.

Pode ser que não existam las brujas… pero…

Socialista coordena estudo

Rochette: “Não posso ser penalizado por ser do PS”.

Claro que não. Nem o João Pedroso e sabemos o estudo que fez. Neste caso, falhas diversas já foram encontradas num estudo feito certamente em gabinete, com base em dados oficiais do ME e dificilmente com alguma visita de campo, para confirmar os dados em causa.

O professor universitário que coordenou o estudo para o Ministério da Educação sobre os colégios com contratos de associação foi convidado, no ano passado, para director do Centro de Estudos Estratégicos da federação distrital do PS. Em declarações ao PÚBLICO, António Rochette, que também foi vereador socialista em Coimbra, garantiu que foi escolhido pelo ministério devido ao “trabalho de qualidade” que a sua equipa tem desenvolvido.

“O que está em causa é a cor política e não a qualidade do trabalho? Até diria que isso é indecente”, questionou. Rochette foi responsável pela elaboração de 13 cartas educativas. Nestas cartas é feito o levantamento da rede escolar dos municípios e identificadas as características da sua população. Desde há dois anos está também a desenvolver para o ME um estudo sobre a reorganização de toda a rede educativa.

O problema destes estudos encomendados pelo ME é que nunca dizem algo diferente do que já se esperava à partida que dissessem. Tal como os encomendados pela ANQ e que também, rai’s parta, por sistema caem nas mãos de gente que ou é do PS, ou andou pelas Novas Fronteiras ou tirou o curso ao mesmo tempo que os sociólogos isctianos que passaram a dominar uma boa parte do poder na área da Educação em Portugal desde a ascensão de MLR.

Claro que tudo isto são coincidências.

Bela coincidência esta dos recibos do salário cortado chegarem na semana que antecede as Presidenciais. Resta saber se antecipam o pagamento para 21 ou protelam para 24.

Porque os dois cabeças de lista estão enterrados nisto: um promulgou a decisão e o outro não pode afrontar, porque fez tudo para ter o apoio do partido do engenheiro.

Restam os outros, a brancura, a nulidade e uma volta ao bilhar grande.

A bota e a perdigota em semelhança:

Deputado do PS sensibiliza Sarkozy para a língua portuguesa nas universidades francesas

E, de seguida, relata que:

O deputado do PS pela Emigração Paulo Pisco escreveu uma carta ao Presidente da República francês, Nicolas Sarkozy, para o sensibilizar para a decisão de duas universidades francesas terem suprimido o português nos seus concursos de acesso.

Isto não é nem jornalismo,  nem sequer informação – chamava-lhe anestesia. No mínimo, desconhecimento da Língua, resultado de uma qualquer insensibilidade geral.  E assim vamos.

Governo Lula quer proibir pais de disciplinar os filhos

 

Lula é um dos maiores maus exemplos do Brasil, em sua amizade com os ditadores assassinos Fidel Castro, Hugo Chavez e Mahmoud Ahmadinejad. Sem correção, as crianças estarão condenadas a imitá-lo.

Pais e mães ficarão proibidos de beliscar, puxar a orelha ou mesmo dar “palmadas pedagógicas” em seus filhos se a sociedade calar-se e não reagir diante de mais uma agressão estatal contra as famílias. Em comemoração ao aniversário de 20 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva está assinando hoje (14 de julho de 2010) um projeto de lei que proíbe pais e mães de aplicarem castigo físico para corrigir a rebelião e o mau comportamento dos filhos. Tal castigo será tratado como “agressão física”, invertendo os papéis e colocando os pais sob a ameaça de castigo estatal.

Acho bem não estarmos sós.

Kim Jong-il já começou a imitar o seu mestre: os órgãos de informação norte-coreanos não comunicaram o resultado do jogo entre a Coreia do Norte e Portugal e foi suspensa a transmissão de outros jogos da selecção nacional.

Resta agora saber se o ditador coreano vai seguir o exemplo do seu pai Kim Il-sung, que enviou para um campo de concentração os jogadores que perderam a partida frente a Portugal em 1966, ou revelará tanta “misericórdia” como Estaline, que se limitou a tomar “medidas administrativas”…

[aqui]

Outro título sugestivo seria algo como: Futebol Vs Passar Os Meninos Para Não Ficarem Traumatizados.

Só que há traumas e traumas.

Actualização: foram colocadas em latas de spam alguns comentários que têm costumado envergonhar a escola de Fitares.

Adenda: assumo as minhas poucas-vergonhas e penso as suas consequências antes de…

Que hoje tenha sido publicado em Diário da República a resolução sobre a concetração da rede escolar, em simultâneo com a reabertura da aplicação da DGRHE para validação das candidaturas para o concurso das necessidades transitórias deste ano.

Do site da Fenprof:

Depois de uma intervenção inicial do grupo coral Cantares de Évora, da projecção de um videograma sobre as acções de luta dos professores, (…) o Secretário-Geral evocou o final do congresso anterior para recordar que a Federação honrou os compromissos aí assumidos e que, “três anos passados, categoria há só uma – professor e mais nenhuma”.

Agora digam-me lá se não há coincidências do caraças!


Taguspark pagou viagem de Figo no dia do apoio ao PS

Eu sou franco a este respeito: há quem queira adquirir e há quem tenha para vender. Se chegam a acordo é lá com eles e está no seu direito.

O problema é a carteira onde vão buscar os cobres para a transacção.

Escrevi este post ontem às 18.30, mais coisa, menos coisa (antes das oito já estava no repasto umbiguista). Hoje leio este editorial do DN.

Fiquei confuso. Quem sou eu?

Ou há ali uma alma gémea que eu deveria conhecer? Fraternalmente se for um, é evidente…

« Página anteriorPágina seguinte »