Burocracia


APURAMENTO DE COMPENSAÇÕES FINANCEIRAS AOS PROFESSORES CUJA COLOCAÇÃO FOI ANULADA

… por um tema como o da deriva hiper-burocrática dos tempos modernos que se faz sentir nas escolas, pois passámos a ter um duplo controle de quase todos os actos, não tendo servido os meios digitais para aligeirar mas, em muitos casos, para duplicar o tempo gasto no registo de todos os actos, praticados, por praticar ou que é necessário demonstrar ter praticado.

OlivHospital

A scary new word to emerge in our cover story is “hyper-bureaucracy”, which describes “an out-of-control system” that emerges in the search for optimum efficiency and takes no account of the costs in time, energy and money that are needed to achieve it. It is a bureaucratic nightmare in which there is no end to the extra information that can be acquired.

OlivHospital

Um tema que me agrada em particular… e umas das últimas saídas para conferências e debates neste arranque de ano lectivo, pois o ritmo tem sido muito.

E, claro, agradecendo o convite ao Luís Torgal.

A criançada está desgraçada…

Duas comissões vão rever sistema de proteção das crianças em risco e regime da adopção

A ver se nos entendemos: o combate à burrocracia não passa apenas pela “desmaterialização” da papelada, pois preenchê-la online não deixa de ser burrocracia e perda de tempo.

O essencial mesmo é aligeirar os procedimentos

É que em papel um tipo ainda preenche aquilo em qualquer lado… sendo online tem de haver pc disponível e com o programa ou aplicação certa e…

… mas sinto que o arranque do ano lectivo tem sido muito mais trabalhoso e burrocrático do que a média, sendo que grande parte do tempo gasto não tem qualquer utilidade directa para as aprendizagens dos alunos mas apenas para a representação dos actos que se quer provar terem sido praticados e virem a sê-lo.

Ou seja, tudo como dantes… quando ainda nada tinha implodido.

… como o mergulho na rotina burocrática de arranque de ano lectivo. São poucos os que suportam o absinto como o Pessoa.

As novas metas, senhoras e senhores, as novas metas que, por exemplo em Português, implicam deitar fora grande parte do trabalho feito laboriosamente nos últimos anos.

Os indicadores, minhas senhoras e meus senhores, os indicadores. De referência ou nota de rodapé.

Os descritores, minhas senhoras e meus senhores, os descritores que mal se descrevem a si mesmo quanto mais os desempenho.

A versão mais curta do texto do outro dia.

IMG_1400

Público, 14 de Julho de 2013

Em tempos de tecnologias, continuo fascinado com a papelada burrocrática que envolve um secretariado de exames, como se aquilo fosse sinónimo de rigor.

Uma criatura temente a jesus ou ao pinto da costa decide inscrever-se para um exame e é necessário arregimentar quase uma dezena de professores e folhas de papel às resmas.

E desculpem lá, mas a culpa não é das escolas, nem dos profes, mas da lógica que permanece de que de cada acto pífio é preciso fazer registoe  assinar em duplicado.

Parece que é um resumo com origem no próprio JNE e eu garanto que o atropelo na concordância não é meu neste excerto inicial um bocadinho assustador.

De acordo com o disposto nos números 2.3.; 2.4.; e 2.5. da norma 02/JNE/2013, a Escola Básica e Secundária XXXXXX divulga a seguinte informação, que têm de ser lidas e esclarecidas pelo Diretor de Turma, na sala de aula, antes do final do 3.º período, devendo haver registo desta ação no sumário da turma.

.

O documentoResumo norma2-jne-2013.

Paletes de rigor.

Instalacoes Escolares

Agora já pedem as coisas assumidamente  em duplicado…

Assunto: PREENCHIMENTO DOS DADOS REFERENTES AO LEITE ESCOLAR – 1º SEMESTRE
Data: Tue, 9 Apr 2013 11:01:53 +0100
De: Gabinete de Apoio Técnico (DREN) <gat@dgeste.mec.pt>

Exmo.(a) Senhor (a)

Diretor(a)/Presidente da CAP

Considerando que esta Direção de Serviços se prepara para solicitar a concessão de ajuda comunitária para os alunos da educação pré-escolar e do 1.º ciclo do ensino básico, referente ao Leite Escolar, solicita-se a V.ª Ex.ª o registo, até ao dia 29 de abril, o preenchimento dos dados referentes ao 1.º semestre (setembro, novembro e dezembro de 2012 e janeiro e fevereiro de 2013) disponível no Sistema de Informação da DSRN – Leite Escolar.

Cientes de que V.ª Ex.ª terá lançado os dados na plataforma MISI@, justificamos este pedido como decorrente do processo de reorganização do Ministério da Educação e Ciência, o qual obrigou a alterações, sobretudo ao nível dos procedimentos e dos acessos, dado que se encontram em fase de reestruturação os sistemas centrais.

Agradecemos a compreensão de V.ª Ex.ª pela perturbação que este pedido possa trazer ao funcionamento dos serviços.

Com os melhores cumprimentos,

As Técnicas da ASE

Atenção ao destaque:

Exmo.(a)  Senhor(a)

Diretor(a) / Presidente da CAP,

 

Por forma a otimizar e a atualizar a informação sobre a realidade física das escolas da área territorial desta DSRN, torna-se necessário conhecer, com maior exatidão e rigor, os recursos disponíveis.

Neste sentido, solicita-se o preenchimento e atualização da aplicação “Instalações escolares“, disponível no Sistema de informação da DGEstE-DSRN.

Esta informação permitirá que futuras decisões e cálculos por parte desta Direção de Serviços se estribem numa base real do ambiente escolar. Será possível, por exemplo, determinar-se a taxa de ocupação de um estabelecimento, tendo por base os espaços pedagógicos disponíveis, bem como a população escolar existente e expectável.

Certos de que as direções das escolas entendem a pertinência da necessidade desta informação, solicita-se a V. Exa. o preenchimento da aplicação, até ao próximo dia  15 de abril (2f).

Qualquer pedido de apoio/esclarecimento poderá ser remetido para: dspgr@dgeste.mec.pt

Com os melhores cumprimentos,

Aristides Sousa

Delegado Regional de Educação da Região Norte

Não há palavras para tamanha flexibilidade orgânica

Despacho n.º 13608/2012

O Decreto-Lei n.º 14/2012, de 20 de janeiro, definiu a missão, atribuições e modelo de organização interna da Direção-Geral da Educação (DGE) do Ministério da Educação e Ciência, tendo por sua vez a Portaria n.º 258/2012, de 28 de agosto, no desenvolvimento do previsto naquele decreto-lei, fixado a sua estrutura nuclear, bem como as respetivas competências e estabelecido, nos seus artigos 8.º e 9.º, o número máximo de unidades flexíveis e matriciais deste serviço.
Por outro lado, de acordo com o previsto nos números 5 e 2 respetivamente dos artigos 21.º e 22.º da Lei n.º 4/2004, de 15 de janeiro, na sua redação atual, é atribuída ao dirigente máximo dos serviços a competência para constituir, por despacho e dentro da dotação previamente estabelecida, as unidades orgânicas flexíveis e as equipas multidisciplinares da DGE integradas por funcionários do quadro da DGE ou nela em efetividade de funções.
Assim, ao abrigo das citadas disposições da Lei n.º 4/2004, de 15 de janeiro, e dos artigos 8.º e 9.º da Portaria n.º 258/2012, de 28 de agosto, determino o seguinte:

1 — São criadas no âmbito da Direção-Geral da Educação as seguintes unidades orgânicas flexíveis:
1.1 — Na dependência da Direção de Serviços de Desenvolvimento Curricular (DSDC):
1.1.1 — A Divisão de Educação Pré-Escolar e do Ensino Básico (DEPEB);
1.1.2 — A Divisão de Ensino Secundário (DES);
1.1.3 — A Divisão de Educação Artística (DEA);
1.1.4 — A Divisão de Material Didático, Documentação e Edições (DMDDE).
1.2 — Na dependência da Direção de Serviços de Projetos Educativos (DSPE):
1.2.1 — A Divisão de Desporto Escolar (DDE).
1.3 — Na dependência da Direção de Serviços de Planeamento e Administração Geral (DSPAG):
1.3.1 — A Divisão de Gestão Orçamental e Patrimonial (DGOP);
1.3.2 — A Divisão de Recursos Humanos (DRH);
1.3.3 — A Divisão de Sistemas de Informação e Infraestruturas Tecnológicas
(DSIIT).
2 — As unidades orgânicas flexíveis criadas no número anterior têm o nível orgânico de divisões.

Só em novo papel timbrado é uma fortuna.

Educação: Direções regionais de educação substituídas por direções de serviço

  • A malta não gosta de reuniões, diz que são muitas e longas.
  • Então mandam-se as coisas por mail, para evitar reuniões ou encurtá-las.
  • O pessoal não abre o mail e não sabe, acaba a queixar-se.
  • Se abre o mail, não consegue dar com os ficheiros anexos, acaba a queixar-se-
  • Se dá com os ficheiros, não os consegue abrir porque o formato é esquisito, acaba a queixar-se.
  • Se abre o ficheiro, não percebe bem o que lá está escrito, acaba a queixar-se.
  • Se percebe o que lá está, fica sem saber se não será melhor uma reunião para esclarecer as dúvidas.
  • Então a malta acaba a fazer muitas reuniões. E longas.

Burocracia

Já viram as grelhas que o ME mandou para as escolas preencherem até meio da próxima semana com o balanço das reuniões de trabalho do ano lectivo passado sobre os novos programas de Língua Portuguesa?

Aquilo só falta perguntar a marca do perfume dos presentes e a cor da lingerie das ausentes.

O mesmo para este ano. Cada sessão vai ser inventariada, triturada em parâmetros, rebobinada em estatísticas e regurgitada sei lá como.

Acho que só mesmo eu para guardar exemplares disto:

Página seguinte »